quinta-feira, abril 13, 2017

EUA faz nova demonstração de força usando bomba que varre tudo num raio de 1 km

A casa Branca anunciou nesta tarde que nesta quarta por volta das 19h (Afeganistão) lançou uma bomba que foi classificada como a maior de todas as bombas não-nucleares existente - Continue Lendo:



Por Saulo Valley - O Observador do Mundo - Rio de janeiro, 13 de Abril de 2017

 O ataque aconteceu na região fronteiriça de Namgarhar no Afeganistão e de acordo com o anúncio dos EUA o objetivo era desativar os túneis utilizados pelo Daesh ( Estado Islâmico ou ISIS ).  O governo de Trump anunciou o ataque de modo claro a mandar uma mensagem aos países que insistem em intimidá-lo com seu poderio bélico.

Como o poder de estragos da bomba GBU-43 é incalculável num raio de 1 quilômetro, o governo americano não soube precisar quantos morreram ou quem morreu, mas comemorou como uma missão bem sucedida.



Mas em um comunicado o comando das forças americanas no Afeganistão USFOR-A disse que "tomou todas as precações quanto a ferir civis e que as forças americanas vão continuar as ofensivas até que o ISIS seja destruído no Afeganistão"

A GBU-43 pesa pouco mais de 10 toneladas e transporta 8,5 toneladas de TNT e alumínio. A "mãe de todas as bombas", como foi apelidada é parte de uma estratégia que visa desmontar o moral individual de tropas. Seu poder de destruição é horizontal e de baixa profundidade no solo. A arma também foi criada para varrer grandes centros urbanos. Em 2003 foi testada no Iraque para desativar minas terrestres espalhadas em uma grande área e para atacar grande contingente de tropas.



Já na Síria o ataque americano saiu pela culatra e as forças de Trump ao invés de atacar militantes do Daesh, acabou matando 18 lutadores do Free Syrian Army (exército rebelde sírio) que combate diretamente contra o Regime sírio e ainda luta para expulsar o Estado Islâmico de seu país.

Há poucas horas a agência de notícias NBCNews levantou, em consulta com políticos nos bastidores da Casa branca, que segundo as fontes o governo Trump estaria preparando um ataque não-nuclear contra as bases militares da Corea do Norte com objetivo de impedir o avanço de suas pesquisas nucleares e consequentemente a fabricação de mais armas de destruição em massa.

A discussão começou a ser levantada depois que o líder norte-coreano disse que um "grande evento está próximo".

Tags: bombardeio aéreo, bomba, Daesh, Estado Islâmico, ISIS, terrorismo, armas de guerra, Saulo Valley, O Observador do Mundo, 

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: