segunda-feira, fevereiro 24, 2014

Ucrânia aguarda a decisão da justiça e Ex-ministra quer a volta dos protestos


Por Saulo Valley - O Observador do Mundo - Rio de Janeiro, 24 de Fevereiro de 2014 - 08:19 GMT-3
Atualização: 10:38



No dia 22 de Fevereiro de 2014 o presidente americano se pronunciou a respeito da crise ucraniana por meio do secretário de Imprensa da Casa Branca que reconheceu "a escalada" de violência no país. O governo americano afirmou que tem "acompanhado de perto" a situação política do país e pediu mais urgência na antecipação das eleições e pediu a "libertação da ex-ministra Yulia Tymoshenko", mantida internada num hospital da prisão:

Daqui para frente, vamos trabalhar com nossos aliados, com a Rússia, e com as organizações europeias e internacionais apropriadas para apoiar uma Ucrânia forte, próspero, unificada e democrática. Daqui para frente, o povo ucraniano deve saber que os Estados Unidos valoriza profundamente os nossos laços de longa data com a Ucrânia e vai apoiá-los à medida que seguir um caminho da democracia e do desenvolvimento econômico. Declarou a Casa Branca.
Citando a AFP como fonte que disse que neste domingo o atual presidente do parlamento ucraniano Oleksandr Turchynov foi escolhido e eleito para o cargo de presidente interino, no lugar de Viktor Yanukovych derrubado há 2 dias agora procurado por assassinato em massa está foragido.


Numa entrevista concedida a agência NTDTV, manifestante russa diz que protestos na Ucrânia servem de inspiração para os manifestantes russos.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: