domingo, fevereiro 17, 2013

Porque pessoas desaparecem em todo o mundo?

Um olhar direto sobre a origem e destino de pessoas desaparecidas e das ações governamentais no combate desta macabra realidade.


Ilustração do Livro "Não Fuja do Medo" de Saulo Valley
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 17 de Fevereiro de 2013 - 18:53 GMT-3

   Uma certa vez estava conversando com um especialista em segurança pública do Rio de Janeiro, o Investigador, advogado e Pastor Nilson (o abençoado) Alves Filho. Na época, eu estava fazendo as primeiras pesquisas que me levariam a compor o enredo do filme "Amor e Caos" que trata de violência doméstica, tráfico de pessoas entre outros crimes contra pessoas em todo o mundo. Enquanto defendia minha investigação sobre a violência doméstica, o experimentado profissional me disse:

"Saulo, o tráfico de pessoas é praticado infinitamente mais vezes que a violência doméstica. Chega a ser incomparável a relação..."
   Com esta nova informação na mente, comecei a me aprofundar mais no assunto. Recentemente encontrei uma matéria publicada pelo respeitado site africano de notícias "Naij", que despertava para a atual realidade do povo nigeriano e a cultura que tem sido batizada como "O Ritual da Morte".

   De acordo com a fonte, o "ritual da morte" tem sido praticado no pais de forma surpreendentemente intensa, ao ponto de numerosas ocorrências diárias serem registradas nas delegacias dos quatro cantos  do país. O desaparecimento de pessoas na Nigéria poderia ser comparado à onda de estupros da Índia, a diferença é que só agora as mulheres indianas estão encontrando forças para protestar, enquanto que na Nigéria esta cultura de rituais macabros com corpos humanos vem crescendo desde a última década.

   Recentemente mais de mil mulheres saíram às ruas para protestar publicamente contra o assombroso rapto de pessoas do sexo feminino na região. "Naij" disse ainda que as ocorrências são tantas que as polícia não tem tempo de investigar as ocorrências anteriores que se misturam com as novas reclamações. Mas no caso da Nigéria, a fonte revelou que 90% dos desaparecidos nunca foram encontrados e nenhum rastro foi deixado para trás.

Olhando os dados numéricos pode não ser tão chocante, mas há muitos relatos de corpos encontrados mutilados ou sem os órgãos internos e genitálias. Uma das culturas de sacrifício humano que tem sido denunciada pela agência, é que parentes de personalidades famosas no país, são instruídos por profissionais "médicos" e "feiticeiros" que atuam no mercado negro, a encontrar pessoas e retirar suas cabeças. De acordo com a suposta lenda (que foi importada para o país nos últimos 10 anos), para que a celebridade tenha um lugar melhor no paraíso, seu caixão deveria estar descansando no topo de cabeças humanas. E eventualmente parentes ricos de celebridades e proeminentes personalidades nigerianas, saem à caça de pessoas para retirar-lhes o crânio.  Um relato macabro e horrível, que demonstra o quanto o mundo globalizado parece estar retornando à pré-história, levando as pessoas a valer cada vez menos centavos para si mesmas, mas para seus usurpadores, o dinheiro parece chegar com facilidade.

Ilustração do livro "Não Fuja do Medo" de Saulo Valley.

   Mesmo assim, a assustadora crise nigeriana não é o topo da tragédia. Por todos os lados deste planeta, o desaparecimento de pessoas tem sido uma grande dor de cabeça. Pessoas de todas as idades e nacionalidades, estão simplesmente sumindo. Mas para não ficar um clima de um possível arrebatamento do reino físico para o reino espiritual, como é ensinado na Bíblia Sagrada; muitos destes casos têm testemunhas oculares que assistem bandidos levando bebês dos braços de suas mães, pessoas sequestradas de hospitais, e até mesmo do interior de suas casas! E nos países em crise político/religiosa como no mundo árabe, esta realidade é mais de física. Um assombro!

   Nos Estados Unidos esta realidade também não é nova, ao ponto de inspirar a criação do seriado de TV batizado de "Desaparecidos". Mas para aonde todas estas volumosas quantidades de pessoas sequestradas vão, sem deixar rastros?  Partes humanas retornariam para os hospitais, na forma de tráfico internacional de órgãos? Na verdade ninguém sabe.  Enquanto isso poderosos e cruéis empresários estão no topo da criação de novos formatos de moedas que ofereçam lucratividade rápida e garantida no mercado negro.
   Para este fim, as mais macabras e pretensiosas justificativas são criadas, mas ainda não foi mencionada qualquer iniciativa global para a criação de uma policia mundial (conjunta ou não) destinada a deter a abdução de pessoas em todo globo terrestre.

   Se a indústria da morte já parece bastante enriquecida com as abduções, e tráfico de órgãos, há ainda a dura realidade das violações de túmulos em quase todos os cemitérios que se tem notícia. Ossadas retiradas e levadas para onde? Ossadas jogadas ao acaso como buquês de flores mortas em lixeiras, são prova que a humanidade tornou-se a moeda corrente de seu próprio mercado.

Se com tantos dados terríveis como estes não podemos sensibilizar nossas autoridades a levantar uma ação contra estes criminosos de forma definitiva, então nada mais pode ser feito a não ser esperar que não sejamos os próximos.

Referência: http://news.naij.com/24231.html?sub=1&utm_source=newsletter&utm_medium=email&utm_campaign=local

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: