quinta-feira, maio 09, 2013

Síria: Coronel Riad Al-Assaad fundador do FSA diz ter sido esquecido pela oposição.


 Por Saulo Valley - O Observador do Mundo - Rio, 09 de Maio de 2013 - 20:00 GMT-3


   O Coronel Riad Al-assaad é fundador do FSA (Free Syrian Army), que foi formado em junho de 2011 a partir de uma numerosa quantidade de deserções das fileiras do exército regular sírio.

   Isto aconteceu durante a perseguição implacável aos oposicionistas ao regime de Bashar Al-Assad desde 15 de Março de 2011 até os dias atuais.

   Antes da criação do FSA, todos os soldados que se negavam a matar civis, entre eles mulheres e crianças, eram executados em função da lei marcial vigente no país que ainda mantinha a Lei de Emergência por 48 anos em vigor. Os que conseguiam escapar da execução eram perseguidos por grande número de executores da tropa de elite síria, liderada por membros da guarda republicana russa ou iraniana, na maioria dos casos.

   Os civis enfrentavam as forças regulares como podiam e milhares de pessoas morriam todos os meses, sem qualquer meio de autodefesa, a não ser pedras que atiravam contra soldados fortemente armados, snipers, blindados e tanques sírios.   Com a criação do FSA os desertores encontraram abrigo e um número de cada vez maior de adeptos foi sendo agregado ao famoso exército rebelde.

imagem do assento ocupado por Riad Alassad no momento da
explosão da bomba. O banco foi parcialmente destruído junto
com sua perna direita.
Mas no dia 25 de Março de 2013 uma bomba instalada debaixo do banco carona em seu carro, o levou a perder quase toda a perna direita. Internado às pressas, o ex-comandante conseguiu sobreviver ao atentado cuja responsabilidade nunca foi divulgada.





Internado num hospital da Turquia desde então, o Coronel Riad Alassad reclama pelo abandono que vem sofrendo por parte do atual comando do FSA. O fundador do FSA ainda estende a reclamação para a "Colisão Nacional Síria", que diz nunca ter recebido qualquer mensagem de pesar e que se sente "esquecido".

Pessoas ligadas à Coordenação da Revolução Síria disseram ao "Saulo Valley Notícias" que o coronel "está bem". Sim é verdade. Riad Al-assad está sendo cuidado pelo governo turco e está feliz porque já pode ficar de pé, mas lamenta não possuir uma perna protética.


Vídeo da última entrevista de Riad Alassad antes do atentado.



   Mesmo assim, Riad lamenta nãao receber qualquer contato do atual "Conselho Militar Supremo" rebelde. "Radio Free Síria" destacou o humor elevado do coronel Riad, que comemora estar vivo e já consegue administrar sua nova condição física. A fonte disse ainda que o ex-combatente não se arrepende de ter se esforçado tanto pelo FSA, pois garantiu que em nome da libertação da Síria o que fez ainda foi muito pouco.




Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: