quarta-feira, março 12, 2014

Ucrânia: Guerra cibernética e ataques virtuais são destaques das novas ações russas.

A exemplo do que aconteceu na Síria, a guerra cibernética russa está no ar, inclusive com a clonagem do canal do "Anonymous Ukrania". Tudo para confundir e tirar as pessoas do foco de apoiar o governo da Ucrânia. A guerra no campo virtual que já começou desde o início das manifestações, agora ganham força como estratégia de combate, que além de minar os sites operacionais do governo ucraniano e seus importantes funcionários, também visa atrapalhar as atividades militares neste campo.

Campanhas pró-ucrânia estão sendo sabotadas nas redes sociais. A multiplicação de perfis falsos de Twitter e Facebook com falsas declarações, a disseminação de páginas de internet e blogs com mensagens difamatórias contra Ucrânia e distorções com bases em informações verídicas.

Gerador de Energia da Base Aérea de Balbek (ocupada) em chamas por volta das 03:30 desta madrugada
O bloqueio de mídia e internet na Ucrânia e Criméia já é facilmente percebido, além dos ataques físicos aos equipamentos que correspondem à área da computação como nesta noite o gerador da Base aérea de Belbek na Criméia foi sabotado, interrompendo o serviço de vigilância eletrônica da base militar que apesar de estar sob controle dos russos, estes convivem com as tropas locais.

Invasão da Ucrânia

Lentamente as forças russas (cada vez mais organizadas na Criméia) vão ocupando regiões mais próximas da fronteira da Ucrânia. Nesta quarta, uma grande quantidade de blindados russos, equipamentos pesados e uma quantidade contínua de soldados chegaram no centro da cidade costeira de Kerch, a região da Criméia mais próxima da Rússia, cujo acesso de um país para o outro é muito favorável e fácil. Do lado da Criméia fica o Pôrto de Kech. Do outro lado da Baía, o Pôrto russo de Caucasus.

)


Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: