segunda-feira, janeiro 09, 2012

Síria: Ex-Cia explica porque massacre de civis continuará.

A oposição síria tem publicado relatórios sobre a ineficácia do plano dos observadores e seus relatórios que acusaram imensa omissão e oportunidade para extender o conflito por mais tempo, aliás, muito mais tempo pode significar anos, se depender do ministério árabe.

Cortesia: "cartoon.syria"
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 09 de Janeiro de 2012 - 18h43min.

Enquanto acordos bilaterais são firmados por trás dos bastidores, a mercadoria parece ser a população síria que sofre com prisões, torturas e massacres. Enquanto que o governos árabes parecem interessados em assumir os arquivos da Síria em nome da defesa dos civis, a impressão é que este processo de passar os arquivos de mão em mão demonstra uma estratégia para evitar chegar às Nações Unidas, enquanto que a Síria tenta finalizar os opositores do regime à médio-longo prazo.

Conversando com um importante profissional de justiça no ano passado que me disse que o número de mortos na Síria "ainda não é suficiente" para uma intervenção. Já a confirmação veio pelo ex-funcionário da CIA Robert Baer que foi citado pelo site "All4Syria" como dizendo que implementação da "zona tampão exige mais sangue". Ok, regras são regras, mas há casos de crimes contra humanidade em que a autoridade acusada matou 120 civis, Hafez Assad matou mais de 10 Mil (45 Mil não oficialmente) e nem foi arranhado pelas leis internacionais. Então se todos sabiam que a mortandade síria precisaria de um número ainda maior para alcançar as "exigências" internacionais, porque então centenas de autoridades ficam fazendo discursos de fachada exigindo a saída de Al-Assad, fazendo ameaças e mais um monte de baboseiras se sabem que ele não sairá e que ninguém poderá retirá-lo do poder até que um dilúvio de sangue sírio cubra os montes mais altos da Síria?

Cortesia: "cartoon.syria"
De acordo com a entrevista divulgada pelo site "All4Syria", o ex-agente Robert Baer disse que Al-Assad permanecerá no poder até Março/2012 (Quem determinou isto?).  Quando perguntado sobre o recuo da América com relação à Síria, Baer repondeu que a invasão do Iraque ensinou a seguinte lição:

"Livre-se do ditador Saddam Hussein e o mapa vai mudar"
Esta frase se tornou um provérbio americano para demonstrar que com a remoção dos ditadores o oriente médio tornou-se ainda mais sangrento, o que ele descreveu assim:

"Desde que George W. Bush invadiu o Iraque, as portas do inferno se abriram em todos os lugares ..!

O profissional em segurança disse ainda que a intervenção militar na síria havia sido aprovada, mas nenhum país que apoiava a intervenção queria intervir no regime de sangue de Al-assad, citando o Qatar como exemplo. A conversa franca mas com limitações de um ex-agente da inteligência foi progredindo:

O entrevistador perguntou se havia alguma ação da inteligência americana na Síria e Baer disse que não. Quando perguntado sobre as razões, Robert Baer explicou que a Líbia é composta por 4 tribos sunitas, enquanto a Síria tem Alawitas expalhados por todos os lados, o que levaria a uma limpeza étnica. O entrevistador perguntou: "Mesmo sabendo que os Alawitas representam 10% da população síria, cerca de 23 Milhões de pessoas?"

Cortesia: "cartoon.syria"

Ele respondeu: "Aonde os Alawitas vão...  não pode haver limpeza étnica sem um monte de sangue..." Mas Baer afirmou que ainda que antes de haver uma possibilidade de limpeza racial na Síria, "deverá haver um massacre similar ao de 1982". Ele ainda apontou que "Homs é o lugar mais provável que aconteça", só então é que será instalada "uma zona de amortecimento para proteger os civis".

Respostas matemáticas e diretas para descrever o que pensam as autoridades internacionais e as organizaçãoes como as Nações Unidas. Se esta revelação está correta deixa bem claro que a Liga Árabe está fazendo um papel de fantoche, se expondo e se permitindo levar ao ridículo e à descrença - Penso eu.

Baer garantiu que o Irã não tem a menor capacidade para intervir no conflito da Síria, como não pode impedir o No-Fly-Zone da Líbia, após muitas ameaças. Em análise destas revelações, o que se pode pensar é que até mesmo o número de alertas e sanções, são contados insuficientes para impedir o massacre; uma realidade bem diferente da que a Liga Árabe mostrou estar fazendo em Agosto de 2011 quando sugeriu a implantação dos Observadores para "cessar imediatamente o derramamento de sangue dos civis".

Neste caso, o derramento de sangue inocente deverá prosseguir, enquanto os bravos heróis da resistência (FSA - Exército Livre) buscam (sem querer) à todo custo impedir o que seria os rumos da libertação síria?

Isto significa que deveríamos todos virar as costas para o derramamento de sangue sírio até que alguém diga que "o pote está cheio"? Video: FSA em luta aberta contra Cbihh em 09-01-2012

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: