domingo, março 10, 2013

Azerbaijão: Protestos violentos contra morte de recrutas.

Um massivo protesto acontece nesta manhã de Domingo na capital Baku, no Azerbaijão, motivado por denúncias de abusos de autoridade que resultaram em torturas e mortes de recrutas das forças armadas do país. O governo respondeu com envio de tropas que prenderam os líderes da manifestação, atiraram balas de borracha e jatos dágua.



Por Saulo Valley - O Observador do Mundo - Rio de Janeiro, 10 de Março de 2013 - 10:16 GMT-3
Atualização: 14:21

      De acordo com internautas no local, cerca de 2000 manifestantes saíram às ruas na manhã deste domingo e não eram apenas jovens. Entre eles pais e mães que perderam seus filhos durante treinamentos militares ou não, mas que estavam dentro dos quartéis. Familiares e amigos iniciaram uma campanha pelo fim dos abusos contra os direitos humanos nas fileiras militares do Azerbaijão, mas foram recebidos com balas de borracha e jatos de água.



   Alguns manifestantes contaram que estão realizando as manifestações por turnos, ou seja: enquanto os caminhos estão cheios de água, eles se sentam. Alguns recuam, e retornam os protestos quando os caminhões ficam vazios.


   A estratégia do governo é a mesma praticada por todos os países regidos por ditaduras: Acusar os principais ativistas de porte de drogas ilegais, material explosivo, armas de fogo e etc. Em Baku não é diferente. O site "rferl" disse que o governo prendeu ativistas com a desculpa que encontraram drogas e uma quantidade de líquidos inflamáveis em suas residências (enquanto estavam nas manifestações).

   Os manifestantes por sua vez reclamam do uso excessivo de força da polícia, que de acordo com fontes noticiosas locais, já prendeu centenas de manifestantes, cujos protestos estão sendo classificados como pacíficos.


   A "rferl" disse ainda que um porta-voz do governo acusou a organização da manifestação de pertencer a diversos partidos de oposição e a "juventude da Frente Popular do Azerbaijão" e a polícia foi citada como tendo encerrado a manifestação por completo com os seguintes termos:

"A ação foi interrompida porque não estava autorizada: "As tentativas de violação da lei e deve ser parada de agora em diante." O Secretário Executivo Adjunto da YAP, MP Siyavush Novruzov foi citado como pela "rferl" dizendo.


  Estes protestos estão ganhando força à cada dia. Em 12 de Janeiro e 26 de Abril deste ano, novos protestos foram realizados, com manifestantes exibindo fotos de recrutas mortos dentro dos quartéis e as autoridades sempre responderam com violenta repressão, no intuito de não permitir as manifestações, que são consideradas "criminosas" pelo governo.


   Há 3 horas o ativista Ruslan Azad enviou a seguinte mensagem por twiter: "Estou preso".

Ruslan Azad por twiter: "Estou preso".
   Em seguida ele informou o local para onde os ativistas foram levados. Segundo testemunhas que disseram que os manifestantes presos foram mantidos em ônibus da polícia até serem conduzidos à prisão. Ouvi algo em torno de 250 detidos, mas não há como confirmar no momento.

Eu estou na delegacia de  Sebayel  com Khadija e outros.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: