segunda-feira, abril 08, 2013

Nigéria: Milícia terrorista MEND assume assassinato de policiais da JTF.

O MEND (Movimento para a Emancipação do Delta do Níger) assumiu a responsabilidade pela morte de pelo menos 12 policias numa embarcação emboscada em Azuzama. Depois que Boko haram ganhou espaço na Mídia, o grupo anunciou estar inaugurando o retorno de suas atividades terroristas em vingança pela prisão de seu líder.


Por Saulo Valley - O Observador do Mundo - Rio, 08 de Abril de 2013 - 06:46 GMT-3

   O povo nigeriano está consciente que os grupos terroristas do país não passam de criação de poderosos políticos. Alguns chegam a tomar partido nas ações dos grupos com relação as campanhas políticas. Bom... Desde  o anúncio da Anistia para o Boko Haram, depois de 13 anos de genocídios e destruição de propriedades, o que era esperado já aconteceu.

   O terrorismo na Nigéria está divido nos quatro pontos cardeais. O Norte é controlado pelo "Boko Haram". O Leste pelo "MEND". O Oeste pelo "Bakasi" e o Sul pelo "OPC".
   "MEND" em inglês quer dizer conserto/emenda. E a milícia que tem lutado pela independência do Delta do Níger, agora busca ganhar o mesmo foco que "BH". Tudo isto porque o governo de Jonathan demostrou muita fraqueza ao lidar com Haram. Se o país não pode dominar 1 grupo terrorista, como conseguirá agora evitar que os quatro grupos se levantem ao mesmo tempo?

   Em sua última citação pela TV nigeriana, o presidente Jonathan Godluke disse acreditar que a Nigéria está sendo vítima de uma tentativa violenta de revolução.

   Uma das últimas falas dos líderes do Boko Haram ao se tratar da Anistia, agências locais teriam mencionado o grupo como dizendo que a Anistia não pode ser aceita porque "a Democracia é contra os princípios do grupo."

   Como dá pra se ter noção agora, a Nigéria pode acabar tendo que pagar caro pelo resgate de si mesmo para o terror, que já está mais que claro que nasceram de dentro da cúpula política nacional. O MEND também usou uma rede social para dizer que outro motivo para os ataques seria por causa do descumprimento da parte do governo da anistia prometida para todos os milicianos e terroristas que depusessem as armas. A morte dos policiais se deu no momento do confronto entre a Força Tarefa e membros do grupo, que estavam altamente equipados. Enquanto 12 (ou 15) policiais foram mortos no confronto, apenas 2 milicianos levaram a pior no combate. Este resultado o MEND utilizou como alerta para desafiar as Forças Conjuntas do Governo. O grupo prometeu iniciar ataques contra as empresas de petróleo na região do Delta.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: