quarta-feira, junho 05, 2013

Alemanha: Berlin se levanta em solidariedade ao povo turco.

A violência da polícia turca continua sendo destaque em todas as mídias do planeta, tendo sido condenada até mesmo pela HRW e a ONU. Na Alemanha, Berlin faz massivas manifestações em suporte ao povo turco que se divide em ideologias, mas se funde no sofrimento diante da esmagadora repressão policial.


Por Saulo Valley - O Observador do Mundo - Rio, 05 de Junho de 2013 - 16:12 GMT-3

   Na terça-feira denunciamos que a polícia estava lançando jatos d'água contra os rostos dos manifestantes, mas horas depois ficamos sabendo que os policiais estavam jogando granadas de gás lacrimogêneo propositalmente na face dos manifestantes.
   Foi o caso da manifestante "Libna Al Lami" que foi atingida por uma granada de gás lacrimogêneo no rosto e permanece em estado de coma até o momento. Esta é uma das histórias que o povo alemão destaca, sobre a violência policial turca. No dia 02 de Junho pelo menos 300 pessoas estiveram na porta da Embaixada da Turquia em Berlin pedindo o fim da brutal violência policial contra manifestantes turcos.



Começou a corrida pela coleta de provas de abuso de força policial contra os manifestantes turcos. A dica veio do próprio Erdogan que voltou à televisão para pedir desculpas ao povo turco, enquanto a "Anistia Internacional" tem reforçado e incentivado os manifestantes a coletar provas de violência policial.

Em Berlin, as provas já estão coladas nos postes. Um exemplo que eles esperam que a polícia da Alemanha não imite. Mas nem tudo são flores na relação Alemanha + #OccupyGezi: Muitos ativistas já sabem que parte da tecnologia utilizada pela polícia turca é de fabricação alemã, assim como muitas bombas de gás lacrimogênio utilizadas pelo exército sírio eram de fabricação brasileira (Tomara que os mísseis não sejam).

   Pelo menos no dia 1º de Junho quando uma grande multidão de alemães saíram às ruas de Berlin para oferecer solidariedade aos manifestantes turcos, um policial foi citado como tendo feito uso de uma filmadora para gravar o evento, em claro sinal de apoio. Naquele dia acredita-se que havia cerca de 1000 ativistas gritando "Unidos Venceremos!".

   Cyberwar

   Enquanto as forças policiais estavam nas ruas do país, muitos ativistas até se sentiam seguros, mas a polícia turca agora navega pela internet perseguindo declarações, tweets e demonstrações que levem à prisão, ingênuos apoiadores da "Revolução Verde".  Como já se sabe, com a adesão do RedHack ao Anonymous  o caso agora é de inteligência e cyberwar. Esta é a "Modern Warfare" que nos últimos 2 anos deixou de ser apenas um jogo de computador famoso.

Artigo em Destaque

Julian Assange periga ser extraditado para os EUA

O fantasma da extradição de Julian Assange volta a assombrar e podemos dizer que processar e condenar o fundador da Ong Wikileaks pelo cr...

Leia também: