terça-feira, outubro 18, 2016

Que força está por trás do STF?

O STF trabalha pra quem? Será que os frutos servem para descrever sua árvore? Continue lendo:


Por José Cruz - Agência Brasil, CC BY 3.0 br, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=47620918
Por Saulo Valley - O Observador do Mundo - Rio de Janeiro, 18 de Outubro de 2016

No Brasil só existem duas correntes políticas: A que sobrevive da corrupção e a que tenta sobreviver longe dela. Enquanto estes dois lados brigam entre si, a justiça brasileira busca equilibrar esta guerra, com base em sua própria razão de existir, mantendo a função de proteger os interesses do país, garantir o cumprimento da Constituição Federal e dar ao povo brasileiro a certeza de que "nada escapa dos longos braços da lei".

Esta confiança está cada vez menor e a julgar pelas notícias mais recentes sobre as decisões do STF em benefício de criminosos políticos que cometeram assombrosos desvios aos cofres públicos, como o concedimento do perdão a José Dirceu no inquérito do "Mensalão", a decisão de fatiar a "Operação Lava Jato", retirando o Juiz Sérgio Moro do comando da mesma e distribuindo aos MP dos estados..

Esta confiança está indo de ladeira abaixo na mesma velocidade que cresce a certeza de que a manutenção do atual presidente Michel Temer (que era vice da presidente deposta Dilma Roussef), a suspeita de que Renan Calheiros (mesmo processado em 12 inquéritos em andamento por corrupção e lavagem de dinheiro) poderá ser chamado para chefiar o Ministério da Justiça em 2017 ..

Estamos tendo um flash de "Dejavu" que arremete ao primeiro semestre deste ano durante a desenfreada correria do Planalto, incluindo a então presidente Dilma e seu mentor e ex-presidente Lula para invalidar as provas e as acusações que se acumulavam contra eles na Lava-jato.

Enquanto o atual governo trabalha para dar mais "transparência" por meio da CGU, criando perfis acessíveis na redes sociais e aumentando a comunicação com a população (como quem quer ouvir o que se diz ou pensa) vemos uma poderosa articulação para que todas as expectativas da população com relação à Lava-jato sejam desviadas para os órgãos do governo que são controlados pelo próprio Planalto. Uma corrida para desviar atenção popular do Ministério Público Federal do Paraná e sufocar a operação Lava-jato gradativamente.

Uma das grandes estratégias do governo Temer foi abrir seu governo para os militares, trazendo para perto de si a cúpula das Forças Armadas para usar seus recursos segundo seus interesses. Como um presidente interino trabalha tanto (como vem trabalhando mesmo com apenas dois anos de mandato) se anuncia que não concorrerá à presidência em 2018?

Não é uma aposta mas tudo leva a crer que Temer poderá não mais deixar o governo se as coisas estiverem sendo articuladas como estão. A neutralização das forças de investigação da Polícia Federal quanto aos crimes políticos, o enfraquecimento do Ministério Público Federal do Paraná, e o compartilhamento das atribuições da Lava-jato com o MP de São Paulo ( que muitos de seus membros têm demonstrado ser bastante comprometidos com o PT) e a aliança reforçada com a cúpula das Forças Armadas... pode ser sim o anúncio de que estamos para ver a continuidade de um golpe de estado em andamento.

O tipo de atuação do governo Temer não se parece com um governo interino, mas com a construção de bases para um regime de governo civil-militar agressivo.

À princípio de conversa o mesmo governo que levanta os crimes cometidos pela oposição, tenta proteger os criminosos do lado governista.

Michel Temer no poder não era pra ser mesmo a "salvação da lavoura", afinal ele foi eleito com os mesmos votos de Dilma Roussef e sobre ele ainda pesam acusações de crimes de corrupção que estão sendo investigadas pela mesma Polícia Federal na mesma Operação Lava-jato que permite que seus aliados políticos e membros do STF tentem silenciar e enterrar.

Outra pergunta interessante: Porque o nome da aclamada Ministra Cármen Lúcia atual presidente do STF desapareceu da mídia e os nomes de Lewandowisk e Tóffoli ganham destaque?

Tags: STF, operação Lava-jato, MPF, corrupção ativa e passiva, Dilma Rousseff, Michel Temer, lula, Sérgio Moro, Polícia Federal, Saulo Valley, O Observador do Mundo,

Artigo em Destaque

Julian Assange periga ser extraditado para os EUA

O fantasma da extradição de Julian Assange volta a assombrar e podemos dizer que processar e condenar o fundador da Ong Wikileaks pelo cr...

Leia também: