segunda-feira, março 10, 2014

Criméia: Expectativa ruim para o referendo armado para 16 de Março sob invasão militar - Atualizações

A estratégia russa está longe de ser revelada. Silenciosamente milhares de soldados de verde ou de camuflado trazendo máquinas similares às máquinas ucranianas. Eles ocupam as bases militares e quando não confiscam as máquinas do local, substituem por outras iguais. "Tudo para parecer que está tudo normal, ou para criar confusão no momento da esperada reação ucraniana"?

Por Saulo Valley - O Observador do Mundo - Rio de Janeiro, 10 de Março de 2014 as 14:11 GMT-3

Soldados da Unidade A-2355 testemunharam uma das mais difíceis situações que um militar pode passar em seu domicílio. Topas russas marcharam em direção ao quartel mas ordens superiores eram para "não disparar e para ficaram dentro dos alojamentos". Quando os russos chegaram no portão principal da unidade, os guardas não sabiam o que fazer. Eles ordenavam que o portão fosse aberto, enquanto que a função da guarda do portão das armas é impedir o acesso de estranhos, muito mais de invasores internacionais. Usando a frente do caminhão os russos forçaram o portão para derrubá-lo e os soldados ucranianos correram para criar um cordão (escoras humanas) atrás do portão para sensibilizar os invasores. Depois de muita gritaria, ameaças de tiroteio e troca de ofensas, os soldados russos decidiram pular o muro do quartel e abriram por conta própria a unidade. Os guardas do quartel foram ordenados pelos russos que entrassem para o alojamento que ninguém seria machucado.


Eles disseram que só queriam as armas dos ucranianos para não serem surpreendidos quando menos esperassem. Mas que os soldados nativos podem ficar ou ir pra Ucrânia!

   A crise da Criméia poderia ser chamada de "A Guerra da Criméia" só não é porque uma das partes envolvidas se mantém recuada e a população experimentada em outras batalhas passadas violentas na região alertam: "O CENÁRIO É O MESMO DA GUERRA DA GEÓRGIA. TODOS DIZEM E FAZEM AS MESMAS COISAS"


De acordo com o Ministério da Defesa da Ucrânia, o silêncio do governo ucraniano para a invasão russa está seriamente ligado ao passado. Para ser mais exato, todas as batalhas travadas na região da Criméia só provocaram derramamento de sangue para os dois lados sem que sobrasse quase ninguém para contar a história. Estas são histórias dramáticas que deixaram o povo da Criméia traumatizado demais, juntamente com o povo ucraniano, que espera que a situação seja resolvida no modo mais pacífico possível.

Video: (Em russo) Soldado russo infiltrado na Criméia conta que foi convencido que a Ucrânia havia sido ocupada por terroristas neo-nazistas e por esta razão está na Criméia por "auto-defesa":


A maioria das pessoas e soldados russos que apoiam a invasão russa o fazem com base na propaganda de Moscow de que Kyev foi ocupada por políticos "radicais extremistas neo-nazistas" que vão tornar a vida da população (já traumatizada da segunda grande guerra) em um grande pesadelo. Por esta razão as manifestações à favor da Rússia são maiores, até que o povo descubra que fora enganado, não haverá mais chances de retornar, já que Putin deverá isolar o país sob um regime militar comunista e punhos de ferro.

Como já disse antes toda reação da Ucrânia está baseada na seguinte questão:

"Quanto sangue será derramado e o que isto contribuirá para a Ucrânia?"

A tensão ucraniana está concentrada na Criméia e nas suas fronteiras. A disseminação de soldados russos e a certeza de traição ao povo russo por parte de políticos e 1 militar local, o Comandante Avtobata que vive embriagado, é acusado de "abrir a porta da frente" da Criméia para os russos entrarem. Apontado até o momento como único militar traidor nas forças ucranianas, e que teria vendido a Criméia para Putin. Em um vídeo exposto no Youtube, o militar confessa sua traição. Segundo ele a razão para literalmente vender o país, é que sua família esta sendo ameaçada por forças russas infiltradas.



Numa rede social, anexada a foto do navio americano encontrei esta mensagem:

"O governo russo saúda a chegada do destroyer americano USS Truxtun (anti-mísseis) a se juntar com o USS Bush na baía Negra."

A situação está "calma" porque nenhum confronto é esperado até 16 de Março. Logo após o referendo a situação poderá ficar muito ruim para o povo da Criméia, mas pode piorar ainda mais na relação Rússia - Ucrânia.

Só pra você ajustar o seu relógio, a guerra costuma acontecer ao anoitecer. Agora são 15:34 GMT-3 e na Criméia são exatos 20: 40

continua

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: