quarta-feira, janeiro 18, 2012

LAOS: Venda "legalizada" de bebês e meninas por US$ 5.000 para exterior.

Ativistas no Laos tem denunciado que um esquema de falsa adoção tem levado milhares de bebês recém-nascidos, meninas e mulheres para o exterior a preços que variam entre 2 e 5 mil dólares. De acordo com as fontes, o comércio é legalizado por força de esquemas de "adoção" endossados por documentos emitidos pelo Governo Federal.


Foto: tbSMITH" Cortesia sob Creative Commons"
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 18 de Janeiro de 2012 - 09h13min.
Atualização: 10h07min.

Ativistas dos direitos humanos alertam que documentos utilizados para adoção estão sendo desviados para esquentar negociações de tráfico internacional de bebês e mulheres adolescentes e adultas para a indústria da exploração sexual. As vítimas são todas de famílias muito pobres e em grande parte são localizadas nas regiões mais remotas do Laos e em hospitais, conta a "Rádio Free Ásia", uma ONG com sede nos EUA que milita pelos direitos humanos no continente asiático.

A fonte que cita funcionários ligados à segurança, descreve esta organizações como "sindicatos", que vendem crianças à partir de 1 ano de idade para casais estrangeiros de países asiáticos, além dos Estados Unidos. Sob condição de anonimato, a agência disse que funcionários da segurança afirmam que o Governo teria poder para impedir tais crimes, "se estas adoções não fossem legais".

Foto: tbSMITH" Cortesia sob Creative Commons"
De acordo com a fonte, "os traficantes de seres humanos" adotam bebês recém-nascidos e aguardam até que tenham a idade ideal para a venda e os preços variam de US$ 2.000 a US$ 5.000 no comércio internacional. De acordo com a "RFA" ainda, as testemunhas que concordaram em ceder a entrevista sob condições de anonimato, contaram que os documentos esquentados são endossados por pessoas que "fazem todo o trabalho com o Ministério dos Negócios Estrangeiros e com o Ministério da Justiça," para que as adoções sejam legitimadas.

Foto: tbSMITH" Cortesia sob Creative Commons"
Além de escravos sexuais, do Laos também saem pessoas que são vendidas para o trabalho escravo na China,  Malásia e Tailândia, destacou a RFA. O país tem sido conhecido como principal origem de escravos asiáticos para exploração sexual e trabalhos escravos em fábricas ou para serviços domésticos.
O site "GVNET" publicou um relatório emitido pelo Governo Americano em 2010 que já dá ampla visão do que ocorre no país: "gvnet.com/humantrafficking".

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: