segunda-feira, dezembro 17, 2012

Antisemitismo: Membro do HRW é exposto em uma longa carreira racista.

Nesta tarde de segunda-feira super agitada, um fim de ano que mais se parece um fim de mundo, com tantos estresses fluindo mídia à fora, uma carta enviada pelo departamento de comunicação do HRW revelou uma surpresa muito grande: A razão pela qual o HRW nunca se pronunciava contra os ataques a Israel dentro a ONU.

Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 17 de Dezembro de 2012 - 17:38 GMT-3 - Atulaização: 20:10


A carta envia para o Human Right Watch foi levada à publico pela assessoria de imprensa do HRW. Esta parecia uma carta-bomba contra ela mesma. Apesar do perigo, a HRW arriscou em tornar publico que "Richard Falk", um influente coordenador para o conflito em Gaza, era na verdade, anti-semita ferrenho e ardiloso. Mas não era denunciado, apesar dos vários escândalos, porque além de alto oficial das Nações Unidas, o mesmo era Coordenador do Núcleo de Direitos Humanos do HRW.

Falk atuou ainda dentro da UNHCR e sua atividades foram classificadas já como tendenciosas. O Relator Especial das Nações Unidas foi flagrado encobrir suas atividades tendenciosas usando uma nova atividade que descrevia como relator sobre "a situação dos Direitos Humanos nos territórios palestinos" enquanto a carta revela que sua verdadeira missão era investigar "as violações de Israel", disse o HRW.

A carta apresenta uma série de relatórios que denunciam a posição de Falk em relação ao Hamas, como protecionista e participativa direta em ações em todas as esferas, de colaboração e suporte à Autoridade Palestina. A carta denuncia Falk como "extremo apoiador do Hamas". Classifica o conselheiro do HRW ainda como apoiador ferrenho da teoria da conspiração, que luta para provar que o próprio governo americano derrubou as torres gêmeas em 11 de Setembro de 2001, a fim de justificar a invasão do Iraque e Afeganistão.

Esta última foi por diversas vezes a razão (citada pela carta) de ser duramente criticado e repreendido até por David Cameron, Suzan Rice, Navi Pilay e Ban Ki-moon. Segundo a carta a maioria destes líderes da Secretaria Geral das Nações Unidas, acusa Falk de "anti-semitismo".  Não obstante a carta pede ainda a demissão de Richard Falk do núcleo de Direitos Humanos do HRW, em nome de quem ele se assenta na cadeira da ONU para discutir assuntos ligados aos Direitos Humanos.

"Que Falk, acusou Israel de planejar um "holocausto palestino", levando um bloco de ditaduras, incluindo a Síria, Bashar al-Assad, e a Líbia de Muammar Gaddafi, para nomeá-lo com sucesso como perito da ONU no Conselho de Direitos Humanos sobre a Palestina;"
A carta ainda o acusa de frequentar reuniões do grupo "Truthjihad.com" que além de defender a teoria da conspiração, ainda "maldizem" os "judeus étnicos", ainda fazendo lobby para Ahmadinejad, líder do Irã.


O nome de Susan Rice, aparece como que classificando Richard Falk e seus comentários idealistas como  "desprezíveis e profundamente ofensivos", chamando ainda de "abordagem unilateral e politizada".


Opinião

Como já tenho comentado em outras publicações, os passos que deveriam ser os mais importantes, para que a ONU resolva as mais desafiadoras tarefas pelo bem da humanidade e das minorias; tem sido aparentemente ameaçado por acordos de bastidores pouco favoráveis à causa.
Em minha publicação sobre a "orientalização das Nações Unidas" está claro que mesmo quem está de fora, já pode perceber a "olho nú" que os estados-membros orientais, mais acusados dos mais inadmissíveis e claros crimes contra a humanidade, contra o direito internacional ou crimes de guerra, são os que estão ocupando as pastas pelas quais deveriam ser condenados.

Como eu mesmo já comentei aqui, parece até as CPIs brasileiras. Mas a nível mundial, estes esquemas não podem durar muito. Senão será o fim!

Quando comentado sobre a exposição da carta na página do Facebook do HRW, uma internauta disparou: 

"Excellent job on your part! However, HRW has lost credibility many years ago, so it comes as no surprise they have this anti-Semitic fruitcake on the board."

"Excelente trabalho da sua parte! No entanto, a HRW perdeu a credibilidade há muitos anos, por isso não é nenhuma surpresa que eles têm este membro anti-semita no corpo."

E aí, vamos recuperar a credibilidade, ou vamos vender as cadeiras que ainda faltam?

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: