sexta-feira, janeiro 06, 2017

EUA - Trump enfrenta autoridades americanas pra defender Putin

"Vou governar para nós!" Esta foi a frase que Trump recitou quando o resultado de sua vitória foi tornado público, mas antes mesmo de tomar posse o presidente eleito já busca confronto com todo o governo e defende inimigo histórico da América - Continue Lendo:

Donal Trump - Foto: Michael Valdon
Creative Commons 4.0 via WWikipedia

Por Saulo Valley - O Observador do Mundo - Rio de Janeiro, 06 de Janeiro de 2017
Atualizado às 20:55 GMT-3

"Vou governar para nós!"

A frase de efeito do presidente eleito americano parece ter um efeito de duplo sentido. Em meio às fortes acusações de intervenção russa nas eleições presidenciais americanas que o favoreceram, Trump divide a nação e milita em favor de Putin, o homem que ele mais elogia em suas falas e publicações no Twitter. Ao mesmo tempo o ex-presidente Barack Obama tem sido alvo de perseguição silenciosa e persistente do recém eleito líder americano.

As palavras de Trump não parecem muito unificadoras e muito menos pacificadoras.
O novo presidente americano oferece terror para os vizinhos mexicanos, para a oposição no governo, para os imigrantes nos EUA e para os muçulmanos, menos para Putin. Tanto que no mesmo dia que saiu o resultado das eleições americanas, Vladimir Putin declarou: "Acabou a guerra Fria."

Com tantos conflitos internos e externos poderíamos interpretar que uma vez eleito, Trump estaria agradecendo a Putin pela ajuda e teria dito:

"Vou governar para nós!"

Ninguém pode afirmar o que realmente está acontecendo na cabeça do novo presidente mas sabe-se que ela não está no lugar e que ele não está atuando com sobriedade. Mas os frutos a gente pode conhecer pela árvore e até agora vemos o bilionários atacar aos americanos mais pobres, aos imigrantes e o próprio governo americano por suas tradições.

Aliados estrangeiros já vivem apreensivos de que poderão ser abandonados no meio de suas guerras.

"aconselho que compre sua própria bomba atômica!" - Soa como uma mensagem de fim do apoio incondicional a um país historicamente aliado e importante. Tudo parece às avessas e se o povo americano quer derrubar suas próprios tradições esta é a hora, mas vale ressaltar que como acontece no Brasil chegaram tempo em auê sentirão que jamais deveriam ter abandonado o sólido pelo etéreo.

Trump amaldiçoou a ONU diversas vezes, coisa que também não me recordo de ver um membro da comunidade internacional fazendo, a não ser países condenados pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas por seus abusos.

Tudo muito questionável e suspeito neste novo governo americano que tem cara de pegadinha de programa de domingo e trilha sonora de filme de terror caseiro.

Tags: Política, internacional, hackerismo, Hackers, Putin, Obama, Trump, México, EUA, Saulo Valley, O Observador do Mundo, 

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: