segunda-feira, maio 22, 2017

Quando as mídias oficiais são tendenciosas em quem confiar?

O Brasil tem um grande problema: Informações tendenciosas ou publicadas com intenção de causar uma reação nacional que influencie direto na política, beneficiando alguns..  - Continue lendo e comente!

Imprensa - Domínio Público CC0
 Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 22 de Maio de 2017 - 15:16 GMT-3

A crise política pode parecer o único grande problema no Brasil. Mas a verdade é que a ambição se tornou o maior pilar em todos os meios que exercem influência sobre qualquer classe de pessoas, pode ser no setor religioso, político, artístico e.. o meio cujo juramento de admissão de cada profissional reza completa imparcialidade: O Jornalismo.

Enquanto diversas organizações no mundo se organizam para combater o que chamam de "falsas notícias", as grandes mídias seguem assumindo publicamente suas opiniões, preferências, seus gostos e lados políticos. Editorial se tornou uma forma de expressar a opinião de toda uma organização e os crimes cometidos por "adversários políticos" são potencializados enquanto os mesmos crimes cometidos por aliados políticos ou patrocinadores, são minimizados.

Estamos vivendo um tempo em que as pessoas já não confiam 100% na grande mídia por causa da clara parcialidade. Aliás, são elas mesmas que incentivam o combate às notícias falsas... Mas na verdade o que chamam de "notícias falsas" na maioria dos casos são manchetes elaboradas para atrair leitores para textos de humor. Escritores que satirizam o momento em forma de notícia. Aliás, vários quadros na TV já foram criados e já foram ao ar com programas que satirizam os telejornais.

Se as grandes mídias fazem campanhas para combater este tipo de "notícia falsa", então entende-se que a mesma classe trabalhadora que luta pela "liberdade de expressão" dela também combate a "liberdade de expressão" dos outros.

Enquanto isto ícones de telejornais famosos usam expressões faciais, agravo de entonação e até breves comentários para atrair ou dispersar a opinião pública para um assunto que consideram importante ou desinteressante. Sendo que estes mesmos assuntos podem se tornar interessantes mais tarde, quando seus adversários políticos ou comerciais se virem acusados. Ou seja:

"O que me interessa é certo e o que não me interessa é errado"

Em meio à imensa confusão e correria da mídia para cobrir cada detalhe desta guerra entre a justiça e a cúpula política do país, muitas informações produzidas pela grande mídia chegam a confundir a opinião pública, até porque hoje em dia cada partido político tem sua própria equipe de jornalismo, sem falar que muitos destes jornalistas atuam como escritores de grandes mídias oficiais, como telejornais, sites e mídias impressas. A mistura destas atividades tem feito o povo sangrar, ter dificuldade para entender e decidir o que é certo ou errado mediante a tão confusas notícias.

Hoje em dia juristas, promotores, juízes e advogados estão ganhando espaços nas mídias, bem como os jornalistas estão infiltrados em todo o meio político. Está ficando cada vez mais difícil de saber se um jurista está apenas prestando o serviço de esclarecimento ao povo ou se ele está aproveitando a abertura de mídia para lançar seu novo livro e aumentar sua renda. Está difícil de saber se o jornalista está cobrindo um acontecimento político nos bastidores político à convite de uma partido para atender ao seu interesse, ou para esclarecer à população. Está difícil de saber se quando um destacado político cede uma entrevista a uma grande mídia, se não há um acordo de favorecimento mútuo em troca de informações privilegiadas.

À cada dia percebe-se que a opinião pública está se calando, por não suportar mais ouvir tanto blá blá blá, tanta especulação e tantos especialistas contratados para convencer ao povo do que interessa pra eles.

Já acabou o princípio da imparcialidade que fundamentou o jornalismo?

Pra quem não sabe, a diferença entre um Blog e um Jornal é que o Blog pode expressar a opinião do autor e o jornal tem a obrigação de apenas narrar os fatos, sem qualquer sombra de influência da mídia. Por isto está aqui minha visão como "O Observador do Mundo" sobre a grande especulação de mídia dos tempos atuais e a prática de inserção de jornalistas políticos nos meios de mídia, pagos com dinheiro de campanha política!

O povo tem o direito de saber e o jornalismo tem a obrigação de narrar imparcialmente!

Tags: notícias falsas, fake news, notícias tendenciosas, jornalismo tendencioso, falso jornalismo, jornalismo político, Saulo Valley, O Observador do Mundo, Mídia, informação, 

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: