sexta-feira, dezembro 18, 2015

Sem WhatsApp: Cartas abertas de Dilma para seu eleitorado e de Renan para Temer

Vamos lavar a roupa suja na internet Brasil? Não sabemos se a moda vai pegar. As chamadas "Cartas Abertas" estão começando a formar um padrão de conduta política nacional? LEIA MAIS:

By Senado Federal (Solenidades. Homenagens) [CC BY 2.0 (http://creativecommons.org/licenses/by/2.0)],
via Wikimedia Commons
Por Saulo Valley - O Observador do Mundo, Rio de Janeiro 18 de Dezembro de 2015 - 13:56 GMT-3

Depois da comentada "Carta aberta do vice-presidente da República Michel Temer" para a sua chefe, a presidente da República Dilma Roussef, chegou a vez de Dilma escrever para o Brasil. Ela abriu o coração num desabafo dramatizado e motivador, falando sobre sua certeza de que não cometeu crime. Seu texto bastante liso fala para um povo agora mais aproximado por causa da explosão das Redes Sociais, que o próprio governo facilitou em obediência às influências da ONU.
Agora as armas tradicionais de mídia, incluindo as caríssimas veiculações de vídeos e as mensagens em cadeia nacional, estão sendo trocadas por simples postagens nas páginas oficiais das autoridades.

Mesmo assim, as "Cartas Abertas" podem ainda ganhar maior utilidade com os últimos acontecimentos em Brasília.

Diga-se de passagem nosso próprio blog "O Observador do Mundo" publicou uma "Open Letter". Uma carta aberta literalmente em inglês à fim de desmentir o discurso em que Dilma Roussef, em sessão da ONU disse que o "Brasil não passava por crise." E esta nossa publicação se deu no dia 27 de Novembro enquanto a carta de Michel Temer se tronou pública em 08 de Dezembro. Portanto, nós é que iniciamos esta fase, certo?

Continuando:  Em sua postagem pública Dilma repetiu que entende que o "processo de impeachment" é constitucional, mas quis ressaltar que não se enquadra neste tipo de condenação. Por isto ela mesma afirmou:

E é isso, a falta de razão, que nós chamamos de golpe. Não é justificativa para não ser golpe o fato da Constituição prever que pode ocorrer casos em que haja um processo de impeachment . A Constituição brasileira prevê, sim, esse processo. O que ela não prevê é a invenção de motivos. Isso não está previsto em nenhuma Constituição.



Neste momento, usando todos os instrumentos que o Estado Democrático de Direito me faculta, lutarei contra a interrupção...
Posted by Dilma Rousseff on Quarta, 16 de dezembro de 2015


Por outro lado sua audiência não parece muito convencida e há uma disputa acirrada entre os que a apoiam e os que não acreditam em sua inocência. Para isto a classe eleitora não abriu mão de publicar suas opiniões nos comentários da mesma publicação.

É claro que o povo entende que se Dilma Roussef fosse inocente como se apresenta, não usaria de tantas manobras, por exemplo para retirar pessoas de cargos onde fatalmente seria comprovada sua culpa.

A própria saída de Joaquim Barbosa do STJ e a infiltração de Dias Tóffoli (Ex advogado do PT) no comando da mesma instituição (sem concurso público e por nomeação direta da presidência)  já se faz uma decepcionante manobra para irritar o povo brasileiro. Tudo porque as manobras de Dilma nunca são favoráveis para o Brasil. É o caso de ter decretado "tragédia natural" o rompimento da Barragem de Mariana, que destruiu o Rio Doce e seus estragos ainda não cessaram e nem podem ser contabilizados tão cedo.

Dilma poderia ser retirada do cargo pelo simples fato de demonstrar completa imperícia na administração do país. Por irresponsabilidade administrativa. A prova de que ela não tem mesmo noção do que faz, é que nesta semana prometeu "recuperar completamente a região de Mariana e o Rio Doce. Humanamente impossível!

Mas voltando novamente às "Cartas Abertas", a estratégia melosa, sentimental de se escrever uma carta política pública é um dos destaques feitos por este fiel "Observador do Mundo".  A #CartasdoTemer por exemplo, chamam a atenção de todos por serem tristes e chorosas. Por isto os internautas apontam o excesso do popular "Mi mi mi".


A classe política não entende muito assim. Para a maioria, o conteúdo é "pessoal. Apenas um desabafo"...






Aí oito dias depois de enviar sua primeira "carta bomba" chegou a vez de Renan Calheiros fazer Temer provar do próprio veneno:

Na carta que a imprensa afirma que Calheiros mostrou a um grupo de senadores, o destaque é que Temer é chamado de "Mordomo de Filme de Terror". Mas desta vez a carta ainda parece não ter sido entregue nem tornada pública. De acordo com a "Folha", Calheiros foi aconselhado pelos senadores a pensar bem à respeito da entrega desta nova "carta bomba" no meio político.

Pra fechar esta matéria, uma novidade de mais uma ferramenta para tentar manter Dilma mamando no poder até 2018 e não ser enviada pra Suprema Côrte por tudo o que se deu em seus dois mandatos na presidência da república. Ela anunciou mais um gasto público usado na criação de um portal para mudar a opinião pública em seu favor, é o "fatos-e-boatos". Alí você vai trocar todas as mentiras que surgem na internet por todas as mentiras que o governo quer que você abrace. Pode ser que hajam respostas verdadeiras, mas com a credibilidade de quem erra o tempo todo e vive se justificando, jurando de pés juntos. Boa leitura para os corajosos, afinal democracia é isto. 

Artigo em Destaque

Pra quem reclamar quando autoridades estão ligadas aos criminosos?

Quando você se vê atingido por uma autoridade usurpadora do teu próprio direito, a quem reclamar, quando você sabe que a autoridade máxima ...

Leia também: