quarta-feira, julho 10, 2013

Índia: Estupros continuam sendo uma prática popular, como o futebol

A Índia vem se esforçando para mudar o curso da triste histórias da mulheres indianas, que não sabem mais o que fazer para escapar dos abusos sexuais. Os estupros acontecem dentro de casa, ou quando vão às compras, ou quando saem para trabalhar, ou quando voltam do trabalho. A mulher indiana não tem como se esconder desta tão humilhante realidade que a cerca, oprime e mata.

Por Saulo Valley - O Observador do Mundo - Rio de Janeiro, 10 de Julho de 2013 - 07:01 GMT-3

Enquanto que no mundo inteiro o raciocínio lógico de uma vítima de estupro seria buscar a polícia para alcançar apoio e proteção legal, na Índia as mulheres temem pedir ajuda a policia, já que o estupro é uma pratica quase desportiva dos militares.

Os turistas quando chegam na Índia são vistos como uma espécie de bônus. Uma comida atípica e não há quem não pense em ser o felizardo que vai se deliciar com aquela genitália estrangeira. E nesta sociedade de estupradores certamente há um submundo onde é possível classificar o nível dos abusos cometidos contra as mulheres, uma vez que a prática do estupro em veículos em movimento tem sido visto entre eles como uma ação de grande status.

Se a Índia fosse um país africano poderíamos pensar que estes homens imitam os hábitos dos animais selvagens já que eles é quem determinam se a vítima serve ou não para a prática. Como a rotina de um leão ou uma matilha de hienas que sai à procura de caça, todos os dias milhares de indianos vão para as ruas individualmente ou em bando à procura de uma presa fácil.

Normalmente os estupradores são seletivos. Eles procuram as mulheres mais bonitas, mais sensuais e que se encontrem em lugares que facilitam o ataque, sem oferecer perigo para eles.

Esta dura realidade tem se mostrado difícil de combater, devido à profundidade do enraizamento desta cultura. Deixando a prática do estupro de lado por um instante, vale a pena destacar que este ato violento e abusivo é apenas a consequência de um conjunto de ações de toda a sociedade, voltadas para a sexualidade e o sexo aleatório. Enquanto o casamento tradicional é tomado por regras e minúcias, ainda as barreiras que separam os apaixonados quando estão em lados opostos, socialmente falando.   Enquanto o casamento é uma realidade difícil de ser orquestrada, o sexo é uma prático muito desconectada, pois além de tudo é alimentado dentro de várias camadas do setor religioso. As orgias sexuais são de fato uma realidade também religiosa que ganhou força há milhares de anos, talvez antes da criação do famoso Kama Sutra.

A maioria das pessoas  estão tendo a oportunidade de estudar em universidades estrangeiras, e esta pode ser a base para que tantas indianas consigam ver o estupro com olhos diferentes de quem está na Índia em sua rotina cega.  São estas pessoas que acabam conseguindo perceber, de um ponto de vista exterior, que as mulheres devem ser tratadas de modo igual no mundo inteiro. Infelizmente não há notícias de que os homens indianos tenham sofrido qualquer mudança neste sentido. Se você se lembra do caso "Nirbhaya", percebe que entre os agressores havia um jovem que (por via de regra) deveria ter sido interpretado como "menor" e não enfrentaria o tribunal de justiça. Mas nesta terça-feira a côrte se reuniu para dar o primeiro veredito para 1 dos 6 estupradores da gangue que violentou brutalmente a linda jovem em um ônibus pirata em Nova Dhéli. Este fato terrível que aconteceu no dia 16 de Dezembro de 2012 foi o último milímetro do estopim aceso.

Continua...

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: