quinta-feira, janeiro 03, 2013

2013 começa com disputa pelas ilhas Malvinas-Falkland

A presidente argentina Cristina Fernandes enviou mensagem para Margaret Thatcher pedindo a devolução das Ilhas Malvinas (Falkland) logo nos primeiros dias da primeira semana do ano. Um referendo deverá decidir quem controla a região.


© Copyright David Dixon and licensed for reuse under this
 
Creative Commons Licence.


Por SauloValley - Rio de Janeiro, 03 de Janeiro de 2013 - 08:13 GMT-3
Atualização: 09:57


O conflito que em 1982 deixou muitos sul-americanos amedrontados, tende a voltar a ser discutido, depois que a presidente da argentina Cristina Fernandes Kirchner voltou a reclamar o direito argentino sobre as Malvinas.

Um referendo anunciado para Março próximo deverá ser levantado para decidir novamente o retorno do impasse que tem levado Cristina em seu segundo mandato, a lutar pela revogação do direito britânico sobre a região.

Cristina escreveu uma carta aberta para o premier britânico David Cameron acusando seu governo de prática de colonialismo durante a tomada das ilhas Malvinas há 180 anos. Em suas palavras, Cristina afirmou que "A Argentina foi violentamente despojada das Ilhas Malvinas", tendo seus habitantes sido "expulsos" pelo governo britânico por meio da "Marinha Real do Reino Unido". Ela ainda afirma que a população foi sendo substituída, como é comum à prática do colonialismo.

Na carta que foi endereçada ao Secretário Geral das Nações Unidas Ban Ki-Moon, Cristina reclama pela "integridade territorial argentina", apontando a Grã-bretanha com obstáculo para que o mesmo ocorra, citando ainda o tratado de 1960 que proíbe a prática deste tipo de atividade, aprovado quase que unanimemente pelos estados-membros da ONU. A carta lembra ainda que em 1965 a ONU considerou "colonização" a ocupação britânica das Malvinas (que teria ocorrido em 1833), pedindo que os dois países voltassem para o diálogo à fim de resolver a questão de forma pacífica.

Como resposta, o governo da Ucrânia disse nesta quinta-feira que a disputa havia sido decidida num referendo cuja população decidiu por Londres.

A carta aberta que foi publicada nesta quinta-feira pelo site ucraniano noticioso "Guardian", acabou sendo alvo de muitas críticas, acusado de "propaganda argentina". O mesmo respeitado site com sede na Ucrânia, publicou no dia 28 de Dezembro de 2012 uma matéria contendo um video como prova de que as Ilhas Malvinas foram invadidas por um "ataque surpresa". Há quem acredite que o ministro David Cameron deva citar o "Guardian" em seu próximo pronunciamento.

Pelo twitter fictício da Rainha Elizabeth respondeu em nome do reino:


"Querida Argentina, obrigado por sua carta. Tendo enviado o seu pedido de qualquer forma, não, você não pode ter as Ilhas Malvinas. Atenciosamente, A Rainha."
Enquanto o clima parece estar só no âmbito da diplomacia, sul-americanos se estressam só em pensar num conflito internacional próximo de suas fronteiras. O conflito das malvinas matou 258 pessoas em 1982.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: