sábado, dezembro 27, 2014

Síria Warfare: 4 Anos De Mortandade. Até Quando?

Desde 15 de Março de 2011 a revolução contra o presidente sírio Bashar Al-Assad vem derramando sangue como se fosse água de chuva tempestuosa. Milhares de milhares de mulheres e crianças, jovens e adultos assassinados e uma renovada campanha contra o atual regime do país. À caminho do quarto ano o conflito tem produzido escândalos, pavor, desespero, angustia e morte sem limites e, como já se viu em todos os anos passados, não há trégua que possa dar fim à crise e silenciar as armas e explosivos diariamente despejados sobre todos, sem discriminação. LEIA MAIS:

Por Saulo Valley - O Observador do Mundo - Rio de Janeiro, 26 de Dezembro de 2015 - 21:10 GMT-3

Imagem gentilmente cedida por "Syrian Revolution 2011"

Imagem gentilmente cedida por "Syrian Revolution 2011"
   A rotina na Síria é sempre a mesma: Passeatas antigovernistas, bombardeios, explosões, mortes, velórios, enterros e a miséria de sempre. Estamos indo para o quinto ano de massacres e crimes violentos contra tudo e todos sem que nenhuma autoridade internacional conseguisse impedir este absurdo derramamento de sangue. A situação humanitária já é um caos em si e ainda nos resta a mesma pergunta sem resposta, entra ano, sai ano:"Até quando?"

   

Enquanto a resposta não chega o saldo diário de mortes chega a ser alarmante. Civis, opositores e pró-governo soterrados constantemente após ataques aéreos ou bombardeios. O conflito isolado em grande parte em áreas residenciais quase que abandonadas, ainda deixa pilhas de mortos todos os dias. Incontáveis vítimas, muitas delas nunca encontradas dentre os escombros.

No vídeo ao lado tratores trabalham para retirar os escombros de um prédio demolido por bombardeio aéreo da Força Aérea Síria. O ataque aconteceu na região de Gouta, subúrbio de Damasco nesta sexta dia 26/12/2014. Áreas residenciais convertidas em campo de batalha.

Imagem gentilmente cedida por "Syrian Revolution 2011"
   Enquanto as mortes não cessam uma infinidade de novas adesões ocorrem todos os dias, marcados pelos anúncios da formação de novos batalhões de voluntários armados que militam à favor da oposição e rejeição do sangrento governo do clã Assad.  Para cada novo voluntário soma-se pelo menos uma mulher e uma criança entre as vítimas desta horrenda guerra à possibilidade dele mesmo ser alvejado (junto com sua família).

   Foto: Apesar da mortandade crescente e constante, novos voluntários se unem à cada novo dia em busca de retirar do poder o presidente Bashar Al-Assad e seu partido Ba'ath.

   Somado a tudo isto, a guerra da Síria ainda envolve os Estados Unidos e aliados contra o ISIS/ISIL. Muita violência. Muito ódio e frieza, enquanto que nem a ONU, nem a Liga Árabe, nem a cúpula do CCG (Estados do Golfo).

   Ilhados no impasse global. Trancafiados em seu próprio pesadelo, o povo sírio não pode contar nem mesmo com os acampamentos, que em sua maioria acabaram se transformando em campos de concentrações abertos ao público. Quem se arrisca a buscar estes ligares, certamente não vai encontrar um oásis, mas um novo front de batalhas contra a vida civil.

   Hoje a guerra da Síria completa 3 anos, 9 meses, 1 semana e 5 dias. Síria Warfare 2015, até quando?

Tags: Bashar al-Assad, Partido Ba'ath, SÍRIA, Guerra, violência urbana, bombardeio aéreo, #massacre destruição e morte, ORIENTE MÉDIO, Saulo Valley, O Observador do Mundo, 

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: