sexta-feira, abril 07, 2017

O mundo no Bombardeio da base aérea síria - Atualizando..

Putin alerta para "consequências negativas" 5 minutos após o ataque Americano na base aérea síria de onde partiram as aeronaves que despejaram gás letal sobre a região rural de Idlib e matou pelo menos 80 pessoas.

 Pelo menos 6 militares tiveram suas mortes confirmadas e agências internacionais confirmam os estragos à base militar alvejada. Foram confirmados o lançamento de 59 mísseis contra simultâneos alvos militares em apenas 10 minutos de ataque ordenado por Trump.

Ataque à base militar síria foi ordenado no dia que
EUA comemora 100 anos de inclusão na I Guerra Mundial.

Acredita-se que um general sírio esteja entre os mortos.

Putin pediu resposta ao Conselho de Segurança da ONU.


De acordo com a CNN esta é a lista e países que apoiaram o ataque:

Turquia, Arábia saudita, Israel, UK, Japão e Austrália.

Apenas 3 países manifestaram oposição:

Rússia, Irã e China.

A Coréia do Norte acaba de confirmar o sucesso dos testes de seus mísseis balísticos que percorreram a distância de 37 milhas.

A Rússia intensificou os ataques em regiões rebeldes da Síria e cresce o número de civis e rebeldes mortos.

O Exército Rebelde Sírio FSA comemorou os ataques americanos e reportou a morte de seis pessoas na base aérea militar que ficou inutilizável - Disse a oposição que também comemorou novos ataques rebeldes usando misseis GRAD em outras bases aéreas do regime, principalmente em Hama.

Motivação:

Presidente Trump ordenou ataque americano à base militar da Síria no mesmo dia que os Estados Unidos comemoravam os 100 anos de participação americana da Primeira Guerra Mundial.

A Casa Branca liderou uma série de eventos comemorativos e destacou a importância da intervenção americana neste conflito e a luta das mulheres americanas naquela época.

Atualizando...


Tags: guerra da Síria, Syria, Massacre em Idlib, Hama, Homs, EUA, Trump, Obama, Putin, Russia, Saulo Valley, O Observador do Mundo, bombardeio aéreo, armas químicas, 

Artigo em Destaque

Julian Assange periga ser extraditado para os EUA

O fantasma da extradição de Julian Assange volta a assombrar e podemos dizer que processar e condenar o fundador da Ong Wikileaks pelo cr...

Leia também: