sexta-feira, fevereiro 08, 2013

Penha: Tiroteios e assaltos persistem desde a saída do Exército.

Ocupada pelo exército por mais de 1 ano, o complexo da penha, em especial as comunidades de Merindiba, Vila Cruzeiro e Chatuba, tiveram a vigilância diária das forças federais, o que trouxe uma grande expectativa para a população sobre as promessas de melhorias da vida na região...


Foto e edição: Saulo Valley - 02-09-2012

Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 08 de Fevereiro de 2013 - 07:49 GMT-3

A doce ilusão de que a Penha voltaria a ser um bairro mais valorizado e seguro, já acabou. É triste e real o fato de que desde que a Polícia Militar assumiu o controle das comunidades antes ocupadas pelo Exército Brasileiro, no processo inicial de "pacificação", que na verdade só durou até o dia da troca de comando.

Exatamente dois dias depois já era possível assistir e ouvir tiroteios nas ruas José Rucas e Nossa Senhora da Penha, por incrível que pareça, os tiroteios aconteceram por vários dias seguidos entre o meio-dia e as 15:00. Pedestres assustados não sabiam se arriscavam para voltar pra casa ou se aguardavam a perseguição armada terminar - Disseram as testemunhas oculares que pediram para não ser identificadas.


Desfile Estudantil pela Independência do Brasil - 02 - 09 - 2012
Da mesma forma que as noite deixaram de ser tranquilas e passaram a assustar a população com violentos e duradouros tiroteios no meio da madrugada por mais de 1 ou 2 horas seguidas. E como os acontecimentos parecem puxar uma sequência de outros novos acontecimentos, assistimos a assaltos como se estivéssemos vivendo há 3 ou 4 anos atrás.

Promessas de melhorias que só seduziram a população até o meado do mês de Outubro de 2012. Mas a realidade presente é bem diferente. Durante o dia, dezenas de unidades e viaturas militares percorrem a região que supostamente deveria ser pacificada, enquanto que por outro lado moradores acabam vivendo com medo dos dois lados das forças que se opõem mutuamente.

No desfile estudantil que comemorava o Dia da Independência do Brasil,
oficiais de diversas forças militares prestigiaram o evento em comemoração também
do sucesso da ocupação militar da região. Foto Saulo Valley - 02 de Setembro de 2012.
Incrível que antes sob controle do tráfico as pessoas se mantinham mudas, pela força da chamada "Lei do Silêncio". Acredita que agora, com a ocupação militar as pessoas ainda preservam o mesmo temor?  Para comprovar esta realidade, tentamos conversar com moradores perto de viaturas e soldados da PM e elas se esquivaram de falar, por medo. Com os olhos arregalados, voltados para os militares demonstraram medo e ficaram mudas. Isso mostra que as pessoas não se sentem seguras diante dos homens fardados de azul.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: