segunda-feira, janeiro 21, 2013

Uganda: Tropas regulares matam "Binani" comparsa de "Kony 2012"

O vídeo que tornou "Joseph Kony" o maior criminoso de 2012, tornou-se o maior viral da história dos vídeos na internet. Atuando na África desde 1980, o líder guerrilheiro que ficou conhecido por militarizar crianças sequestradas e as utilizar contra governos africanos tinha Binani como chefe de segurança de sua organização e que também era procurado por fornecer logística para a organização terrorista RLA.


Cenas do filme "Kony 2012" - Imagem real de Joseph Kony nos anos 80.
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 21 de Janeiro de 2013 - 08:21 GMT-3
Atualização: 09:26

As autoridades anunciaram que a morte de "Binani" se deu num confronto entre as forças ugandesas com um pequeno grupo armado rebelde encontrado ao Norte de Djema na última sexta-feira. De acordo com a agência noticiosa "AP" publicado pelo site "The Telegraph", o coronel Felix Kulayigye lamentou a morte do criminoso, por perder a oportunidade de interrogá-lo na expectativa de obter maiores informações estratégicas sobre Joseph Kony, que é procurado pelo Tribunal Penal Internacional por Crimes Contra a Humanidade.

De acordo com a fonte, Joseph Kony que é procurado há 20 anos, consegue se manter inalcançável migrando pelas selvas africanas mais especialmente entre Congo, Uganda e Sul do Sudão. Toda essa dificuldade de detectar o perigoso terrorista é acompanhada por pelo menos 100 conselheiros militares dos Estados Unidos que atuam em conjunto com as forças oficiais locais.

Kony 2012

Desaparecido há 20 anos, mas sempre dando sinais de que permanece vivinho da silva e operando na África central, Kony só ficou conhecido no ocidente depois de um vídeo ter sido lançado na internet, que foi produzido por uma agência privada de propaganda dos EUA.

O vídeo que alcançou bilhares de acessos em menos de 24 horas quebrou o recorde mundial de viralidade e se tornou uma grande referência. Tudo porque o vídeo muito bem elaborado, provocava repulsa pelas atividades terroristas de Joseph Kony estarem ligadas à exploração sexual de meninas de em média 13 anos e na militarização de meninos com a mesma faixa etária. Todos sequestrados de suas famílias por militantes revolucionários. Formando assim um exército de mais de 30.000 crianças, que eram treinadas para enfrentar as tropas oficiais do governo de Uganda nos anos 80.

Mas a credibilidade da campanha que alavancava o mundo na perseguição do perigoso procurado (praticamente desconhecido), foi prejudicada quando o diretor Jason Russel foi flagrado e filmado em completo surto se masturbando e xingando pedestres de sua vizinhança, nos Estados Unidos. Jason estava completamente nu no meio da rua, e o escândalo conseguiu dispersar grande parte do público que atraiu.

O golpe derradeiro na campanha "Kony 2012" acontece quando o primeiro-ministro de Uganda Amama Mbabazi gravou um vídeo dizendo que a campanha era uma fraude. Que Joseph Kony não operava na Uganda desde os meados dos anos 80 e que esta não era uma causa internacional, e sim um problema interno do país! Disse que não havia necessidade de uma mobilização internacional para prender o criminoso, que estava sendo procurado pelo governo do Congo, no momento.

Com isso a Campanha chegou definitivamente ao fim. Após vender milhares de bóttons, camisetas e bonés em nome das crianças sequestradas africanas, a Agência "Invisible Childrens" além de desacreditada, também teve que devolver o dinheiro de muita gente, segundo informaram os principais jornais americanos na época. Postado em 05 de Março de 2012 hoje o vídeo possui 96 milhões 272 mil e 868 acessos e Joseph Kony continua sendo procurado e quase nada se sabe a respeito dele até o momento.


Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: