terça-feira, março 19, 2013

Kano: Guerra religiosa matou 25 cristãos - Atualização

Grupo Boko Haram (fundamentalista islâmico) é acusado de ter atacado ônibus que transportava cristãos no Norte do estado. Saiba mais detalhes.


Por Saulo Valley - O Observador do Mundo - Rio, 19 de Março de 2013 - 08:58 GMT-3
Atualização: 22 de Março de 2013 - 12:34

   Uma guerra histórica com ocorrências constantes na região do Delta. Conversas nas redes sociais entre pessoas dos dois lados, revelam a insatisfação por parte de membros do grupo Boko Haram por causa da presença abundante de cristãos no norte do estado de Kano. Isto vem em consequência da intolerância religiosa e a ansiedade de insurgentes islâmicos de ampliar a instalação de novas mesquitas na região, visando garantir maior influência política.

   Mussulmanos reclamam de terem sidos impedidos de construir mesquitas em algumas localidades do Norte do estado. De acordo com as investigações que realizamos, descobrimos que a explosão foi provocada como uma forma de assinatura da comunidade islâmica ligada ao grupo que acredita que sua missão é evangelizar em nome do Islam. Haram exige que o povo Igbo que é cristão, abandone a região norte do estado e se mude para o lado sul. Há também referências sobre a execução de líderes políticos em decorrência da revolução islâmica decretada pelo grupo, contra o governo desde 2001. Uma página de Facebook, de cristãos católicos, atribuiu ontem, ao grupo Boko Haram a destruição de 50 templos católicos, dos 52 prédios destruídos na região de Maiduguri, no estado de Borno.

Padre Ejike Mbaka chora pelos mortos
no atentado.
  Conversas nas redes sociais têm revelado que as tensões já provocam ataques a igrejas e mesquitas. Também revela que os protestantes e os católicos estão mais unidos e mais passivos no que parece ser uma declaração de uma tentativa de revolução islâmica, de acordo com as conversas entre diferentes militantes e aldeões.
   A tensão crescente entre os dois lados e tem se resumido na disputa por implantação de novos templos e a separação territorial entre as etnias, seguindo o exemplo do Sudão. De acordo com fontes confiáveis na região, a explosão aconteceu à partir de um ataque suicida que atingiu de cheio dois ônibus que transportavam cerca de 70 pessoas cada, disse um internauta local.

   Angústia nacional, o país se vê chocado com o atentado. Na televisão nigeriana, o reverendo católico Igbo Ejike Mbaka chorou enquanto pedia desesperadamente: "Meu povo, abandone o Norte. Deixe o Norte. Deixe este lugar. Deixe esta terra, ela não é para vocês. Volte pra casa, nossa terra precisa de vocês."

A cidade de Kano está deserta, em vista de como era a movimentação no local da explosão. Este cenário reflete o medo das pessoas de novos atentados, e a sociedade ainda se preocupa com a forte tendência de as pessoas evitarem os transportes coletivos, o que seria considerado um "colapso", dizem especialistas locais.


   A exemplo do Sudão, a guerra entre templos mussulmanos e cristãos começa nos alto-falantes. Diversos líderes religiosos africanos se utilizam dos alto-falantes para incitar seus fiéis da comunidade contra a religião concorrente, para impedir que ganhe mais fiéis. Por esta razão, muitos têm sido os ataques a templos e mesquitas, efetuados por fiéis "inflamados" por seus líderes.

Artigo relacionado: Nigéria: Bomba mata pelo menos 25 mas pode ter chegado a 60 e dezenas de feridos

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: