terça-feira, novembro 18, 2014

Corrupção presidencial abala política nacional e estimula golpes de estado em 2014

   O Brasil votou. Escolheu seu candidato dentro das opções que tinha entre Dilma e Aécio. Mas o jogo político brasileiro anda mais sujo que puleiro de galinheiro e as manobras para assumir o topo do poder estão em pleno andamento. O primeiro plano é invalidar a reeleição de Dilma Roussef - SAIBA MAIS


Manifestantes protestam em frente ao Congresso Nacional contra gastos na Copa, corrupção e por melhorias no transporte, na saúde e educação - Fonte: Jose Cruz/ABr - Agência Brasil via Wikipédia CC.
Por Saulo Valley - O Observador do Mundo - Rio de Janeiro, 18 de Janeiro de 2014 - 11:25 GMT-3

   A análise das contas da administração Dilma Roussef tem sido uma espécie de trunfo para a oposição. Uma vez que os gastos do governo já são relatados por terem se multiplicado em relação à própria receita do governo. Uma verdadeira farra! O site G1 aponta que em 2014 os gastos públicos  em função das campanhas eleitorais terminaram no pior relatório financeiro dos últimos 11 anos, ou seja desde que Lula foi eleito em seu primeiro mandato!

   Gastos e desvios. Escândalos arquivados por manobras do PT que se habituou a criar CPIs para incriminar seus opositores, com a intenção de abafar as CPIs envolvendo membros ativos do partido e do governo Dilma. A corrupção deslavada tem sido clara e visível a olho nú. Enquanto que nas ruas as mentes cauterizadas já dizem que "isto é normal", ou que "a política é assim". Enquanto que multidões arranjadas vão às ruas pedir a volta da ditadura militar, como se isto fosse acabar com a corrupção de alguma forma. Só vai fazer a corrupção ser lacrada em cofres militares, a liberdade de imprensa e expressão serem canceladas e da poder absoluto para pessoas armadas até os dentes, como no caso do Egito antes de 2011.  Lembrando que em 2011 quando houve uma manifestação na praça do Cairo pedindo o fim da corrupção, o ditador Hosni Mubbarak ordenou que aviões caças bombardeassem os 3 mil manifestantes que gritavam nas ruas por justiça. Este é o poder que queremos dar para os militares?

   Aécio Neves não tem muitos álibis. Sua ficha suja já se estende justiça à dentro enquanto seu partido luta para impedir sua acusação formal por corrupção no caso das doações das empreiteiras do "lava-jato". E agora, quem poderá representar o Brasil no palácio do Planalto?

   O jornalista político Luis Nassif aponta um esforço em andamento para a concretização de um golpe para derrubada de Dilma, articulado pelo presidente do STF Antônio Dias Toffoli. Este mesmo personagem gravou nesta segunda uma participação no Programa do Jô que irá ao ar nesta madrugada de terça (18). De acordo com o site G1, a entrevista abordará temas como os "o que motivou os desvios da Petrobrás".

   Dilma por sua vez tenta induzir o povo brasileiro a se calar diante dos escândalos de corrupção da Petrobrás:


   A estratégia de Dilma não é nova, nem diferente da utilizada por Fernando Collor de Melo quando se viu diante de um gigante esquema de acusação de corrupção e tráfico de influência, sem falar no confisco da caderneta de poupança: Dilma pediu a abertura da investigação da crise da Petrobrás já que os excessivos gastos da mega empresa quase sucateada, tem relação com a campanha presidencial da própria Dilma.

Tags: DILMA ROUSSEF, corrupção política, Aécio Neves, campanha presidencial, ELEIÇÕES, TRE, STJ, CPI, Saulo Valley, O Observador do Mundo, PT, Impeachment, golpe de estado, 

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: