terça-feira, abril 18, 2017

Brasil doou 21 mil vacinas para a Síria e foi elogiado pela OMS - Saiba Mais

O Governo Brasileiro doou uma quantidade de vacinas para serem distribuídas na Síria. Seria esta a primeira vez que ajuda brasileira oficial chega em terras de Al Assad no setor de saúde, diz governo brasileiro - Continue Lendo:

By John Keith (Photographer) [Public domain or Public domain], via Wikimedia Commons
Por Saulo Valley - O Observador do Mundo - Rio de Janeiro, 18 de Abril de 2017

De acordo com a ONU a Organização Mundial de Saúde agradeceu ao Brasil pela ajuda médica enviada para socorrer o povo sírio. Segundo a fonte, atualmente há 13 milhões de pessoas precisando de auxílio médico no país, "ainda mais depois que as sanções impediram o governo Assad de importar".

Por outro lado sabemos que esta e todas as ajudas enviadas pelo governo brasileiro não são direcionadas ao povo. Elas são enviadas para o governo do Ditador Bashar Al-Assad, o maior agressor do povo sírio, que só nos últimos 6 anos matou cerca de 400 mil civis e opositores pacíficos ou armados que tentam encerrar seu governo de sangue, desde que seu pai tomou à força o país em 1946 com ajuda do partido Ba'ath ( o partido mais sangrento do Oriente Médio)

O que significa que só serão atendidos com ajuda internacional, os civis que apoiarem a permanência de Assad no poder, porque os demais serão bombardeados e exterminados como sempre são. A prova disto é que recentemente o governo Assad autorizou o envio de caças militares que despejaram bombas químicas sobre uma região habitada em Idlib rural. Cerca de 80 pessoas morreram pelos efeitos letais da arma, o que forçou o atual presidente americano a bombardear a base aérea militar de onde partiram as armas químicas.

O regime sírio condenou à morte a todos os opositores ao seu governo, incluídos automaticamente estão seus familiares (de todas as idades). Foi o Regime sírio que autorizou o saque de todas as farmácias e matou centenas de pessoas voluntárias que tentaram furar o cerco militar levando remédio, comida e água para populares em áreas sitiadas pelo exército oficial desde a revolta popular iniciada em 2011.

Ajuda brasileira

Sem falar muito, o Brasil (desde o governo Lula) decidiu apoiar o ditador Bashar Al-Assad e quando as sanções impediram de negociar com o mundo, o Brasil começou a enviar ajuda financeira para o ditador . Desde 2012 cerca de 5 milhões de reais em dinheiro já foram enviados (aos cuidados de Bashar Al-assad), o que configura um patrocínio ao permanente genocídio corrente no país. Outra prova de que o regime Assad é um genocida aconteceu ontem:

Forças da Guarda Revolucionária Iraniana (presentes na Síria antes de 2011) em apoio ao ditador sírio, assumiu a responsabilidade pelo atentado à bomba que explodiu vários ônibus e matou pelo menos 100 refugiados curdos, entre elas 68 crianças que deixavam a região de Aleppo num comboio resultado de um esforço internacional que visa a evacuação de civis das áreas urbanas sitiadas pelo maléfico regime Assad, para quem o governo brasileiro, já na administração Temer continua enviando ajuda disfarçada em socorro para atender a populares.

Enquanto isto nosso povo continua sem remédios e médicos nos hospitais. Ah! O presidente sírio e seu pai foram formados em colégio militar soviético e são fortemente aliados de todos os países comunistas. Assim como tudo que o governo tem feito no Brasil, esta relação deve mesmo ser profundamente investigada e revisada.

Artigo em Destaque

Julian Assange periga ser extraditado para os EUA

O fantasma da extradição de Julian Assange volta a assombrar e podemos dizer que processar e condenar o fundador da Ong Wikileaks pelo cr...

Leia também: