terça-feira, outubro 04, 2016

Razões para não votar que o governo brasileiro ignora - O Observador do Mundo

Quando um uma campanha política um candidato usa esta frase: "Use o seu poder de voto para mudar o Brasil!", na verdade não tem noção da grandeza do poder do "não voto"!  - Continue Lendo:



Por Saulo Valley , O Observador do Mundo - Rio de Janeiro, 04 de Outubro de 2016

A arrogância política, a auto suficiência dos políticos brasileiros chegou ao cúmulo de fazê-lo pensar que nem precisa de eleitores para ser eleito. Basta contar com o partido. Basta comprar um lugar à sombra e pronto! Mas a realidade hoje não é mais esta.

Em tempo de mudanças o Brasil vem buscando acertar o caminho para a auto-suficiência e o crescimento sustentável. Experimentamos o governo militarizado e encontramos várias limitações na gestão das cadeias de comando. Experimentamos a Democracia com foco no capitalismo e despencamos num abismo de recessão, inflação e empobrecimento nacional. Migramos para o Socialismo democrático e afundamos num mar de corrupção seguido de falências e endividamento nacional.

Este é o momento que o Brasil vai tentar um novo caminho. Desta vez tentando ser mais flexível com e ao mesmo tempo não fazendo vista grossa para os problemas que ocasionaram a falência dos sistemas de governos anteriores. Este é o tempo de mudança...

Mas no topo da cadeia de comando há políticos velhos e matreiros que visam permanecer no controle do oxigênio nacional. Querem enriquecer vendendo nosso sangue e o povo brasileiro hoje já está mais atento. Sabe que embora o governo passado tenha tentado desmerecer as manifestações, que há outras formas mais eficientes de protestar e de exigir que a corrupção deixe de ser o programa de governo de todo político no poder.

.. E por causa destes eventos passados que o Brasil decidiu que a melhor manifestação contra os abusos da comunidade política é a anulação ou a abstenção ao voto. O maior recado que o governo ainda não entendeu?

Que o povo já se cansou de votar em macacos, palhaços e personagens de desenho animado ou da crença popular. O Brasil precisa de um corpo de administradores sérios, precisa de homens honestos e trabalhadores no topo desta pirâmide que começa estreita no topo e termina larga na base, que representa o tamanho do poder que cada camada social detém até chegar a delegar alguma autoridade ao político eleito.

Quando você contrata uma empregada doméstica, um motorista, um segurança e uma governanta, não quer dizer que você abriu-mão de todos os seus bens, sua casa e sua família. Você não passou a procuração de seus bens para seus funcionários, apenas o contratou para ajudá-lo na manutenção de sua estrutura, enquanto você precisa sair todos os dias para trabalhar e gerar mais recursos para sustentar esta estrutura.

Porque então que quando elegemos um administrador de nossa estrutura ele quer tomar tudo para si e impedi-lo de ter acesso e controle sobre o mesmo?

A concepção de política do Brasil anda muito distorcida na mente de quem se candidata a um cargo público. O termo é exatamente este: CARGO público. São empregados que precisam passar pela aprovação popular para ter direito de representar seu próprio povo ao longo de seu mandato... mas não é assim  que o sistema pensa. Não é assim que os partidos trabalham.
Dominados por lei de obrigatoriedade do voto, a população precisa se adaptar ao entendimento do que é certo ou errado com base nos candidatos disponíveis para o voto, ou seja:

Numa eleição hoje em dia temos as piores opções possíveis. O povo que não tem poder de polícia, sabe quando um candidato é miliciano, ou traficante, ou trabalha para organizações criminosas, ou mesmo por suas práticas comerciais ilícitas, abusos etc...

Com o voto obrigatório muitas vezes se vê numa verdadeira berlinda, quando tem que decidir entre eleger um miliciano ou um estelionatário. Escolher entre um assassino e um administrador fraudulento. Sem opção o eleitor brasileiro se arrasta até as urnas, sabendo que seu voto será manipulado depois de registrado numa urna eletrônica e que sem opção de escolha deverá eleger alguém para roubar o Brasil.

Quase sempre, nos últimos 30 anos o eleitor brasileiro teve que escolher entre o que deverá roubar muito e o que deverá roubar um pouco menos. Quando é que este curral eleitoral nacional vai se desfazer? Quando é que vamos deixar de ser obrigados a votar em criminosos e quando vamos deixar de votar por vias duvidosas, como as urnas eletrônicas ?

Ah... Em tempos de eleições disseram que as urnas eletrônicas são seguras e à prova de invasão hacker..

Mas o que tornam as urnas eletrônicas inseguras não é o fato de ser ou não à prova de invasão, mas o fato de que quem está no poder passa a deter o controle dos arquivos e manipula conforme seu entendimento e suas necessidades. Vimos isto em 2014.

Por esta razão é que os petistas queriam tanto novas eleições, porque sabiam que podiam manipular os votos, uma vez registrados nas urnas eletrônicas. Felizmente o eleitor brasileiro acordou e manda uma mensagem para todo eleitor espalhado na face da terra que não somos obrigados a eleger candidatos impostos pelo crime organizado, ou por partidos corrompidos ou mesmo por seitas e religiões opressoras e capitalistas. Somos inteligentes e capazes de discernir um bom candidato dos maus candidatos. Mas sabemos que à partir da urna eletrônica, passando pelos partidos, a contagem e venda ou manipulação dos votos, que este sistema é falho, insuficiente, surreal, manipulador e está longe de ter como foco, eleger zelosos, confiáveis e verdadeiros administradores de nossas riquezas.

Por esta razão cresce no país os que não abrem-mão do direito de NÃO VOTAR! Pelo menos não somos espancados pela polícia, não somos atacados com balas de borracha e não sofremos os efeitos das bombas de gases nocivos.

Gráfico mostrando o índice de escolaridade dos candidatos
(prefeito+vereador) da eleição municipal de Curitiba em 2012.
Fonte: Wikipédia
Ou a política muda ou acaba. O Brasil não pode mais eleger políticos incapazes, inabilitados, ineficientes, e que em muitas das vezes estudaram menos que nossos filhos.

Hoje temos no poder homens e mulheres sem estudo, que não são capazes nem de entender suas funções, enquanto que são assessorados por homens concursados, que estudaram 15, 20 anos ou mais para ter a capacidade de assessorá-los assumindo um cargo elevado, como ministros do STF... Enquanto elegemos presidentes que mal sabem assinar seus nomes ou falar em público.

Isto não é democracia, isto é suicídio político e administrativo.

Tags:
fraude eleitoral, ELEIÇÕES, corrupção, governo, voto, Urnas Eletrônicas, justiça eleitoral, cargo, mandato, candidato, Saulo Valley, O Observador do Mundo, BRASIL, 

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: