terça-feira, janeiro 14, 2014

México: Guardas Comunitárias e Milícias se expandem para enfrentar os cartéis

ACONTECE AGORA - Clima de enfrentamento. Confronto entre populares e exército mexicano na tentativa do governo de desarmar população decidida a fazer sua própria defesa contra os cartéis. 4 mortos nesta Terça - SAIBA MAIS: 

Populares se preparam para enfrentar polícia e exército e impedir o desarmamento dos grupos armados em Michoacán
nesta Terça 14-01-2014 -  Foto cortesia da comunidade de Michoacán.
Por Saulo Valley - O Observador do Mundo - Rio de Janeiro, 14 de Janeiro de 2014 - 21:37 GMT-3

2013 foi o ano da explosão das polícias formadas por populares e índios cansados de esperar uma ação definitiva das autoridades mexicanas enquanto assistem gigante derramamento de sangue, extorsão e todo tipo de coação. Enquanto as polícias parecem cada vez mais cheias de bandidos, os cidadãos mexicanos decidiram sair em defesa própria e enfrentar os violentos cartéis, enquanto o governo nada pode fazer, mesmo com toda infraestrutura e capital...

RESISTÊNCIA POPULAR

Um dos nomes mais comentados atualmente, e que certamente tem inspirado a formação de novas milícias mexicanas é o médico "José Manoel Mireles Valverde". Fundador e "comandante da guarda voluntária da cidade de Michoacán. Os populares cada vez mais armados vão se organizando dia-após-dia sob o comando do Doutor Meireles, sobrevivente de um sério acidente aéreo que quase o matou no sábado retrasado. Meireles foi médico da Cruz Vermelha da Califórnia até que se converteu num ferrenho líder comunitário armado.

Enquanto isto entre os rebeldes o que se fala é: "É proibido se Render!"

Determinação do governo

Nesta segunda última, o governo federal do México ordenou que todas as milícias deponham suas armas e voltem para suas casas. A determinação foi ainda mais enfática no tocante ao grupo formado por Mireles, batizado de grupo de "auto-defesa de Michoacán". Com múltiplas fraturas cranianas, ainda sete costelas e duas vértebras quebradas, o audacioso médico decidiu atender à determinação do governo federal e convidar ao grupo para entregar suas armas. Recém saído da UTI pediu transferência para um hospital na cidade do México, citando o site noticioso "excelsior"como fonte.

No meio da confusão entre forças policiais e manifestantes pró-justiceiros, um soldado do exército atira num jovem desarmado:


Mas neste exato momento o Exército mexicano e a polícia estão realizando operações para desarmar os moradores de Michoacán. Massiva manifestação na "Plaza de Armas" (Praça das Armas) e já á pelo menos 4 civis foram sitados como mortos em confronto com as forças do governo. Está acontecendo uma resistência popular em diversas regiões mexicanas aonde as milícias populares são mais fortes, como El Paso. Na região de Tierra Caliente a tensão forçou as empresas de ônibus a recolher os carros.

O cenário é de guerra relembra o início da revolta popular contra o regime da Síria. O vídeo à seguir mostra o gigante comboio de carros pesados enviados para enfrentar os populares armados de Michoacán nesta Terça 14 de Janeiro de 2014:


Guarda Comunitária de Guerrero no Peru - Cortesia: "anticapitalistes.net
Os grupos de foras-da-lei mais bem sucedidos estão sendo copiados em regiões vizinhas aonde o narcotráfico antes dominava. O dever do governo é dar segurança para o povo mexicano, enquanto que combate o crime organizado. Mas na verdade o que se vê é muito oposto. As autoridades mexicanas não são capazes de proteger as famílias e muito menos de impedir a cada vez mais profissional e disputada guerra do mercado de drogas e armas clandestinas.

Campanha pela Guarda Comunitária de Guerrero no Peru - Cortesia: "anticapitalistes.net"
Internacionalização dos cartéis mexicanos

O que já não é novo é que jovens de todos os países, em especial os latinos estão se alistando para os cartéis por meio da internet. Frequentes alarmes de jovens desaparecidos, as vezes tão inocentes escondem a realidade de que muitos deles deixaram suas casas voluntariamente e seguiram para o México sem olhar para trás nem deixar recado.

Mas no caso das polícias populares não são só os filhos que abandonam suas casas em busca de ingressar numa milícia armada, são também os chefes de família. Enquanto os jovens são atraídos para os cartéis por propostas de altos salários, status e adrenalina, os chefes de família são atraídos pela promessa de libertação de suas comunidades e nenhuma remuneração, a não ser a recuperação do direito de ir e vir.

No Peru a crescente formação de guardas comunitárias, levou as autoridades a oferecer emprego, estabilidade e infra-estrutura para os atuais justiceiros. Mas grupos como os da cidade de Guerrero, aceitar a estatização da guarda seria entregar "o controle" para o governo e ao mesmo tempo, se os salários fossem aceitos, a gurda deixaria de fazer sentido, já que o foco é fazer justiça com as próprias mãos e por meios próprios".

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: