terça-feira, outubro 27, 2015

ENEM da política: Gafes de uma presidenta de uma "Pátria Educadora"

Eleita por demonstrar elevado conhecimento em economia, Dilma dispensa os princípios da boa comunica - Leia Mais:


Snapshot via https://www.youtube.com/watch?v=i44TU4Cz3Is&spfreload=10
Por Saulo Valley - O Observador do Mundo - Rio de Janeiro, 27 de Outubro de 2015 - 11:04 GMT-3

Pra começo de conversa, nossa líder sequer sabe falar o português. Isto é notório quando ouvimos seus discursos voluntários (aqueles que foram pronunciados sem uma colinha previamente redigida, ou a ajuda de um teleprompter).


É nesta hora que as gafes vão sendo cometidas, umas após as outras. Para a vergonha nossa a chefe de estado da "Pátria Educadora" sequer tem noção das coisas que fala. Sobre a meta do PRONATEC ela respondeu:

"Não temos uma meta. Vamos deixar a meta em aberto, pois quando atingirmos a meta, dobraremos a meta!"

Seguindo esta matemática a nova equipe econômica assumiu o cargo afirmando que em 2015 as reservas do governo seriam de 66 bilhões. Mas no primeiro semestre nem chegou a 9 bilhões e agora já em Outubro estamos diante de um saldo de pelo menos 51 bilhões NEGATIVOS!

O Ministro de Dilma deveria ter dito:

"Não temos caixa. Mas vamos deixar o caixa em aberto que se continuarmos gastando assim dobraremos o rombo no final de 2015". 

Quanto a seus conhecimentos científicos, Dilma foi demonstrar seus elevados conhecimentos em física, ao propor para os membros da ONU a criação de tecnologias que proporcionem o "armazenamento do vento", como meio de gerar uma nova fonte de energia natural sustentável.


Tudo isto é um claro sinal de que Dilma está isolada, mal assessorada e age por impulso sem conhecimento técnico mínimo para uma estadista. Seus discursos são pra lá de "embromation", ou "enrolation". Veja esta conversa com jornalistas:


Sobre o pronome "Presidenta"

A polêmica sobre a sexualização do adjetivo já pode ser encerrada?

Sim, levando-se em conta que o termo "presidenta" era usado no tempo em que farmácia se escrevia com "PH" no lugar do "F". Por esta razão, deve-se levar em conta que a língua portuguesa já sofreu uma longa sequência de modificações e correções. Não é uma palavra usual hoje mas existe, à pesar de ter caído em desuso. (mas como Dilma preferiu ser tratada assim... ) Mas fica claro que ninguém precisa mudar o sexo para todas as vezes que a presidente de uma organização qualquer for citada.

Artigo em Destaque

Pra quem reclamar quando autoridades estão ligadas aos criminosos?

Quando você se vê atingido por uma autoridade usurpadora do teu próprio direito, a quem reclamar, quando você sabe que a autoridade máxima ...

Leia também: