quarta-feira, janeiro 11, 2012

Julian Assange: 400 dias de prisão sem julgamento.

O ativista e jornalista Julian Assange passou todo o ano de 2011 em prisão domiciliar na Grã-Bretanha, na casa de um grande amigo. Ele foi acusado de estupro e abuso sexual de duas mulheres suécas em 2010. Por força da acusação e apresentação do preservativo furado como prova, a Suécia emitiu uma ordem de prisão internacional para Assange que na ocasião estava na Austrália. O acusado decidiu se apresentar às autoridades britânicas e se arrependeu.

Cortesia "stiksa" by Creative Commons
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 11 de Janeiro de 2012 - 20h38min.

O caso é que Assange se tornou o homem mais perigoso do planeta desde que decidiu publicar um vídeo ultra-secreto do exército americano no Iraque e cabos diplomáticos ultra-secretos de todos os países que se relaocinam com os Estados Unidos. A divulgação de mais de 200 Mil documentos para a mídia internacional provocou vexame e insegurança às autoridades mundiais. Constrangidos, muitos acabaram nem se pronunciando, enquanto nos EUA, políticos do alto-escalão falavam em executar Assange.

Por outro lado, muitos países, autoridades e agências de notícias entenderam que aquelas informações eram importantes para mostrar o que realmente ocorre por trás dos bastidores políticos e principalmente o que os Estados Unidos pensavam de seus próprios parceiros e aliados, mas é certo que nem todos estavam prontos para saber das publicações que estremeceram as relações comerciais e políticas entre os EUA e  muitos países.

Por volta de Junho e Agosto de 2010 Julian Assange, conheceu e se relacionou com duas mulheres lindas, inteligentes e completamente engajadas em seu projeto, mas uma não sabia da existência "da outra". Solteiro, Assange arrasava com a mulherada que o admirava por seu incrível status ascendente ao realizar palestras exibindo documentos americanos para as maiores autoridades do planeta.

"Poster Boy" by Creative Commons
Bem relacionado com a grande mídia, Assange teve a oportunidade de ouro para publicar todos os documentos que pode conseguir. Mas a resposta americana pode não ter saído de Washington:

Ao se descobrirem, as duas mulheres se sentiram traídas, e combinaram processar Assange juntas. A amante "A" alegou que Assange havia feito uma penetração vaginal quando ela estava dormindo na cama da casa do namorado. Ele só descobriu quando acordou e viu que o bonitão não usava preservativos. Ela argumentou mas Julian a seduziu fácilmente a continuar (Na Suécia sexo sem preservativos igual ao crime de estupro).

A amante "B" afirmou que durante a relação sexual, a camisinha furou mas o clima estava tão bom, que mais uma vez o Galã a convenceu a continuar, embora "contrariada". (Na Suécia tanto sexo sem camisinha ou com camisinha furada constitui o crime de abuso sexual).

Por esta razão a Interpol recebou a ordem  de prisão contra Julian Assange, que por não ter domicilio na Suécia, embora seja suéco, fez o juiz entender que ele poderia fugir. A prisão "preventiva" foi emitida mas Assange estava mesmo é com medo da Suécia entregá-lo ao seu grande aliado EUA, para enviá-lo para a prisão de Guatánamo ou para executá-lo pelo crime de espionagem.

Por esta razão ao invés de voltar para seu país de origem, ele escolheu a Grâ-bretanha (pátria-mãe dos Estados Unidos) para garantir sua integridade. Bom, após 1 ano na Grã-Bretanha a justiça decidiu enviá-lo para a Suécia para responder às indagações das justiça, enquanto EUA exigia que Wikileaks deixasse de publicar cabos diplomáticos proibidos. Mas eles são compartilhados até os dias de hoje pelo The New York Times, Guardian, Al-Jazeera dentre outras agências.

Cortesia "mar is sea Y" by Creative Commons
Colaboradores

A inteligência americana levantou todos os seus colaboradores e o que mais sofreu até agora foi o jovem oficial de apenas 20 anos na época de sua prisão, Bradley Manning, acusado de vazar o vídeo gravado por um dos helicópteros Apache quando mataram o jornalista da Reuters e outros 7 civis desarmados além de 2 crianças que estavam no carro que foi prestar socorro aos feridos.

Julian Assange publicou documentos que também comp´rovavam que o programa Guerra ao Terror no Iraque havia matado mais de 66 Mil civis, por meio de uma empresa privada america da área de segurança conhecida na época como Blackwaters e mais tarde trocou o nome fanbtasia para XeService (duplo sentido para Serviços de Execução ou Execução de Serviços).

Uma publicação recente e bastante complicada até de se divulgar, o Wikileaks de Assange enviou para o "The Washington Postcabos diplomáticos que comprovam que os Estados Unidos estão patrocinando a revolução síria desde 2006, tendo enviado até os dias de hoje a quantia de 6 Milhões de dólares para a manutenção de veículos de comunicação em massa para contribuir para a derrubada de Al-Assad do poder.

Para maiores detalhes, acompanhe todas as fases do processo de Assange no site Wikileaks.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: