quinta-feira, maio 09, 2013

A crise síria serve de tabuleiro no jogo nada amistoso entre Rússia e EUA.

O regime sírio tenta todas as formas para limitar as forças rebeldes e o esforço da oposição ao seu governo. Enquanto o blackout nacional de internet durou 19 horas, os bombardeios continuam sem interrupção e castigam violentamente a cidade de Al-rastan na província de Homs, ainda Idlib e Daara. Em consequência 17 pessoas morreram nesta manhã de quinta-feira.


Míssil S-300 Licença Alguns direitos reservados por LuchezarS on flickr
Por Saulo Valley - O Observador do Mundo - Rio, 09 de Maio de 2013 - 08:40 GMT-3

   A crise ao redor da Síria tem se tornado muito mais clara, revelando um verdadeiro tabuleiro de xadrez. De um lado a Rússia e de outro lado os EUA. A rivalidade entre os dois países tem sido notada no terreno sírio, ao ponto que o site árabe "Alarabyia" publicou um artigo sobre os prejuízos que a síria vem sofrendo em função da disputa entre as duas superpotências.

Venda e produção de Armas

   O fornecimento de armas americanas para Israel, tem sido usado para justificar a Rússia na venda de armas em volume crescente para a Síria. Difícil ainda nestes 2 anos de conflito, é entender a relação Rússia-Irã, no tocante a crise Síria. Outra fonte de tensão proveniente da disseminação de armas, é a divulgação do interesse russo na venda de novos mísseis superfície-ar S-300 (Patriot) para a Síria. De acordo com a mídia israelense, o governo de Israel teria alertado os EUA sobre o anunciado interesse de Putin na venda destes mísseis para o regime sírio. Na verdade tem sido discutida a suspeita de envio de componentes de S-300 da Rússia para o regime sírio desde Dezembro de 2012. E em Janeiro de 2013 o governo iraniano anunciou progresso nos seus testes de mísseis S-300 próprios. Na ocasião a defesa iraniana havia informado que o projeto do S-300 ficaria concluído em Março de 2013, segundo o site iraniano "Fars News".

   Por falar em Iran, nesta quinta o governo iraniano apresentou o modelo próprio de Drone em cerimônia que descreveu como o "mais avançado" dos modelos criados no país, tendo sido acrescido de maior autonomia e capacidade de alcançar altitudes superiores aos modelos projetados anteriormente, disse "Fars News".

Exercícios Militares

   Exercícios navais realizados pela Rússia levaram 36 embarcações de guerra para o Mar Negro, anunciado no dia 28 de Abril. Esta ação causou surpresa e alvoroço internacional.
   Enquanto que os exercícios realizados pelos EUA no Golfo Pérsico foram descritos pelo Major-General iraniano Ataollah Salehi como "um fracasso", disse nesta terça ao "Fars News".

   A Rússia anunciou o plano de fixar postos avançados nos mares do mundo. Um limite anunciado de 70 navios militares serão implantados indeterminadamente em diversos oceanos.O plano estratégico anunciado pela Rússia no mês de Março, entretanto é previsto que aconteça só em 2020.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: