quinta-feira, janeiro 16, 2014

México: Decididos a não baixar armas milícias já falam em Revolução

Vazou na net um vídeo gravado recentemente contendo uma entrevista com o Doutor Mireles, líder dos "Grupos de Autodefesa de Michoacán", negando que aceitou entregar as armas para as tropas do exército mexicano. Por ordem do Governo, Tropas do Exército marcharam para Michoacán em uma operação conjunta com as forças policiais locais nesta última terça, a fim de desarmar os revoltados com o fraco esforço governamental para impedir a ação livre do cartel "Cavaleiros Templários".



Por Saulo Valley - O Observador do Mundo - Rio de Janeiro, 16-01-2014 as 12:04 GMT-3
Atualização 17 de Janeiro de 2014 as 08:24

A revolta popular armada contra o crime organizado ficou bem nítida quando há 3 dias o governo mexicano decretou o desarme da população de Michoacán, que busca patrocinar sua própria segurança, em defesa contra os Cavaleiros Templários, o poderoso cartel de drogas e crimes bárbaros que atua na região. 

Durante a ação policial nesta terça na região, 4 pessoas foram citadas como mortas, entre elas 2 civis (um adulto e um menor) além de 2 milicianos que se negaram a baixar suas armas durante a tentativa de entrada das forças federais na cidade. O acesso foi bloqueado por moradores (a maioria formada por mulheres) que
conseguiram barrar o exército que, ao contrário do que foi pregado pela mídia, não ocupou a região. O "Observador do Mundo" teve acesso a fotos de pessoas dos mortos e a vídeos que não podem ser tornados públicos por causa das regras da internet.





Atualização 17 de Janeiro de 2014 as 08:24

É importante destacar que o governo mexicano tem se utilizado de grande repressão contra a mídia local, distorcendo e manipulando o conteúdo publicado ou exibido pelas agências de notícias.  Por exemplo enquanto que as agências dizem que o número de lutadores voluntários de Michoacán chega a 25 mil, o Dr. Meireles afirma que são pelo menos 145 mil populares armados para fazer justiça com as próprias mãos e se defender dos Cavaleiros Templários. O Instituto Knight, que pertence à Universidade do Texas, aponta que os jornalistas internacionais que foram para Michoacán cobrir a crise neste fim de semana foram impedidos de fazer seu trabalho pelas forças governamentais. Sim, os jornalistas foram detidos, como denunciou o Centro Knight. Outra atualização que podemos destacar é que como o exército estava tendo dificuldade para ocupar a região, a Marinha também foi solicitada como reforço. Neste momento acontece um forte bloqueio de mídia.

A guerra declarada dos grupos de autodefesa contra os Cavaleiros Templários:

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: