domingo, julho 20, 2014

Animais domésticos abandonados ainda reflete falta de conscientização

Talvez você caminhe pelas ruas de seu bairro e não encontre mais que um ou dois cães ou gatos perdidos ou deixados. Mas existem no Brasil, lugares que são verdadeiros depósitos destes pequeninos e frágeis sobreviventes urbanos. CONTINUE LENDO:

Fotografia: Autor Desconhecido - Domínio Público
Por Saulo Valley - O Observador do Mundo - Rio de Janeiro, 20 de Julho de 2014 - as 08:45 GMT-3

Se os bairros de luxo são limpos e organizados, os bairros sem luxo é que pagam a conta. Regiões afastadas dos grandes centros acabam se transformando em verdadeiros depósitos de animais domésticos deixados para morrer ou serem adotados por algum pedestre solidário.

Aqui, o ditado famoso que diz que : "O Cão é o Melhor Amigo do Homem" não tem qualquer relevância, já que há muitas pessoas que apesar de adotar um animalzinho ainda bebê, não consegue se adaptar ao convívio, ou por questões de espaço, geralmente busca se livrar do "excesso de bagagem" para desfrutar de uma vida mais harmoniosa consigo mesmo. O fato é que cada vez mais se prova que "O Homem é o Pior amigo do Cão". Nessa mão de única via, encontramos a realidade nua e crua das ruas.

Gato bebê abandonado na Freguesia - RJ - Foto: Saulo Valley
Este gatinho recém-nascido foi deixado na Estrada do Gabinal, em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro e miava tão alto, que apesar de minúsculo não tinha como passar desapercebido. ...E foi isto que o salvou. Logo foi recolhido por uma empresária e adotado antes que a foto do bichano fosse publicada no Facebook em busca de um adotador.  Após um bom prato de leite, o rapazinho dormiu quase dois dias inteiros.

Principais "asilos" do estado do Rio

Regiões como Sepetiba, Pedra de Guaratiba, Nova Iguaçú, São João de Meriti e Caxias, Vassouras, também a Região dos Lagos, são verdadeiros purgatórios de cães e gatos abandonados. A maioria dos lugares escolhidos pelos ex-criadores para abandonar seus animais nas ruas, é ou foi reduto de veranistas.  Há muitos deles que compram ou adotam animais para ajudar a tomar conta das casas de veraneio, onde os proprietários visitam poucas vezes ou raramente.  Aí temos mais um problema gritante e social: Muitos deste animais deixados em cativeiro em casas de veraneio, também ficam isolados, maltratados, doentes e famintos. Então o veranista chega num fim de semana, encontra seu animal doente, ou morrendo e lança o coitado nas ruas e adota outro, maior, mais jovem e mais forte. Simples assim.

Imagina os lugares que há 20 anos era uma paraíso turístico, o endereço preferido dos veranistas nos seus ensolarados fins de semana?

Em Bucarest os cães de rua são marcados e monitorados "Cães vadios crosswalk" CC BY-SA 3.0 cortesia: Columbo222
Tempo de mudança

A mudança está toda arrumada no caminhão, mas não há como transportar os animais na boléia, ou mesmo na cabine. Também não há como transportá-los usando meios públicos, como trens e ônibus..  A "solução" quase sempre é abandonar a criatura nas mãos do destino. Certamente quem faz isto já se programa: "Quando chegar na casa nova vamos arranjar outro". Assim acontece o milagre da "multiplicação de cães" nas ruas.  Na verdade quando isto acontece a única coisa que muda mesmo são os móveis.

Cães de rua de Vassouras/RJ - Foto cedida por Thuany

Realidade no Mundo

A realidade verdadeira é que as estatísticas mostram que os maiores índices de animais domésticos abandonados são percebidos nos países em desenvolvimento. A Índia é a grande campeã, com a grave realidade que cerca de 35 mil pessoas por ano morrem da doença da raiva, ocasionadas por mordidas de cães de rua.

No Brasil esta doença chega a ser controlada. De acordo com o Ministério da Saúde, em 2012 foram registrados 400 casos. Mas o Mês de Agosto está às portas e neste período quase que 100% das cadelas entram. Este fenômeno urbano leva milhares de cães a brigar por uma fêmea, podendo causar muitos ferimentos no cão adversário. É aí que mora o grande perigo. Este momento é o mais tenso, e é quando a raiva canina tende a se projetar no meio humano, como alerta a Dra Greyce Lousana no site "esteticderm".

A castração dos animais de rua, bem como oferecer cuidados em geral, contribui em muito para atenuar o problema, principalmente em locais aonde são encontrados grandes despejos de lixo nas ruas e lixões. Levar seu animal para a vacinação periódica também é uma importante e salvadora atitude. Agora: Lutar para erradicar o abandono de animais domésticos nas ruas é um dever de cada um de nós. Faça a sua parte!

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: