quarta-feira, dezembro 11, 2013

Argentina: Greve policial continua e onda de saques ja deixou 9 mortos pelo menos.

Ao completar 1 semana de greve, a policia de Córdoba, que decidiu suspender a prestação deste essencial serviço a comunidade, exige melhores condições de trabalho e salários. Na sombra desta luta por seus direitos, a cidade fica desprotegida dela mesma e populares comemoram a facilidade de entrar e sair das lojas levando tudo sem pagar nada!

Por Saulo Valley - O Observador do Mundo - Rio de Janeiro, 11-Dez-2013 as 07:45 GMT-3

A estatística de mortos cresce com ridícula realidade de que pessoas foram mortas pisoteadas durante alguns saques realizados nas províncias de Chaco, Jujuy e Tucuman. No total, 10 províncias argentinas estão em completo desespero em consequência da greve da policia que subsequentemente tem elevado a violência ao limite do caos e da mortandade, semeado insegurança, panico e alarmantes prejuízos financeiros. 

Com a greve policial, a cidade tem se tornado louca. Num flagrante gravado no dia 03 deste mês, enquanto que saqueadores tentavam escapar de uma loja ao ouvir o som de sirene policial, um homem a paisana saca de sua arma e começa a dar tiros para o alto com a intenção de afugentar os saqueadores.


 Estes por suas vezes parecem uma comunidade de formigas. Eles saqueam dia e noite sem descanso. Sem qualquer dificuldade.


Outra modalidade praticada pelos criminosos e a interrupção das rodovias para assaltar motoristas e saquear caminhões. Tudo isto com uma grande plateia que acompanha a tudo como se fosse um jogo de futebol: 


Ate agora foram registrados mais de 100 feridos. Nas ultimas 24 horas pelo menos 40 pessoas ficaram feridas. Entre os casos de morte, alem das pessoas que foram pisoteadas pelos saqueadores durante a tentativa de escapada de lojas, ha também 1 pessoa que morreu eletrocutada durante sua tentativa de saque. Ha pessoas feridas por armas de fogo entre outras ocorrências. O jornal "El Pais" contou 10 casos de mortes desde o inicio dos saques em consequência da greve policia.

A luta da classe policial pelo aumento de salario de 1000,00 pesos para 2500,00 pesos tem levado a argentina a loucura. A presidente Cristina Fernandez tem enviado reforços policiais para ajudar a reduzir a violência que já se tornou generalizada. O governo argentino acusa a grupos políticos isolados de se aproveitar da crise para prejudicar a imagem do governo, elevando o status politico atual para o patamar da anarquia. Vandalismo e saques já são incorporados a nova ordem popular e ate que o impasse do reajuste salarial seja resolvido, ainda muitas mortes serão registradas e prejuízos contabilizados, para o desespero da nação.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: