segunda-feira, dezembro 14, 2015

Conheça o drama da primeira mulher famosa por exibir bumbum grande no ocidente

Hoje em dia as mulheres gastam horas diárias de musculação para ficar com bumbum exagerado. Mas uma mulher que chocou a Europa e foi no século XIX - LEIA MAIS:

Por Saulo Valley - O Observador do Mundo - Rio de Janeiro, 14 de Dezembro de 2015 - as 04:58 GMT-3

A mulher moderna quer ser cada dia mais saudável, pratica esportes radicais, dança, ginásticas variadas, ciclismo e gasta muitas horas semanais nos salões de embelezamento. No meio feminino reina a eterna disputa pela beleza invejável, que arrebate suspiro de uma grande multidão de homens e inveja ou admiração de uma legião de mulheres. Algumas conseguem ir muito além da região em que moram, as cantoras e dançarinas Beyoncé, Valesca Popozuda, Mulher Melancia, Kim Kardashian, Nick Minaj, Ariana Grande, Anitta e até a Ivete Sangalo tornaram-se as mais invejadas, desejadas e imitadas nas duas últimas décadas.

Enquanto algumas já nasceram com bumbum protuberante,  há aquelas que precisam recorrer às próteses de silicone para conseguir um bumbum digno de admiração geral.

Mas se nós voltarmos na máquina do tempo iremos encontrar a história de uma das duas mulheres que ganharam a Europa com seus enormes bumbuns, mas suas histórias não foram cercadas de tanto glamour como parece:

19th century French print "La Belle Hottentot" of Saartjie Baartman. - Domínio Público via Wikipédia

Saartje Baartman (Sarqui) nasceu em 1789 numa tribo sul-africana chamada "Khoisan". Sarqui ela uma mulher negra, com quadris exorbitantes e causava todo tipo de reação nas pessoas. Ainda jovem ela era apenas uma escrava que servia a seu senhor, irmão do holandês Hendrik Cézar, que a convenceu a ir para o Reino Unido com a promessa de fama e riqueza. De acordo com a história ela partiu de Londres em 1810 numa série de exibições pelo Reino Unido rachando todo o lucro em meio-a-meio com Cézar.

Assim como aconteceu no Brasil, quando o termo "Poposuda" foi usado para definir uma mulher de bumbum grande. Havia possibilidade de um admirador tocar na modelo, caso pagasse um valor extra. Baartman era vista como um aberração. A exposição da grandeza de bumbum de Sarqui causou polêmicas e ocasionou em processos judiciais. Tamanha perseguição a impediu de continuar se exibindo em Londres.

4 anos mais tarde Sarqui foi vendida (pasme) para um domador de animais! Um francês que a explorou não mais como objeto de exibição, mas como objeto de exploração sexual. Agora na França, Baartman foi levada a ser exibida, tocada e desenhada e pintada de todas as formas nos dias e nas noites parisiense. Segundo Wikipédia a farra dos franceses durou até 1815 quando Napoleão Bonaparte foi derrotado e Sarqui, depois de ter sido ridicularizada pelo grande público de padrão físico europeu, depois de ter sido alvo das mais bizarras caricaturas e comparações, ficou impedida de se exibir. Conta-se então que a mulher começou a consumir álcool compulsivamente e se dedicou à prostituição propriamente dita.

Baartman teve o seu corpo tão explorado que tornou-se objeto de estudos em que pesquisadores da época buscavam classificar as diferentes raças humanas conhecidas.  Para alguns cientistas ela (por seu biotipo) caracterizava uma "mulher selvagem", "negra" e até comparada a um "orangotando".

Ao falecer no final deste mesmo ano, seu corpo foi dissecado e passou a ser publicado em diversos estudos de anatomia. E foi assim que se elegeu que Nelson Mandela (1994) pediu formalmente ao governo francês os restos mortais de Sarqui. Depois de muitas disputas judiciais, os restos da mulher mais poderosa vista pelos europeus foi finalmente devolvida a seu povo em 2002.

Hoje reconhecida e reverenciada em seu país, Saartjie Baartman tem seu nome lembrando em diversos órgãos governamentais de apelo social e sua passagem marca a era da exploração dos africanos e o preço que pagaram pelo duro racismo ocidental.

Hoje em dia muitas mulheres buscam sua própria exposição física por meio de selfies, vídeos, show business e etc. Agora pense, que se hoje nem todas as mulheres que são convidadas a se exibir em troca de riquezas chegam ao fim que esperavam, imaginem esta mulher africana que foi a primeira..

Baartman morreu em decorrência de inúmeras doenças. Alguns estudiosos acreditam que por DST mas não há confirmação.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: