sábado, agosto 08, 2015

O Lumiar da violência e a superpopulação das cidades no mundo - Saulo Valley Blog

Tempos difíceis com violência se tornando mais promovida que o sexo nas mídias globais, no entretenimento, nos centros urbanos e rurais LEIA MAIS

Senhora armena de 106 anos de guarda protege sua casa - Elderly Armenian Woman Guards Home- Fonte: United Nations Photo Creative Commons
Por Saulo Valley - O Observador do Mundo - Rio de Janeiro, 08 de Agosto de 2015 - 09:52 GMT-3

Os níveis de barbaridade humana já se superou de longe em todas as regiões do globo. Não há mais lugares que antes podíamos chamar de "pacatos e tranquilos". Estamos atravessando um tempo de grande agitação movida pela ganância e a disputa pela sobrevivência. Este descontrole da violência já atinge não só os grandes centros urbanos, mas também as pequenas cidades, vilas, aldeias e zonas rurais.
 O número de habitantes no planeta pode ser a causa deste crescimento e responsável também pela escassez progressiva de recursos e riquezas naturais. Nossas riquezas vão se esvaindo juntamente com o ouro, o petróleo, as pedras preciosas, semi-preciosas, o dinheiro...  e agora os recursos básicos como a água, a energia elétrica e até roupas e os alimentos.

As pessoas andam se alistando em qualquer gangue, quadrilha, milícia, força policial ou exército visando melhor remuneração. Nem mesmo importa se para isto será necessário sacrificar suas próprias vidas, nem a vida das outras pessoas. Nem mesmo importam-se com o número de vidas que deverão ser sacrificadas para que seu "punhado de recursos seja garantido."

Mas esta observação é no sentido horizontal. Mas não significa que no sentido vertical seja diferente. Apenas o que muda é o montante envolvido e cobiçado. Presidentes, reis, políticos e demais autoridades secundárias... todos visam uma grande porção de recursos financeiros e muitos bens.

O crescimento da tecnologia abre a corrida pela aquisição do carro mais moderno, o celular, o relógio, a casa, o helicóptero, o avião, a empresa mais poderosa e por fim: os mercados mais lucrativos. Todos querem possuir tudo praticamente sozinho. Há quem consiga se manter no topo do mundo. Pra isto existe a revista "Forbes". De um modo geral nós que estamos na linha horizontal não passamos de presas. Somos caçados pelos bandidos nas ruas, por policiais que forjam blitz e revistas com falsas suspeitas, por vizinhos gananciosos e invejosos que nos observam no dia-a-dia, por parentes que ambicionam nossas heranças, nossos recursos, por empresas que fornecem serviços massivos cheios de pegadinhas e armadilhas pra nos fazer gastar muito por quase nada... Somos a massa e também nos matamos entre nós pelos mesmos interesses em proporções menores..

Caos total. Derramamento de sangue e destruição de vidas como se não fosse nada. Estamos revivendo o início de uma era bárbara e poucos resistirão. O mundo não acabará. Apenas uma grande quantidade de pessoas morrerá nas mãos da violência ou desaparecerá para dar algum lucro para alguém.

O que devemos fazer?  Esta era parece estar apenas começando., Se hoje estamos assim, dentro de 20 anos estaremos todos em guerra generalizada e estaremos derramando sangue por qualquer fútil razão ou centavo.

A conscientização das massas deveria ser uma campanha a ser desenvolvida pelos governos, pelas ONG e pelas mídias, mas quase todas estas organizações estão ocupadas demais chupando sangue humano inocente, para se ater a simples propaganda pela salvação das vidas.

Grandes líderes mundiais já observam esta violência toda como positiva. Para eles quanto mais pessoas morrerem, mais recursos sobram para os que estão no topo das camadas e sentem-se livres desta perseguição predatória. Para estes, a superpopulação de pobres no mundo só pode ser combatida com a mortandade gratuita e aleatória. Cada país observa este problema com atenção e expectativa. Se a situação fugir ao controle, logo será necessário recorrer à armas de guerra. Genocídio hoje em dia já não é tão ruim aos seus olhos (afinal alguém tem que morrer neste mundo superlotado - pensam).

Ninguém pensa em defender as vidas alheias. Todos visam a si mesmos e seus interesses. Isto é um sinal de que somos um bando de zebras cercados e observados por bandos de leões que aguardam a fome chegar...

Domínio Público - Autor Desconhecido

As pessoas precisam desistir da violência e da ganância. As pessoas precisam entender que nem todos nasceram para ser milionários nem ricos, e que a vida simples também é um modo de vida honrado. Ninguém deve sentir vergonha de ser simples. Mas a atual situação faz as pessoas te olharem como um "pobre coitado", quando você não possui um carro, uma casa, roupas e jóias caras e não desperdiça dinheiro...

A maioria das pessoas que aparecem esbanjando dinheiro e riquezas, só o fazem porque tomaram de alguém que trabalhou muito para conquistar. Se você concorda com eles, então o círculo vicioso da violência está fechado e a roda está formada. Agora que ela começa a girar, lembre-se que você poderá ser a próxima vítima.

Viva e valorize a vida e não demais as riquezas.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: