domingo, dezembro 22, 2013

Síria mata 425 civis em 18 dias de bombardeio nas residencias de Aleppo por barris de TNT

A cidade de Aleppo vive dias tão ruins quanto Homs, mas nestes dias o despejo de barris de TNT tem levado centenas de mulheres e crianças a morte por soterramento ou pelas explosões. Incursões militares nas cidades rebeladas tem sido praticadas como forma de reaver o controle dos redutos rebeldes que foram "emancipados" desde o inicio da revolução em Marco de 2011.

Por Saulo Valley - O Observador do Mundo - Rio de Janeiro, 22-Dez-2013 as 21:17 GMT-3

Os bombardeios por barris de TNT tem sido registrados desde o dia 22 de Novembro e de la pra cá, os remanescentes desta violenta guerra civil, estão vivendo refugiados sob os escombros e ruínas da cidade como ratos. Exatamente o termo utilizado pelo regime sírio, quando em 2011 ameaçou exterminar a todos que se opusessem ao seu governo, que alias esta no poder desde o ano de 2000, quando herdou o governo de seu pai, que estava no poder desde 1966. Um regime de sangue e opressão imposto para todas as pessoas nascidas no lado de dentro de suas fronteiras. Um guerra contra o direito de votar e escolher o seu próprio destino.   Não ha perspectiva de um Feliz Natal para o povo da Síria. Ha sim/ uma certeza de que a cada minuto uma pessoa comum e desarmada e morta dentro de sua própria casa, ou realizando tarefas rotineiras, como comprar pão, ir ao mercado...

As Nações Unidas sabem muito bem desta realidade, mas não encontra meios de motivar seus estados-membros a agir de forma definitiva pelo fim desta tragedia que já superou o massacre da Bósnia muitas vezes!  

Apesar do alarmante numero de mortos em Aleppo, este saldo chega a ser pequeno se comparado com as estatísticas dos últimos 70 dias. Relatórios divulgados por escritórios de direitos humanos na Síria apontam para o saldo de mais de 1000 pessoas mortas na mesma Aleppo.

O sofrimento é imposto até aos voluntários estrangeiros.

No mês de Novembro do ano de 2012 o Doutor Abbas Khan (32), medico britânico viajou para a Síria com objetivo de prestar socorro as vitimas da guerra. Ele foi reportado como preso pelo regime sírio e as razoes da prisão não foram sabidas. Apos 12 meses de prisão agora chega a noticia que ele morreu enquanto estava detido.

O regime sírio alegou que o medico se suicidou.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: