sexta-feira, dezembro 21, 2012

ONU: Irã apresenta plano de 6 pontos para salvar Al-assad.

Um dos mais ousados planos apresentados no Conselho de Segurança das Nações Unidas foi apresentado pelo cara-de-pau governo iraniano, que levantou "seis passos para solucionar a crise no país de Assad."


Mahmoud Ahmadinejad - Fotopédia - Foto by Daniella Zalcman on Flickr
(Creative Commons)
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 21 de Dezembro de 2012 - 13:27 GMT-3

A hilariante apresentação do governo de Ahmadinejad propôs:

  1. O cessar fogo absoluto junto com todas as formas de violência.
  2. A entrada de Ajuda Humanitária
  3. A volta de todos os sírios refugiados e fugitivos
  4. A suspensão de todas as sanções econômicas contra Síria.
  5. A criação de um novo fórum de diálogo nacional e 
  6. A criação de um governo provisório.
"Em outras palavras: A renúncia de todas as formas de oposição, a rendição dos rebeldes e a volta dos fugitivos para que sejam punidos posteriormente por seus crimes de desobediência, só que desta vez, longe do alcance da mídia global."
O site "Presstv" disse que a oposição denunciou o plano iraniano com uma forma de proteger Al-Assad.

Em outra situação a ONU aprovou ontem novas sanções contra o Irã, que como resposta, anunciou o envio de armas para apoiar o regime sírio, caso as sanções sejam aplicadas.

No terreno

Enquanto o circo político continua aceso, no terreno os mísseis Scud chovem sobre Aleppo há pelo menos 24 horas, matando muitos inocentes, em uma das grandes regiões controladas pelos revolucionários. Informações dos ativistas é que o exército sírio está quase todo concentrado em Aleppo e em Damasco num esforço de segurar as posições que ainda controla. A NATO informou que mísseis scud lançados à partir de Damasco atingiram a região perto da fronteira com a Turquia.

A agência para os refugiados das Nações Unidas (UNHCR) disse que mais de 500 mil sírios estão alojados campos de refugiados e que atualmente cerca de 3.000 novos fugitivos cruzam a fronteira Síria. A UNHCR acredita que até a metade de 2013 pelo menos 1 Milhão de sírios já terão cruzado as fronteiras vizinhas para buscar abrigo do conflito.

 A boa novidade é que a Palestina ofereceu refúgio para os sírios, enquanto milhares de palestinos continuam fugindo da Síria para o Líbano, com os bombardeios do regime no campo de refugiados palestinos.

De acordo com a "Reuters" Anders Fogh Rasmussen, chefe da NATO teria afirmado que "o lançamento de mísseis Scud contra o próprio país já é um sinal de desespero e que o regime se aproxima de um colapso." Por precaução é que a NATO instalou um sistema anti-mísses Patriot no lado turco da fronteira com a Síria. A NATO acredita que estes mísseis podem acabar tendo outro destino: a Turquia.

Voluntários

Já a Agência de Segurança Nacional da Austrália está preocupada já que atualmente mais de 100 australianos partiram voluntariamente para uma campanha jihadista contra a repressão síria. O governo australiano está preocupado (não com as vidas?) com o fluxo de recursos capitais que estão indo na direção destes rebeldes adidos, em função disto e teme que este volume de transferências pode aumentar dramaticamente.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: