segunda-feira, dezembro 21, 2015

Rio: Polícia Militar tem parcelas de 300 reais de 13°, além de cabeça a prêmio e sem hospital militar

Os Jogos Olímpicos de 2016 prometem dar muito lucro para alguns políticos e alguns empresários envolvidos na recepção do evento, mas para que este acontecimento não seja uma tragédia internacional, as forças de segurança precisam trabalhar duro. Pessoas são mortas para garantir este lucro bilionário - Leia Mais:

"ROCOG in London" por Ricardo Stuckert (Presidency of the Republic) - Agência Brasil. Licenciado sob CC BY 3.0 br, via Wikimedia Commons 

A implantação das UPPs e a "pacificação" das comunidades carentes são dois grandes desafios, para garantir a segurança das autoridades esperadas, bem como o grande público e atletas.
Em conseqüência, um exército vitorioso ganha primeiro e inicia a batalha depois; 
um exército derrotado luta primeiro e tenta obter a vitória depois.
Esta é a diferença entre os que tem estratégia e os que não tem planos premeditados" Gen Sun Tzu
Retaguarda

Para isto um mundo de soldados tem sido recrutados e treinados. Tanto para as UPPs, quanto para o esquema especial de segurança para o evento. Mas nesta gigante empreitada o Rio enfrenta violentas batalhas.


  • De um lado temos a quase oficial falência administrativa do Estado do Rio. Com isto a dupla Sérgio Cabral e Pezão tem muito a explicar sobre as fraudes envolvendo a saúde pública e o insucesso das campanhas contra o crime organizado, a falta absoluta de verbas em caixa...
  • De outro lado temos a prefeitura do Rio gastando tudo o que pode para inaugurar obras monumentais e complexos esportivos para sediar os jogos, deixando setores essenciais como (novamente) a saúde e educação, desprovidos de profissionais ou salários.


  Com este cenário nada favorável temos uma multidão de recrutas, praças e oficiais arriscando a vida para receber pouco mais de dois mil reais atrasados e parcelas suaves do décimo terceiro. Sem planos de saúde, sem qualquer tipo de auxílio, além do salário no contra-cheque eles arriscam suas vidas pra até mesmo defender políticos que recebem em dia vinte vezes mais, recebem auxílio combustível, gravata, terno, gabinete, agora só faltam os auxílios "salão de beleza" e "empregada doméstica".

Por outro lado se empresas privadas deixam atrasar o décimo terceiro salário de seus funcionários, estas estarão passivas de punição do Ministério do Trabalho...

Mas Prefeitura e Estado pode deixar de pagar professores, água, energia elétrica e locação de prédios onde funcionam escolas, hospitais...

Policial armado com equipamentos lixo trocando tiro até nas folgas com bandidos que vivem abordando-os à todo tempo, são obrigados ainda a utilizar parte de suas receitas para comprar armas extras para se defender quando fora de serviço.

Durante a prestação do serviço falta de tudo. Guaritas instaladas em contêineres sem a menor estrutura para abrigar um ser vivo. Em muitos casos as condições são semelhantes a de presidiários. Estes ainda precisam deixar o abrigo para fazer rondas em áreas controladas por traficantes poderosos e altamente equipados e bem treinados.

Luta cada vez mais desigual, enquanto isto o Rio tem que arcar com superfaturamento de logística militar, viaturas, atendimento médico, e os constantes enterros dos profissionais. Profissionais que como gratificação por seus serviços prestados em uma curta vida útil, recebem algumas salvas de tiro jogadas ao vento. Ao passo que suas famílias ficam desamparadas até no pagamento de sepultamentos de seus combatentes.

Quando feridos à tiros em dias de folga, muitos são tratados como bandidos ao chegar inconscientes nos hospitais. Atendidos como escória precisam acordar para dar suas credenciais, caso não queiram morrer nas mãos de profissionais de saúde que odeiam cuidar de criminosos.
Uma vez transferidos para.... Hospital militar?

Este vídeo foi gravado em 2014:



Alerj - Deputado Paulo Ramos fala sobre a necessidade de "Salvar o Hospital da Polícia Militar"


Fontes militares que não podem ser divulgadas mostraram-se frustradas com recebimento em conta de R$ 300,00 como parcela (sem acordo prévio) do 13° salário. Sentindo-se injustiçados desabafam sobre a dura vida de um policial militar. Enquanto que a carreira do crime tem atraído muitos jovens que acabam seduzidos pelos altos salários, apesar dos riscos. E o policial é obrigado a enfrentar os mesmos riscos ganhando 1/4 deste valor mensal. Sem falar nos danos psicológicos e outros efeitos que atingem direta e indiretamente seus familiares.

Alguma coisa precisa ser feita para que a profissão militar volte a valer a pena, senão o país inteiro optará pela corrupção política e pelo crime organizado, como profissões rentáveis, seguindo o exemplo que nossos líderes nos deixam todos os dias. Na prática a polícia vive no meio da disputa entre o crime organizado dentro do governo e nas ruas. Uma guerra injusta e cruel. Um sistema podre e voraz que deixa vítimas inocentes todos os dias, e enriquece os poucos que vivem no topo da cadeia alimentar.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: