segunda-feira, dezembro 17, 2012

O mundo chora nesta segunda com Coréia, China, EUA e Síria?

Às vésperas das festas de fim de ano, a segunda-feira amanhece triste pra muita gente no mundo. As primeiras vítimas da chacina de Sand Hook School começam a ser enterradas. 1º ano de aniversário da morte do líder coreano Kim Jong il. Síria bombardeia acampamentos de refugiados palestinos e sírios, a mortandade de professores na Thailândia. Ainda atentados no Iraque, Afeganistão e Paquistão e a explosão de uma mina terrestre em Nangarhar que matou 10 meninas entre 8 e 10 anos.


Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 17 de Dezembro de 2012 - 12:54 GMT-3
Atualização 15:17

Um segunda-feira mórbida em quase todo o mundo. Pessoas chorando, lamentado uma variedade imensa de mortes de pessoas inocentes em diversos pontos do planeta, permearam este fim de semana com péssimas notícias. Numa visão panorâmica da situação global, vemos os últimos olhares emocionados para as 28 vítimas do massacre na escola San Hook nos Estados Unidos. Um drama que emociona pessoas em todo o mundo que publicam palavras de indignação e de profundo pesar.



Somado a este sentimento de impotência, os Chineses ainda lamentam as 23 pessoas atacadas por um louco armado de faca na porta de uma escola na província de Hennan. este foi mais 1 dentre as dezenas de ataques por loucos armados de facas em portas de escola, somando até agora pelo menos 28 mortes no total.



Perto dali, na vizinha Coréia o povo lamenta amargamente a perda do ex-presidente Kim Jong il, cujo velório há 1 ano rendeu semanas de copiosas lágrimas por todo o país, o que levou o mundo se surpreender com tristeza popular jamais vista antes. Pra aumentar a surpresa envolvendo o tão amado líder coreano, o governo anunciou à pouco que fará uma exposição do corpo embalsamado do ex-presidente para comemorar seu 1º ano de falecimento!


Na Síria o bombardeio é a única arma de ataque do regime sírio que tenta esmagar literalmente a oposição ao seu governo. O que tem levado ao bombardeio indiscriminado de diversos acampamentos de refugiados entre palestinos e sírios. Enquanto chora com a tragédia americana, que tirou a vida de 28 pessoas, o mundo permanece em silêncio para a mortandade de mais de 300 opositores a Al-Assad em média por dia, incluindo mulheres e crianças em sua maioria.



Enquanto o mundo chora, a atenta AFP relata que neste momento já na primeira parte do dia pelo menos 43 pessoas morreram em diferentes lugares do Oriente Médio em consequência de ataques por bomba.

Uma série de atentados no Iraque matou ao menos 25 pessoas e feriu mais de 40, nesta segunda-feira. Outras ações, no Paquistão e no Afeganistão, deixaram 18 mortos e dezenas de feridos - além da explosão de uma mina em Nangarhar, onde morreram 10 garotas com idades entre oito e 10 anos.



A UNHCR (Agência para os Refugiados das Nações Unidas) lamentou  a explosão a morte das 10 meninas através da página de Facebok oficial da UNHCR.

Hoje, estamos muito tristes que uma mina terrestre matou 10 meninas no Afeganistão. A realidade é que minas terrestres continuam a existir no Afeganistão, como em tantos outros países. 
Desde 2002, a cada pessoa, retornando ao Afeganistão e receber a assistência do ACNUR passou através de uma sessão de sensibilização de minas terrestres (cerca de 4,7 milhões). Vou certificar-nos que continuemos a formação. Nossos corações e orações estão com as famílias neste momento de grande tristeza. © ACNUR / M. Maguire



Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: