sexta-feira, dezembro 11, 2015

Porque nem os negros, nem os GLBTS, nem os pobres precisam de Dilma e Lula

Porque nem os negros, nem os GLBTS,  nem os pobres precisam de Dilma e Lula - Leia Mais:

Causa GLBTS em Brasília - Creative Commons via Wikipedia 

Por Saulo Valley - O Observador do Mundo - Rio de Janeiro, 11 de Dezembro de 2015 -  as 11:29 GMT-3

Todo mundo sabe que quando um candidato quer se eleger, a primeira coisa que os picaretas fazem é carregar uma criança pobre nos braços  (como se cuidasse dela). Após as filmagens e seção de fotos para a mídia, os caras nunca mais voltam ao local, nem pra agradecer à família que emprestou uma criança para exposição de mídia ainda lactante. Sobre este tipo de exposição  os Conselhos Tutelares nunca abriram a boca em defesa do menor.

Ao fazer ensaios de falsa bondade e falsa compaixão em suas visitas raras numa comunidade carente, sabe-se que mesmo eleitos só retornam quando forem concorrer novamente a um cargo ainda mais lucrativo.

Lula e Dilma foram além disto.  Ergueram diversas bandeiras em suas campanhas onde se comprometeram com as classes pobres, as crianças,  os menores de 16, as mulheres, os negros e por fim os gays.

Os dois governos que usaram a palavra "sustentabilidade " como palavra chave  entregam agora um país em condições impossíveis de se sustentar.

Assim como todas as suas promessas sobre as defesas de grupos e minorias mais afetados pelas barreiras sociais do mundo moderno.

Passado o primeiro choque, até os mais conservadores hoje em dia já sabem lidar com estes temas.

Agora resta a cada um de nós saber que independente de qual seja a razão para que nos sintamos desrespeitados, estamos todos debaixo do mesmo teto e pisando no mesmo chão.

Não há como o governo proteger uma camada da sociedade e deixar todas as outras desprotegidas. São mentiras pregadas por quem está em desespero e crise aguda de rejeição nacional.

O povo brasileiro precisa saber que não precisa colar uma identificação na testa "eu sou negro", ou "eu sou pobre" ou mesmo "eu sou GLBTS" para seguir vivendo uma vida normal.

E nem por isto vai ter tratamento diferenciado da parte do governo.
Até porque quando há aumento de impostos, preço das passagens, dos derivados de petróleo,  dos alimentos, das roupas, dos eletrodomésticos,  do desemprego, da inflação, da corrupção política,  da impunidade, da criminalidade e da falta de atendimento médico, não há como proteger um grupo em específico.

São mentiras que na prática todo brasileiro já caiu. Mesmo assim, após inúmeras manobras para se manterem populares, Lula e Dilma apelam para as classes sociais que... "mais se sentem abandonadas"? Será que todo gay ou todo negro, ou todo pobre se sente menosprezado?

Enquanto Dilma luta para manter o programa "Minha Casa Minha Vida", ela já te disse que para isto desapropria terrenos e imóveis de quem já está tendo dificuldade para pagar os postos, inclusive o IPTU? É justo você passar anos da sua vida ajuntando recursos para comprar  terreno ou imóvel para o governo tomar e dar de presente para um pessoa que não pagou nada por ele?

Ninguém deve aceitar este tipo de sugestão. Querem que você se sinta inferior para te usar como tema base de campanha. Nada é real.

Real mesmo são os números que dizem que Lula e Dilma precisam prestar conta de 3.2 trilhões desviados dos cofres públicos nos últimos 12 anos, enquanto emocionavam as pessoas com campanhas em defesa das mulheres, dos pobres, dos menores delinquentes, dos traficantes condenados no exterior... É por aí vai.

Estamos invertendo as verdades. Por isto temos que ser realistas e atentar parar as manobras. Aliás tentam nos tornar em suas verdadeiras e ingênuas "massas de manobra", como o gado num curral.

Não importa como você seja. Importa quem você é! Foque na superação de suas dificuldades e não se deixe manipular por pessoas tão inferiores a você.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: