sábado, julho 07, 2012

Síria: Intracom: Empresa grega fornece serviço de rádio para agentes de seguranças - Wikileaks

O Wikileaks está de volta com profundas revelações que provocam embaraço e revelam o lado obscuro por debaixo das relações exteriores da Síria em contato com o mundo. A Intracom é uma empresa de telecomunicações sediada na Grécia, que supostamente não deveria favorecer a repressão síria contra a oposição ao regime.


Finmeccanica - SelexElsag - "Snapshot"
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 07 de Julho de 2012 - 07h57 GMT-3

Uma coisa são os empolgantes discursos teatrais de políticos que condenam a Síria por sua dura repressão contra a demanda popular. Outra coisa bem diferente é a relação das empresas destes mesmos países com a repressão da manifestação popular na Síria. Após ter anunciado que publicaria uma grande quantidade de documentos internos da Síria bem como da Revolução Síria, quanto organização, o Wikileaks não esperou  "meses" para cumprir o prometido na semana passada. Cercados de expectativa, os arquivos da Síria estavam sendo esperados por toda a comunidade internacional, a mídia mundial e a opinião pública global.


Parte da lista de e-mails trocados entre o governo da
Síria e a Intracom em 2011 - Wikileaks
No primeiro lote, a empresa de telecomunicações Intratel foi a primeira a se destacar. A empresa grega enviou um comunicado para a agência de notícias grega ekathimerini 

que publicou neste sábado uma nota enviada pela assessoria de imprensa da Intratel, afirmando que suas atividades na Síria foram encerradas desde 2008. Mas documentos revelados pelo Wikileaks mostram ainda atualizações, fornecimentos de equipamentos desde modens até componentes para helicópteros durante todo o ano passado e ainda neste ano.

Os equipamentos são variados. À começar pelos rádios sem fio utilizados pelas seguranças na comunicação interpessoal. A empresa também fornece tecnologia para segurança digital. Assim que os documentos de e-mail foram divulgados pelo Wikileaks o site oficial da Intracom saiu do ar, mas o "Saulo Valley Notícias" encontrou um acesso: "intracom.gr/".

Selexelsag

Outra empresa muito citada nas negociações correntes com a Síria, apesar das Sanções anunciadas pela União Européia, as Nações Unidas e a Liga Árabe; é a empresa dos Estados Unidos "selexelsag.com/".

Esta empresa inclusive fornece logística militar em comunicação, "automação, defesa comunicações, comunicações profissionais, tecnologia da informação e comunicação, logística e mobilidade, segurança, sistemas de aviónica. A empresa tem mais de 7400 funcionários e sedes em Genebra."

A empresa recentemente anunciou ter fechado uma grande contrato avaliado em mais de 5 Milhões de Euros com o Exército Brasileiro na área de comunicações táticas.


O Brasil só foi citado para servir de exemplo no tipo de serviço prestado pela empresa. Todo este recurso nas mãos da Síria só a tornam cada vez mais poderosas em realizar massacres e oprimir seu próprio povo.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: