sexta-feira, janeiro 06, 2012

Síria: Ministro da Defesa se demite em apoio aos manifestantes

O Ministro da Defesa Mahmoud Suleiman Haj Hamad anunciou sua demissão nesta quinta-feira (04), em protesto contra o massacre de civis sírios. Em sua declaração, o inspetor supremo disse que decidiu lutar em defesa dos mártires e pela recuperação dos feridos. O ex-ministro disse que a morte de manifestantes "é inaceitável".

"Snapshot"
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 06 de Janeiro, de 2012 - 10h42min.
Atualização: 16h11min

Em entrevista à Aljazeera, a autoridade declarou:
"Nós temos observado que a Inteligência Militar tem se infiltrado no ramo das forças de segurança e ido com eles em ônibus e carros 4x4, quando eles atacam manifestantes e os matam". "Isto é o que acontece desde o início da revolução. Não há gangues armadas". 

Mahmoud Suleiman disse que os membros do FSA (Exército Livre) que desertaram do exército regular "são pessoas honestas que se negaram a atirar contra manifestantes, e eu tive ciência disto como Ministro da Defesa." Ele também confirmou que o regime sírio pune os que se negam a atirar contra os civis.

Surpreendentemente o ex-ministro garantiu que sabe do paradeiro de pelo menos 2 bilhões de libras sírias que "estão sendo gastos com Shabeehas, no partido Ba'ath e com a inteligência militar". Segundo Suleiman, os fundos estão aumentando enquanto a autoridade se declara testemunha.

O ex-ministro disse que detém os documentos que comprovam pagamentos a ao pessoal de Hizb Allah, Nasir Allah e Ameen Hiteet entre outros.

Suleiman revelou que todos os ministros e oficiais estão "detidos" pelo sistema e que só conseguiu sair da Síria para o Cairo em férias oficiais. Ele acrescentou que as massivas deserções estão enfraquecendo o regime, e que entende que sua única alternativa é matar civis, por não ter mais o controle da situação. Ele descreveu o regime sírio como "debilitado".

Mahmoud Suleiman garantiu que 80% das lideranças do regime querem deixar suas posições mas lutam por suas próprias vidas e por suas famílias pela dissolução do regime, que pode ser alcançada por meio das deserções e demissões.

O ex-ministro afirmou que o Irã e o Iraque tem enviado ajuda financeira para o regime sírio assim, como bandidos (Shabeeha) para compor as forças de segurança por meio de Hami Makhlouf em troca de manter suas posições. Mas para ele, a Revolução Síria é "incontrolável".

Mahmoud Suleiuman disse que ele mesmo se disfarço e se misturou com os manifestantes e concluiu que "as pessoas saem de suas casa para morrer" porque elas preferem a "morte não a humilhação".





Atentado terrorista

Pela segunda vez o regime sírio simulou mais um atentado terrorista, alegando mais de 100 mortes desta vez. A população e a Revolução Síria denuncia a fraude. Pois é. atacaram um ônibus ocupado apenas por escudos e capacetes militares:


Sahbu Jornalista que analisou a cena do "atentado" e registrou em vídeo o material usado para fabricar a explosão disse: "É a maior Mentira!"


A notícia do atentado só foi divulgada pela TV Estatal Síria.

Protesto Inusitado

Maliquitas sírios saíram às ruas declarando que "os protestos se tornaram cristãos"

Artigo em Destaque

Pra quem reclamar quando autoridades estão ligadas aos criminosos?

Quando você se vê atingido por uma autoridade usurpadora do teu próprio direito, a quem reclamar, quando você sabe que a autoridade máxima ...

Leia também: