domingo, dezembro 23, 2012

Índia: Morre "Nirbhaya" vítima de 7 estupros violentos em Délhi - Atualizações 29-12-12

No dia 16 de Dezembro de 2012, uma gangue de 8 homens estuprou uma jovem de 23 anos no interior de um ônibus coletivo em movimento.Enquanto a jovem está internada em estado grave, população saiu às ruas para protestar veemente.


Indian Girl cortesy by "madelinetosh blog" Creative Commom
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 23 de Dezembro de 2012 - 05:45 GMT-3
Atualização: 18-01-2013 as 17:18

A revoltada manifestação do último sábado se transformou em pancadaria e a polícia teve que reagir com jatos de água e bombas de gás lacrimogênio. As autoridades informaram que pelo menos 40 pessoas se feriram durante o confronto dos exaltados manifestantes contra os repetidos casos de estupro que se tornaram rotina no decorrer dos últimos 40 anos.

Para acalmar a revoltada população mediante o último incidente, as autoridades afirmaram que já haviam prendido vários suspeitos e membros da gangue de estupros. CNN americana revelou que o número de casos de estupro já ultrapassou de 24 mil desde os anos 70. Só em 2012 já foram registrados mais de 600 casos. Esta realidade revela o quanto desinteressado o governo indiano se mostra. Revoltas populares com base nos estupros correntes estão se tornando cada vez mais intensas e violentas. Só o governo indiano não percebe que a situação ultrapassou todos os limites de tolerância.

Disse a CNN que em conversas com jornalistas no último Sábado, o ministro da Índia prometeu punir mais severamente "no mais raro dos raros crimes de estupro". Para conter a revolta popular, cuja demanda é a "Pena de Morte" para condenação de crimes de estupro, o governo prometeu estudar punições mais severas para estes casos.

Já a vítima que passou vários dias desta semana sob cuidados em diversas áreas, incluindo infectologia, fisioterapia e psicologia, agora foi dito pelas agências que abriu uma ação judicial contra a segurança pública. Além da prisão anunciada de diversos suspeitos, incluindo o motorista do ônibus, onde o crime ocorreu, outros 5 policiais foram punidos com a suspensão em decorrência da falta de cumprimento de seus deveres. Esta estão sendo as ações do governo para acalmar o país, que já está saturada e desacredita firmemente na segurança pública, e na boa-vontade das autoridades competentes.

Em virtude do violento protesto de sábado, as autoridades ordenaram a instalação de cercas de proteção no entorno dos principais prédios do governo.



Atualização: 08:48

Manifestantes já voltaram às ruas ainda mais enfurecidos que no dia anterior. Apesar das barricadas criadas pela polícia, estão sendo utilizados jatos de água pra acalmar a multidão que anunciar ter perdido por completo a "paciência com o governo".

Os confrontos estão bastante intensos e os médicos já contam um número grande de feridos neste domingo. Agências de notícias indianas já informam o uso de bombas de gás lacrimogêneo para conter os violentos protestos que recomeçaram há cerca de 1 hora. As fontes disseram que há inúmeras tentativas de fuga de manifestantes presos e quando colocados dentro dos veículos militares, outros manifestantes furam os pneus para que não se movam.


"IndiaTimes" disse a polícia conseguiu dispersar um grupo de cerca de 10 manifestantes que passou a noite na frente da casa de Sônia Ghandi. Enquanto isso a linda moça vítima do estupro continua em estado crítico no hospital, disseram os médicos. A fonte disse ainda que 8 estações de Metrô já estão fechadas por motivo de segurança.

Para acalmar a população, autoridades já anunciaram a prisão da Gangue de estupradores. Outras fontes de notícias afirmam que a movimentação é política, mas não há como verificar no momento.

10:13

No Twitter, usuários reclamam a falta de pronunciamento do primeiro-ministro que se mantém em silêncio diante da revolta. Forças policiais recebem ordem para dispersar a manifestação, o que tem aumentado a violência no ato público.

19:00

Batalha nas ruas por justiça, batalho no hospital pela vida. A jovem estuprada conhecida como Nirbhaya já passou por 3 cirurgias para conter a infecção só neste domingo, disse o "Indiatimes", por outro lado "Huffington Post" disse que a menina teve o intestino retirado, por causa da infecção que já está se tornando generalisada. Uma corrida agora contra o tempo para isolar a infecção que se alastra quase sem controle há uma semana e se com a vítima internada a multidão está com esta fúria, pense no que vai acontecer se Nirbhaya vier a falecer...

Acompanhando todo o processo de dentro do hospital, o "Indiatimes" narrou os eventos do dia no hospital, e o médico chefe da equipe que está cuidando de Nirbhaya disse:

"Nossos fisioterapeutas estão fazendo ela fazer exercícios de rotina. Ela está consciente e alerta. Os próximos 7 a 10 dias vão ser críticos. Estamos dando-lhe antibióticos de largo espectro. Para o pós-operatório, temos que coloca-la nos aparelhos respiratórios de novo ' "disse o Dr. Athani para o "Índiatimes".

19:28

Manifestantes espalhados pelas ruas de Nova Délhi começaram a recolher as cápsulas deflagradas de bombas de gás lacrimogêneo cujas datas de validade estão datadas em: Maio de 2009.

Isto é bom ou ruim?

Atualização: 28-12-2012 as 16:09

Piora o estado de saúde da pequena Nirbhaya. Os médicos informaram nesta sexta que estão sendo incapazes de conter o avanço das infecções. Cada vez mais debilitada, Nirbhaya luta contra  a morte, mas pouco à pouco vem perdendo terreno. Fontes locais já informaram que a jovem já foi submetida a múltiplos transplantes de órgãos, mesmo assim suas condições vão se deteriorando cada dia mais, chegando a diversas falências de órgaos. Antes as máquinas de respiração eram para ajudá-la a se estabilizar com maior rapidez, e eram utilizadas esporadicamente, mas agora tem sido reportado que a jovem tem necessitado desesperadamente deste recurso.

Enquanto lá fora a população continua revoltada, depois de uma semana de confrontos com as polícias, dentro do hospital " Mount Elizabeth" em Cingapura, Nirbhaya e uma gigante equipe médica lutam por sua vida. Agora sua recuperação tem sido uma questão de honra nacional, mas não tem havido respostas muito animadoras. Depois de milhares de estupros no cotidiano da Índia, este, que foi o de número 600 do ano, para ter se tornado num drama nacional e acredita-se que levará o país a uma rota de conversão, onde as mulheres finalmente serão tratadas como seres humanos. Pelo menos espera-se que as autoridades façam o impossível para deter esta vergonhosa cultura de estupros e impunidade.

Atualização: 29-12-2012 as 12:21

Apesar dos esforços sobre-humanos da equipe médica, "Nirbhaya" não resistiu à falência múltipla de seus órgãos, em virtude de uma incontrolável infecção generalizada. A sociedade civil se revoltou ainda mais com o falecimento da moça. A falta de pronunciamento das autoridades, a lentidão na busca por soluções e a falta de uma legislação que dê às mulheres indianas o respeito mínimo exigido internacionalmente, com base nos Direitos Humanos, tem levado o país e protestar veemente, enquanto as autoridades não parecem sabe o que fazer para atender a expressiva demanda nacional.

Novos detalhes que antecederam o crime

Novas fontes locais informaram novos detalhes sobre o que aconteceu antes do crime ser praticado contra a moça, cuja identidade foi mantida em sigilo pelas autoridades e apelidada pela equipe médica como "Nirbhaya".

Um fonte relatou que a jovem havia ido ao cinema com  2 amigos. Na volta com seu suposto namorado, perceberam que já era tarde da noite e o casal avistou o tal ônibus parado num estacionamento privado. Com vidros fumês e cortinas, o ônibus era clandestino e informava que o destino seria o bairro de Dwarka à Oeste de Nova Délhi.

Apressados e preocupados com o horário, o casal avistou que o ônibus já tinha pessoas em seu interior. Provavelmente por esta razão não suspeitou de que todos os ocupantes daquele transporte eram na verdade membros de um quadrilha de estupros. Fontes disseram que aquele ônibus era utilizado para transporte escolar durante o dia, mas que ao anoitecer o veículo havia sido emprestado para um grupo de homens, supostamente sem perguntar qual seria a utilização do mesmo.

O quer nem o dono do coletivo nem o casal poderia imagina, é que pouco antes este mesmo grupo havia assaltando um homem, que por sua vez foi reclamar com a polícia que não deu crédito a sua afirmação.

Segundo as fontes, os bandidos só começaram o ato do estupro no momento em que o veículo começou a se mover. O casal reagiu. Ela relutou mas foi dominada e ele apanhou bastante e acabou assistindo a tudo sem que pudesse fazer algo para salvar sua amiga, que foi estuprada por seis homens e por uma barra de ferro, além de espancada. A ação dos criminosos durou cerca de 40 minutos.

As fontes disseram que o veículo percorreu 8 km até que num local chamado Mahipalpur, espusaram as vítimas do veículo. Eles foram deixados na rua completamente nus, muito machucados e com sangramentos. A moça já estava com o intestino descolado neste momento em função dos golpes provocados pelos bandidos com a barra de ferro.

Apesar da grave situação do casal, muitas pessoas que passaram por perto foram citadas como tendo ignorado a necessidade de socorro das vítimas, até que uma patrulha da policia rodoviária local os avistou e conduziu para um hospital próximo. As fontes disseram que o médico da emergência que atendeu o casal, afirmou nunca ter visto uma vítima de estupro dar entrada numa emergência de hospital num parecido com o de Nirbhaya. Mas o depoimento de seus familiares a respeito de seu esforço sobre-humano para não vir a óbito, comoveu o país que explodiu em protestos violentíssimos, levando à morte, também um policial. Transferida para um hospital em Cingapura, a jovem recebia atenção redobrada tanto da equipe médica, quanto de sua família, que num horário de visitas na manhã deste sábado, acabou assistindo ao momento do último suspiro da moça. Com a morte de Nirbahya em Cingapura, seu corpo está sendo preparado para ser levado de volta para Nova Délhi, onde receberá as últimas homenagens do povo indiano bem como de seus familiares.

Agências locais disseram que pelo menos 6 dos acusados já receberam ordem de prisão e ficarão sob custódia das autoridades de Délhi. Este caso está sendo citado como: "O crime que expôs e envergonhou a Índia".

01-01-2013

A Índia decide pelo boicote ao Reveillon em protesto pela morte de Nirbhaya. Em resposta, o governo suspendeu o evento.

Atualização: 18-01-2013 as 17:18

Levados ao tribunal, os 5 adultos envolvidos estão diante da justiça para responder pelo crime hediondo contra "Nirbhaya". Mas ontem a justiça indiana revelou que quer encontrar meios de levar o sexto integrante do grupo de 17 anos, a responder como adulto.

"Não levando em conta a sua idade física, mas a idade mental, baseado na sua própria escolha de participar do crime". Disse a justiça nesta quinta.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: