quarta-feira, maio 22, 2013

Violência: Cresce as ocorrências de abusos e estupros na Índia.

   Desde a dramática história de "Nirbhaya", a jovem que foi violentada dentro de um ônibus por 6 homens em Nova Dhéli, capital da Índia, a cidade tornou-se a "capital dos estupros" mas vergonhosamente, apesar das pressões internacionais a Índia não conseguiu impedir que os abusos diminuíssem e vem liderando uma grande jornada de ocorrências que parecem influenciar outros países.

Por Saulo Valley - O Observador do Mundo - Rio, 22 de Maio de 2013 - 09:09 GMT-3

"Nirbhaya" era linda mas foi
deixada em estado calamitoso.
Apesar de ter lutado pela vida,
não resistiu. Faleceu em
26-12-2012
   Em Enquanto que os estupradores de "Nirbhaya" se esforçam para escapar dos tentáculos da justiça indiana, com mais um acusado de pertencer à gangue tentando o suicídio na prisão, novos casos e até mesmo semelhantes estão acontecendo diariamente no país. O maior problema é que a polícia não consegue administrar o excessivo número de casos que são relatados todos os dias. Mal conseguem anotar uma reclamação e logo chegam novas denúncias. Nem mesmo aumentando o contingente policial tem sido possível registrar as ocorrências e investigar todos os casos.

   Esta realidade tem sido um fator complicador da crise que se arrasta no país desde o dia 19 de Dezembro de 2012, quando a jovem foi violentamente estuprada num ônibus pirata, ocupado por 5 homens adultos e 1 menor. "Nirbhaya" e seu amigo íntimo foram brutalmente espancados e jogados numa estrada após a conclusão do tríplice crime, que culminou na morte da jovem que não resistiu às múltiplas infecções. Revoltados familiares e populares saíram em intensas marchas públicas em busca de justiça, e caso o país não tivesse se envolvido na pressão contra as autoridades indianas, os criminosos nem teriam sido procurados para responder às acusações.

   Citando o "Times of Índia" que destacou o caso de uma adolescente de 14 anos que foi obrigada a entrar num carro juntamente com seus dois amigos. O carro que era ocupado por homens, levou-os para fora da cidade onde a menina foi abusada e queimada viva. A polícia foi procurada para a formulação de uma ocorrência mas os policiais "minimizaram a ocorrência" e registraram como um caso simples de assédio." Disse a fonte, que também nas aldeias de "Jind" pais de alunos de escolas públicas estão se negando a enviar seus filhos para a escola depois que uma menor foi estuprada por um professor numa escola pública local. Como as autoridades não levaram a sério a reclamação, os pais se reuniram e decidiram proibir que suas filhas frequentem as escolas até que as autoridades façam o que for preciso para investigar, prender e condenar os vários casos denunciados e que nunca foram suficientes para mobilizar as autoridades policiais.

Mulheres indianas protestam por justiça contra estupradores (Creative Commons)

   Já a "BBC" revelou que no estado de nome "Bihar", onde 85% da população rural desconhece a utilidade e/ou não dispõe de banheiros sanitários, são obrigados a fazer suas necessidades fisiológicas no lado de fora das residências. É neste momento que homens maldosos ficam à espreita por uma oportunidade de encontrar uma pessoa do sexo feminino completamente desprevenida e isolada no meio da noite ou na madrugada.

   O "NDTV" já destacou que homens indianos estão sendo acusados de exportar gangues de estupro para fora do país. O caso citado pela agência faz referência ao caso de uma jovem de 19 abusada em 2011 por homens indianos na Nova Zelândia, cujo julgamentos ainda em andamento não chegou a um veredito por parte da justiça que neste momento, está apenas ouvindo as partes.

   A crise exposta mundialmente não foi suficiente para fazer mais do que envergonhar as pessoas idôneas do país. Já que de resto, nada mudou. Os esforços aparentes das autoridades (para acalmar a multidão irada) parece não ter sido suficiente. A onda de estupros continua e a prática tem crescido e o grau dessa violência juntamente.

Safecity.in é um aplicativo criado para registrar os locais a serem evitados pelas mulheres indianas, após usuários
marcarem os tipos de ocorrências de abusos.

   Falta policiamento ostensivo

   O "safecity.in/" é um aplicativo privado muito útil e tem sido referência, para nos mostrar que à cada novo dado adicionado ao mapa, é confirmada a hipótese de que a falta de patrulhamento nas ruas tem colaborado enormemente para a proliferação dos casos de abusos, estupros e sequestros seguidos de morte.  Um dos exemplos que podemos citar é a cidade de kartanatka, na Estrada de Mahatma Gandhi, na altura de Bangalore, há denúncias que homens dirigindo táxis usam todos os artifícios para atrair pedestres do sexo feminino, inclusive usando palavras de baixo nível enquanto piscam as luzes dos veículos. Denúncias anônimas revelam que mulheres são até tocadas em suas partes íntimas quando passam por estes local. que já acumula 26 reclamações de pessoas que sofrem desde convites para aventuras eróticas até serem apalpadas. Além dos taxistas, outros temidos praticantes de diversos abusos sexuais na região, são os motoqueiros. Mas nos ambientes lotados como rodoviárias, estações ferroviárias e ruas lotadas de centros comerciais, vêm acontecendo que muitas mulheres estão sendo incomodadas quando não tocadas por homens que após os gritos das vítimas desaparecem no meio das multidões de pedestres. Só no "Safecity" a região acumula um total de 64 reclamações. se levarmos em conta que a maioria das pessoas não possuem um smartphone para se utilizar do aplicativo, e outras que nem sabem de sua existência, então poderemos entender que a situação é ainda mais séria.

   Onde é que estão os policiais de plantão?

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: