segunda-feira, junho 03, 2013

Turquia: Cresce violência com mortes, AK47 e explosões

A cena é no mínimo estranha: Soldados do Exército turco fazem distribuição de máscara anti-gás para os manifestantes enquanto que a polícia lança bombas de gás excessivamente. Uma prova que nem todas as forças convergem para o mesmo sentido da violenta repressão corrente no país, que o HRW condenou.


Soldado distribui máscaras para manifestantes Foto cortesia: #occupygezi
Por Saulo Valley - O Observador do Mundo - Rio, 03 de Junho de 2013 - 06:42 GMT-3

   Apesar do bloqueio local de mídia e a proibição cobertura das mídias oficiais turcas, a violenta repressão policial ganhou destaque internacional e atraiu protestos da Anistia Internacional, da HRW, dos Estados Unidos, da Síria...

   Os manifestantes até estranham quando a nuvem de gás lacrimogêneo acaba. Já vimos manifestantes perguntando: "Já acabou o estoque?"

Manifestante mergulhado em excessiva nuvem de gás lacrimogêneo - Foto cortesia: #occupygezi
   A demanda popular já ganhou novos clamores, entre eles o que mais se destaca é contra a violência policial e a repressão à liberdade de expressão e de imprensa.  Estes pequenos detalhes têm levado
manifestantes a caçar policiais. A violência inicial aplicada, agora tem sido devolvida e este foi o ingrediente que provocou a atual guerra civil na Síria. Neste domingo um manifestante resolveu perseguir carros blindados da polícia turca com uma escavadeira. Este é o exemplo de que desde agora em diante, a revolução turca alcançou um novo patamar. Como eles mesmos estavam dizendo nas redes sociais, "o maior desafio começaria agora."

   Há 10 horas tivemos a confirmação de que Mehmet Ayvatas é mais um manifestante foi morto. Não sabemos ainda a causa exatamente. Ele aparece caído numa foto, aparentemente após ter sido atropelado por um automóvel civil azul que parece ter sido lançado contra uma multidão de manifestantes por seu condutor, que logo foi perseguido pela massa.

Anonymous e o Hackerismo

   Os "anônymous" estão de volta à mídia global depois da vergonha que passaram ao prometer tirar o Facebook do ar, após terem constatado que a rede social vende informações dos usuários para os governos. Apesar de muitos ataques hackers e muitas datas remarcadas, o Facebook se tornou a maior rede social do planeta entre 2011 e 2012. Os Anonymous participaram ativamente da onda de protestos que varreu os Estados Unidos em 2012, que condenava o protecionismo governamental ao sistema financeiro do país. Na turquia a rede de hackers já foi citada pela agência russa "RT News" por ter invadido os sites do governo turco em protesto contra a violência aos manifestantes do Parque Gezi. Mas não há qualquer garantia que ao invés de Anonymous haja hackers especializados em Inteligência e Espionagem de algum país adversário do atual governo turco.

Video: O primeiro Ministro turco Tayip Erdogan tenta explicar sua filosofia de violência aos manifestantes para a "Sky TV 360º. 


Ele disse que "há algumas pessoas em particular na Turquia, essas pessoas são minoria e são contra tudo o que fizemos. Eles não querem que a Turquia se torne um país pacífico e desenvolvido. Seu objetivo em participar no protesto não é sobre árvores . Eles querem fazer um motim. partido da oposição desencadeou. Porque esta é a única coisa que lhes resta para ocupar o governo. público não os apóia mais ". disse Erdogan na entrevista.

Video: Agressão policial registrada


Fatos Estranhos:

   Outra grande mudança nesta revolta em relação às outras revoltas lançadas em 2011 e 2012, é que as pessoas estão escrevendo, ou falando menos na internet. Elas estão compartilhando informações por meio de fotos ou imagens e cartoons. Muitas imagens. Milhares de imagens que falam mais que milhares de palavras.

   Com tantas reclamações contra o governo, a onda de protestos que se instaurou na Turquia tem sido chamada de "Revolução Verde", apesar que muitas outras demandas continuam sendo largamente explanadas em diferentes locais do país.

   Uma mídia independente na turquia disse que durante uma passeata os policiais jogaram bombas de gás lacrimogênio enquanto as crianças se dirigiam para a escola, nesta segunda.

Outra fonte, o "odatv" apresentou imagens de uma viatura policial que havia sido atacada por manifestantes. Eles supostamente encontraram alegadas armas de fogo AK47 de fabricação russa no interior do veículo numa das ruas centrais de Istambul.

   Outro acontecimento estranho ao protesto dos "ambientalistas", é a ocorrência de uma poderosa explosão que destruiu a fachada de dois prédios. Cada um localizado de um lado da rua.   Em entrevista ao "Saulo Valley Notícias" perguntamos para um ativista turco sobre a explosão. Ele comentou que o grupo que ele faz parte acredita que a explosão tenha sido provocada por terroristas islâmicos contratados pelo governo para prejudicar a legitimidade do protesto. Perguntamos então qual seria a verdadeira demanda do povo turco, já que até ontem pelo menos 7 cidades haviam se levantado e a origem dos protestos estava na destruição do Gezi Park. Ele disse:

"Queremos um Estado civil secular, que protege a liberdade pessoal e política, queremos um fim aos esforços de mudança de nossa identidade"

   Tivemos informações de que "manifestantes" estão indo à caça dos policiais, atacando ainda em suas casas... "Revolução Verde"?



   Este pode ser outro fato que pode estar por trás desta devastadora manifestação, é que "Bangladesh tem a Turquia como referência para se tornar um Estado secular. Por isto está apoiando os manifestantes para que preserve a visão", disse o internauta Riaz Osmani pelo twitter.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: