sábado, março 16, 2013

Turista suíça é estuprada na Índia e estuprador de Nirbhaya morre na cadeia

   Oito homens atacaram um casal de turistas suíços que passeavam na região de Madhya Pradesh. Além de assaltados, o homem foi agredido e sua esposa violentada e está internada.


Protesto indiano contra estupro - Foto cortesia de "prachatai"(Creative Commom)
Por Saulo Valley - O Observador do Mundo - Rio de Janeiro, 16 de Março de 2013 - 05:48 GMT-3

   De acordo com as agências locais, o assalto aconteceu na noite passada (sexta), quando o casal passeava de bicicleta na região de Datia, quando foi abordado com violência por oito homens que retiraram seus pertences e abusaram sexualmente da mulher.

   Citando o site noticioso local: "zeenews" que disse que o casal estava acampado num lugar chamado Orchha, onde o crime aconteceu. Pelo menos 8 homens suspeitos foram detidos para investigações e as autoridades disseram que após a internação da turista, exames médicos teriam confirmado o estupro.

   O povo indiano que é contra a esta antiga "cultura do estupro" demonstra-se envergonhado e exposto de forma internacional com o caso. 

Outra turista abusada

   Em 2006 uma turista alemã de 26 anos foi estuprada em Alwar Rajasthan. Seu acusado é Mohanty 'Bitti' Bittihotra, filho de um importante empresário na região e apesar de ter sido preso, pouco tempo depois recebeu o benefício da condicional! Mas o rapaz fugiu, forjou documentos, um novo nome e iniciou uma vida nova por 6 anos sem ser incomodado. Só após a TV ter divulgado sua foto, é que no dia 08 de Março de 2013 foi reconhecido e denunciado por populares.

   De acordo com o "hindustantimes", pessoas que tiveram contato com o estuprador em sua "nova identidade", disseram que Mohanty 'Bitti' Bittihotra, que havia trocado seu nome para Raghav Raj era "gentil, educado e popular entre as mulheres".

Novo caso brutal

   Mas vergonha e humilhação não são suficientes para suspender definitivamente esta prática no país do "Kama Sutra". Como se não bastasse, na quinta-feira uma menina de 2 anos e meio estava sendo atendida no hospital federal na cidade de Canad. Enquanto sua mãe aguardava sua liberação no lado de fora da enfermaria. A fonte "zeenews" mais uma vez disse que o suspeito, um rapaz de 21 anos teria entrado no quarto furtivamente e abusado da criança cujo choro atraiu a atenção de várias pessoas que estavam no lado de fora. De acordo com a agência, as pessoas correram para dentro da enfermaria mas o acusado Lakhan Yogi teria conseguido escapar. Mesmo assim foi preso nos arredores da cidade, disseram as autoridades.

   "Enfurecidos" os populares teriam saqueado o hospital e em seguida apedrejado a fachada do prédio. Os protestos se espalharam pela região e a polícia afirma que além da prisão do suspeito, já teria controlado a situação. A vítima está em tratamento para seu restabelecimento físico, disseram as fontes.

1 dos 6 Estupradores de "Nirbhaya" está morto.

   Ram Singh era um dos acusados de estuprar a jovem de 23 anos, conhecida por "Nirbhaya" num ônibus em pirata em Nova Déli no dia 19 de Dezembro de 2012. Protestos massivos por todo o país têm ocorrido desdo que a moça e seu namorado foram encontrados feridos numa estrada na noite do crime.  Após a morte de Nirbhaya por infecção generalizada em 26 de Dezembro, iniciou-se o julgamento do bando, que foi detido para aguardar a conclusão do julgamento. No dia 08 de Março deste ano, Ram Singh, um dos protagonistas do que foi considerado o mais brutal estupro da Índia na atualidade, foi encontrado morto em sua própria cela e apesar da investigação estar em andamento, as autoridades acreditam no suicídio, como forma de escapar do ódio internacional e das pressões do julgamento.
   
Familiares e o advogado de defesa de Ram afirmam que o estuprador foi assassinado na prisão - disse "NDTV".

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: