sábado, março 30, 2013

Nigéria nega Habeas Corpus para terroristas e cristãos são caçados e mortos.

   A crise política na Nigéria avança a níveis elevados e deixa um número incontável de vítimas inocentes: Cristãos e políticos e autoridades ligadas ao governo nigeriano são os principais alvos do grupo terrorista Boko Haram que tem alcançado destaque na mídia internacional pelas crueldades praticadas também no Congo e no Máli simultaneamente.


Incêndio provocado supostamente pela explosão do ônibus que matou cerca de 25 cristãos am Kano.
Por Saulo Valley -O Observador do Mundo - Rio, 30 de Março de 2013 - 08:27 GMT-3

   A intenção do terrorismo é sempre a manutenção da instabilidade política e social de um país. Deixar pessoas inseguras diante da inação das autoridades e provocar conflitos religiosos. Um ataque suicida que provocou a morte de 25 cristãos num ônibus em Kano, provocou a ira do governo que luta para bloquear as ações da "seita" Boko Haram. A perseguição aos indefesos católicos e protestantes vem como meio de pressionar o governo nigeriano a libertar os 5 terroristas-membros presos nas últimas semanas, em consequência do atentado em Kano. Desde o incidente até agora já foram registradas 75 mortes de cristãos em consequência das tentativas do Boko Haram de provocar o caos, simulando um conflito religioso. Mas a comunidade cristã tem se mostrado imóvel, enquanto os Haram continuam atacando em diversas localidades, em especial no norte do país.

Jihadista do Boko Haram no Máli - Autor desconhecido
   O predidente nigeriano Jonathan negou oficialmente o pedido de Habeas Corpus para os membros presos do Boko Haram, o que tem elevado a tensão no país nas últimas horas.  O usuário do twitter "NND" (Nigéria New Desk) disse que oposição ao presidente Jonathan tem acusado de "falsa perseguição" ao grupo terrorista, alegando que não tem havido prisões e acusando a mídia de sectária.

Bandeira da Jihad Islâmica utilizada pelo Boko Haram. Creative Commons Canguru.

   Islã não quer ligação com Boko Haram

   O governador do Estado do Níger, Bambagida Laiyu disse nesta sexta que "o Islã não deve ser associado ao Boko Haram". O pronunciamento que aconteceu no Reino Unido, num seminário de 3 dias entre Líderes do Islã. Citando o site "citizensplatform" que citou a autoridade como dizendo:

"...Não é justo que as atividades de Boko Haram foram muitas vezes ligados ao Islã, mesmo quando as ações da seita nega os princípios básicos do Islã ".

   Laiyu disse ainda que não cabe ao povo islâmico "atacar outras religiões em nome do Jihad". O líder orientou que os país devem educar seus filhos dentro dos princípios "morais e religiosos" do Islã, de modo que evitem "extremismos e práticas religiosas egocêntricas".

   Discurso de Páscoa

   Mediante a crise, o presidente Jonathan discursou para uma grande massa de cristãos em comemoração à Páscoa. Em seu discurso ele pediu a união de todo o povo e a confiança nas forças armadas e nas forças de segurança do país, afirmando:

"Eu garanto a todos os nigerianos que nossas agências de segurança, forças armadas e vão continuar a cumprir totalmente nossas responsabilidades constitucionais"
   A mensagem de Páscoa trouxe um apelo de paz e de unidade entre os povos, religiões e o governo nigeriano, como uma forma de somar forças contra a tentativa do inimigo número 1 do Estado, Boko Haram, de tentar usurpar o poder, promovendo o caos e o genocídio.

"Exorto-vos a continuar a exibir moderação e compreensão em face de provocações aparentes."
    Ao encerrar seu discurso, o presidente Jonathan Boa-sorte orou pela multidão. Parte do discurso pode ser encontrada aqui: "citizensplatform"

   Apesar dos esforços do presidente, há um clima de divisão de posições dentro do goveno, e há ainda denúncias que uma grande maioria das autoridades nigeriana pertence à suposta seita radical que usa o islamismo como base para agregar membros fanáticos e extremistas.

Tensão nos cultos

   A    Intercessão presidencial pela paz soou em contraste ao alerta enviado pela polícia nigeriana, que mostrou que se faz necessário orar e vigiar ao mesmo tempo.  Um alerta enviado nesta última sexta-feira para os cristãos de todo o país, para que evitem carregar celulares e outros aparelhos eletrônicos para os templos. De acordo com o "nigerianbulletin" a polícia tem alertado para novos atentados do Boko Haram contra religiosos e acredita que membros da suposta seita deverão se infiltrar no meio dos fiéis portando celulares e outros mecanismos que estartam explosões. As autoridades pediram aos líderes religiosos, bem como os cristãos que fiquem em estado de alerta, no caso de surgirem estranhos no meio da igreja, cujas intenções podem ser as piores possíveis. O alerta tornou-se ainda maior para a região Sudoeste, depois que as autoridades encontraram bombas em alguns edifícios no estado de Lagos.

   Atualmente o Boko Haram é acusado de demolir pelo menos 50 templos católicos no país, nos últimos meses.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: