sábado, dezembro 31, 2011

Medo: Incêndio em submarino nuclear russo deixa 9 feridos por contaminação.

Um incêndio num submarino nuclear russo que estava em manutenção precisou do reforço dos Bombeiros para impedir uma catástrofe. Os bombeiros levaram toda a sexta-feira para apagar os focos de incêndio.


Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 31 de Dezembro de 2011 - 10h17min.
Atualizado 11h43min.

7 policiais e 2 resgatistas foram internados para decontaminação depois de terem inalado Dióxido de Carbono, na tentativa de impedir a proliferação do fogo que começou na manhã desta sexta no submarino nuclear russo Ictrenberg, atracado no estaleiro Roslakuvu em Marmunsk, no Norte da Rússia, para manutenção. Fabricado em 1980, o sub havia sido reformado em 2003, segundo o site "businessweek".

De acordo com o site "daralhayat" o submarino nuclear que normalmente portava "16 mísseis balísticos intercontinentais do tipo "Sineva" foram retirados juntamente com todas as outras armas, bem como o reator nuclear foi desligado "antes do início do trabalho de manutenção."


As autoridades russas disseram por meio do ministério das Relações Exteriores que não há qualquer risco de contágio por radiação e que a situação está "sob controle".

De acordo com "daralhayat", que citando o ministério russo como dizendo que o incidente teria sido provocado pela "falta de compromisso de manutenção da tecnologia".

Enquanto o Japão tenta se reconstruir após a grave tragédia de 11 de Março, que superou os danos históricos de Chernobyl, a Rússia não só tenta administrar a difícil tecnologia como compartilhar esta preocupação por meio da venda de armas nucleares. Desta vez, a Índia celebra a proximidade do  recebimento de seu próprio submarino nuclear russo, conta a "irna" que a compra chegou à casa dos 920 Milhões de Dólares, devendo atracar em caís indiano no fim de Janeiro de 2012.

sexta-feira, dezembro 30, 2011

Síria: Sexta começa com 4 mortos em Homs durante tentativa de salvamento.

A sexta-feira é sempre o dia da semana que apresenta relatórios de maior número de mortes, devido ao fato de que após as orações, os fiéis saem das mesquitas em grande número, pedindo o fim do regime. A presença dos Observadores enviados pela Liga Árabe, pouco influencia nos acontecimentos. 4 mortos no bairro de Tlklkh em Homs.


Observador acena bandeira branca para escapar com vida do atirador do regime
Snapshot - 28-12-2011
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 30 de Setembro de 2011 - 07h56min.

Mas a presença do exército sírio influencia no tamanho do derramamento de sangue de civis, no número de mortes, no número de feridos e de construções destruídas. Relatório da CCLS desta sexta-feira revelou as primeiras mortes o dia a morte de Alaa Bilal no subúrbio de Damasco, no Bairro de Moadamia.

Video: Populares se queixam dos Observadores em Baba Amr.


Enquanto os Observadores chegam aos bairros de Harasta (Damasco) e Al-Hasan (Subúrbio), forças do exército chegam em grande número e já iniciaram repressão nas seguintes  regiões:

Abu Kamal (Deir Azour) - "Fogo pesado contra manifestantes na saída da Mesquita de Hahman."
Hasaka - "Cerco policial sem precedentes, para impedir manifestações com uso de tanques."
Moadamia - (Subúrbio de Damasco)  As forças de segurança dispersaram os enlutados em um funeral.


Sahwa (Daraa ) Forças militares do regime invadiram a cidade nesta manhã.
Deir Ezzor: "Implantação de segurança pesada em Al Rawda praça e mercado de Al Jbaileh".
Kobany: Ein AlArab (Aleppo) "Uma demonstração começou e tentar chegar até a Praça da Liberdade gritando por liberdade e exigindo a derrubada do regime."

Video: Observador conta o que testemunhou na entrada "Porta dos Animais Silvestres" em Homs (em Árabe):


Lattakia: "Propagação do forte esquema de segurança em torno do estaleiro, o xeque Dahir."
Tlklkh: (Homs) A morte do jovem Khalid Morgan além de Hammadi Munther, Awad Fawzi e Awad Zahir por força de uma emboscada das forças de segurança, quando este tentava ajudar os feridos, transportando-os para além da fronteira libanesa.

Há boatos de que o regime sírio teria acusado a Irmandade Muçulmana pelo atentado contra o prédio do governo (realizado pelas forças de segurança) na semana passada.

quinta-feira, dezembro 29, 2011

Síria, Liga Árabe e os Observadores decepcionam.

"International-Journalism
-in-the-Arab-Revolution
"
A farsa já estava clara desde o início, mas o mundo precisava esperar para ver como que a Liga Árabe conduziria a estratégia de preservar e proteger o regime sírio sem demonstrar envolvimento. A presença do Observadores nem de longe inibe o derramamento de sangue, além de relatórios falsos, falsos terroristas atiram contra eles.


Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 29 de Dezembro de 2011 - 09h02min.

Para confundir as informações, o regime sírio trocou os uniformes e as tarjas de identificação dos soldados em Damasco. Suas identificações foram substituídas pelo brevê que descreve os assassinos como "pacificadores".

Mortes em tempo real

Homs - A CCLS disse há 3 minutos que está havendo agora um pesado tiroteio contra os manifestantes em Hama, que caminham pela rua 15 de Março, e já há informação de 1 vítima das forças de segurança. Um jovem morreu na  região de Al-Hader.

Idlib - Confronto entre o FSA (Exército Livre) e o exército regular está acontecendo agora com pesado tiroteio e uso de tanques em larga escala.

De acordo com o Comitê de Coordenação de Locais da Síria, o saldo de mortos só na parte da manhã de hoje é de pelo menos 10 pessoas, incluindo 1 mulher e dois palestinos.

Observadores 

O mundo acreditava que a Síria se preocuparia com a segurança dos observadores, mas na prática isto não acontece. Nesta Quarta, atiradores do regime sírio atiraram contra os Observadores em Baba Amr, na província de Homs.


Como se pode ver no vídeo, os observadores estão em uma grande enrascada. Cercado de pessoas pedindo socorro sem parar, agentes de segurança tentando desfazer os flagrantes, enquanto que tropas militares escondidas, foram para os campos e aldeias, dar continuidade ao genocídio. O Jornalista Martin Fletcher concedeu uma entrevista à Al-Arabiya descrevendo o que viu na Síria.


Enquanto isto, o General Al-Dhabi chefe dos observadores na Síria, que na minha última publicação mostrei que ele mesmo é acusado de genocídio pelo CCI, descreveu a situação em Homs como "tranquilizadora" e a agência SKY e a CNN ouviram os manifestantes sírios que declararam que o relatório dos observadores e a escalação do General sudanês é uma farsa.

VIDEO: Deraa - 28/12/2011 - Enquanto as tropas sírias se movem, o Exército Livre (FSA- Free Syrian Army) prepara emboscadas para impedir o progresso das forças de segurança para as aldeias e vilas, para fugir dos olhares dos observadores: 


quarta-feira, dezembro 28, 2011

China: Guangdong: Protestos massivos contra roubo de terras e usinas de carvão.

Wukan não é a única região da província de Guandong a reclamar o roubo e venda ilegal de suas terras. Por toda a província, milhares de pessoas têm saído às ruas para pedir o fim da corrupção política, bem como a devolução de suas propriedades, enquanto que o Governo diz que "todas as terras pertencem ao Estado". Há relatos de confrontos e prisões.

"wikipedia/China_Guangdong.svg Creative Commons"
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 28 de Dezembro de 2011 - 09h39min.

O Dragão Chinês parece estar adormecido mas já há sinais que preocupam. A Associação dos Jornalistas de Hong Kong tem denunciado o Estado de Guangdong por reprimir e expulsar os jornalistas durante a cobertura dos protestos em Haimen, evento este que inclusive foi marcado com a prisão de muitos manifestantes que até agora não ganharam a liberdade.


© Copyright Chris Allen
and licensed for reuse under this
 Creative Commons Licence.
Em Haimen os protestos têm sido contra a implantação de usinas de carvão em consequência do elevado grau de contaminação da água e do ar. liderados por ativistas ambientalistas mais de 30.000 populares bloqueram estradas e enfrentaram as forças policiais na semana passada, resultando em 2 mortes e vários feridos (mas há fontes que alertam que o relatório foi modificado pelas autoridades locais e que o número de mortes real é de 6 pessoas e 200 feridos no confronto). Mesmo assim os protestos continuam. Ontem pelo menos 500 manifestantes voltaram para uma das principais estradas federais para protestar contra a construção da usina elétrica, alegando que embora o Estado tenha prometido o arquivamento da construção, isto não foi tornado público, disse a agência "voanews". A construção da usina afeta diretamente o modo de vida da região, que depende principalmente da pesca, o que tem sido prejudicado pelo elevado teor de contaminação das águas pelas usinas de carvão na China. Alguns componentes tóxicos despejados pelas usinas são altamente cancerígenos.


Enquanto isto em outras partes da província as pessoas continuam protestando contra a venda não-autorizada de suas propriedades, o que tem levado centenas de pessoas a levantar suas vozes contra corrupção no governo. Preocupado com a situação crítica do país, o ativista "@ bleutee " disse que os chineses também precisam do espírito de desobediência civil, devendo fazer escolhas entre  "revolução ou debate". Ele acredita que esta é uma "moeda de dois lados" cujas facetas apresentam opções "não-violentas" de manifestação ou de não-cooperação é a escolha de rota real, para atualizar o conceito das pessoas que ainda é muito pequeno."

sábado, dezembro 24, 2011

Síria transfere 560 presos para um laboratório militar; O Massacre de Idlib.

A corrida para maquiar o país das tragédias que tem vivido chega a parecer coisa de criança. Mas as Nações Unidas precisam desconfiar de cada resultado apresentado pelo regime, se quiser proteger a população síria. Um natal banhado em sangue, justamente a data mais sagrada para as famílias locais. Há vídeos no youtube com 80 a 90 corpos de manifestantes numa mesquita em Kafr Owaid, aldeia de Idlib.

Oração - As últimas mortes em Baba Amir 24/12/2011
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 24 de Dezembro de 2011 - 08h52min.
Atualização: 18h45min.

Ativistas de Homs disseram que 560 presos foram transferidos da Prisão Central e estão sendo transferidos para uma base militar, aonde funciona um laboratório. Os ativistas pedem que as áreas militares sejam revistadas pelos "observadores". O ativista dos Direitos Humanos que usa o apelido "Abo Abdo" enviou um pedido urgente para que as autoridades procurem visitar o bairro de Baba Amir na cidade de Homs, se possível neste exato momento. Uma situação catastrófica. O regime sírio está se aproveitando do evento festivo de importância mundial e dos recessos no judiciário para cometer os crimes com o máximo de liberdade e impunidade, na ausência das autoridades internacionais e principalmente com o aval da Liga Árabe.


Os crimes do regime sírio estão ficando cada vez mais visíveis, volumosos e hediondos. Neste Sábado, forças de segurança tem escavado os túmulos de manifestantes em Baba Amir em Homs.


Liga Árabe - Observadores

Uma investigação profunda realizada pela ONG Enough Project revelou que a liga árabe está agindo de forma muito suspeita, no mínimo curiosa. Os excessos de prazos cedidos a Bashar Al-Assad já levantavam desconfiança, e a insistência na implantação de Observadores, já que o prazo estourado há mais de 30 dias, exigia novas opções, mas a Liga se manteve presa no protocolo dos Observadores, que a população síria chamou de "Protocolo da Morte" como tema para as manifestações nacionais do dia de ontem (Sexta).

Desconfiança agora a revolução síria tem de sobra com relação às reais intenções do Conselho de Ministros, que parece tentar achar um fim pacífico para Bashar Al-Assad, e não para a violenta crise que varre o país.

A grande descoberta da Enough Project está ligada ao Chefe da primeira leva de Observadores, "o profissional de segurança, o sudanês Mohamed Al-Geral Dhabi, um veterano do serviço de inteligência."  Para quem não conhece o primeiro pensamento é que ele será um instrumento valioso no detalhamento dos fatos na República Árabe da Síria, mas o relatório continua:


Este homem sexagenário, é um confidente do presidente Omar al-Bashir, que é suposto para parar as prisões e assassinatos de opositores sírios, esteve envolvido, ele próprio, na guerra civil entre o norte e o sul do Sudão e no conflito em Darfur,no qual o Sr. Bashir, é acusado de "genocídio", tem um mandado de prisão do Tribunal Penal Internacional (TPI).

O relatório divulgado pela ativista Isabelle Prax, extraído de uma reportagem publicada pelo Le Monde que não encontramos, mas que atesta que o próprio General Mohammed Dhabi é acusado de crimes contra a humanidade no Sudão, disse a Enough Project especializada em Direitos Humanos no continente africano.

"Mas o general Al-Dhabi, promovido a chefe da inteligência militar após o golpe de Bashir em 1989, realizou numerosas missões em conexão com esta região.  A milícia pessoal ele colocou para este fim, composta exclusivamente por árabes, é considerado como um dos precursores da Janjaweed, pró escravidão, gangs armadas, que espalharam terror em Darfur."
"Milhares de Masalit foram mortos e dezenas de milhares foram forçados a fugir", escreve W. Daly. Em seu livro de referência sobre a história do Darfur (Darfur Sorrow, Cambridge University Press, 2007), American acadêmica MW Daly explica como isso ajudou a oficial superior para reprimir a rebelião do grupo Masalit étnica em Darfur Ocidental ."....

 Video: Novas massivas deserções


Enquanto isto, uma pesquisa mais aprofundada realizada pela ONG Avaaz, segundo a Aljazeera Árabe eleva para mais de 6200 o número de mortes na síria. Na verdade, como já dissemos antes aqui, que mais de 5300 mortos haviam sido indentificados pelo Avaaz nos meados de 2011. Como ao crescente número de mortes diárias, provocados pela cumplicidade da Liga Árabe, e a determinação de exterminar a todos os Ativistas e soldados desertores, além de manifestantes e simpatizantes da revolução, a situação realmente fica fora de controle.

sexta-feira, dezembro 23, 2011

Revolução Síria: Bombardeio de prédio governamental é estratégia do Regime Sírio.

A Comissão Geral da Revolução Síria publicou uma declaração nesta Sexta-feira 23 de Dezembro de 2011 alertando para a "patética" estratégia do regime sírio de atacar os prédios do próprio governo, em preparação para a chegada da primeira equipe de Observadores em cumprimento do protocolo assinado entre a Síria e a Liga Árabe.

Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 23 de Dezembro de 2011 - 18h35min.

Um sentimento de revolta ainda maior tomou conta da população síria depois dos massacre realizado no Canto do Monte, em Idlib nos últimos dois dias resultando na morte de mais de 200 civis e a execução de dezenas de desertores. Este sentimento tornou-se ainda maior depois que ataque realizado contra o palácio do Governo em Damasco que aconteceu na manhã de hoje, provocando um misto de revolta e ironia tanto por parte da população, quanto da oposição síria.

Al-Assad e Asma - Cortesia:
"Ammar Abd Rabbo"
A Comissão Geral da Revolução Síria e a população síria tem pressa em revelar as atrocidades e os crimes cometidos pelo regime de Bashar Al-Assad, bem como desfazer todas as suas enganosas campanhas publicitárias, que visam encontrar meios para continuar a exterminar a população, funcionários militares, políticos e abalar as estruturas do país antes de sua iminente deposição.

Abandonado pela maioria dos aliados, o regime sírio busca agora ludibriar a Liga Árabe, que por sua vez, não parece muito apressada em resolver a questão síria, deixando diversas brechas para que novos massacres aconteçam todos os dias, contra a população civil desarmada e inofensiva.

Este esforço da Comissão Geral da Revolução Síria visa a proteção da população como um todo e encerrar o derramamento de sangue indiscriminado no país. Por esta razão, desmascarar o sistema é realmente essencial para o momento.

A declaração sobre os bombardeios de edifícios públicos durante a sexta-feira do "Protocolo de morte", a Comissão Geral da Revolução Síria como representante do movimento popular na Síria e um grupo que planeja, organiza e leva parte integrante da Revolução sírio reafirma o seguinte:
 "A revolução síria manteve todas as ações para permanecem pacíficos e nunca adotou quaisquer táticas militares

Ela se refere aos atentados contra os prédios governamentais nesta Sexta, declarando que os

"atentados que tiveram lugar em Damasco hoje foram familiarmente patéticos e arremetem ao governo sírio e uma tentativa débil para plantar o medo e o terror nos corações dos civis."

A Comissão da Revolução Síria tem rejeitado estes ataques alertando que:

"Esses bombardeios foram estrategicamente planejados durante há alguns dias dos preparativos para chegada dos observadores internacionais por motivos sírios no esforço para danificar nosso movimento pacífico contra a opressão e injustiça."

Respeitada e reconhecida como principal liderança popular no país, o povo sírio assina embaixo da declaração  que se resume com as seguintes palavras:

"Esta é uma ação que os sírios repetidamente experimentaram. Por volta na década de 80, quando o regime de Assad teria assassinato seus próprios agentes da polícia, bombardeado edifícios civis e governamentais apenas para culpá-los em qualquer movimento que não o aprovam."

A Revolução ainda trouxe à memória que "bombardeios muito semelhantes" eram praticados nos anos 80 para justificar as operações militares do regime sírio em diferentes cidades em missões de "aniquilamentos dos mais horríveis sobre civis inocentes." 

"Nós por este meio denunciar atentados do Regime sírio de edifícios públicos e declarar que o povo sírio está muito ciente das táticas do presente regime. Agora estamos mais persistentes para continuar nossa missão até que liberdade seja alcançada - Comissão geral de revolução sírio de 23 de Dezembro de 2011"
Próximo passo do regime

Um ativista sírio descobriu o regime está convocando os funcionários, seus familiares e simpatizantes para que amanhã seja realizada um grande funeral público pelas vítimas dos ataques contra os prédios do governo nesta sexta.

(Provavelmente utilizará vários corpos sequestrados em operações nas aldeias, que têm gerado um número alarmante de mortos).

quinta-feira, dezembro 22, 2011

Síria: Um Tsunami de sangue; O país desgovernado.

O caos tomou conta do país. Entregue às baratas, a Síria tem se transformado num grande matadouro, onde rebeldes matam centenas de soldados regulares num único dia e vice-versa. Ainda sobra para a população que morre em média de 30 a 50 diariamente, sem o menor esboço das autoridades sírias, Liga Árabe e Nações Unidas.


Cortesia: "Moataz Abu Ezz"
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 22 de Dezembro de 2011 - 10h52min.
Atualização 23h41min.

Para todos, a comemoração do Natal é inadiável, mas pára a população síria, o dia da sua morte é hoje. Não importa quantos morram nem quando. Sempre será hoje, enquanto que nos bastidores da política internacional, a ganância é a única causa de tantos crimes sem condenação. Negociações em segundo plano, mas que não levaram a resultado algum fazem o massacre da Síria continuar em prorrogações cada vez mais sangrentas. Muitas e muitas pessoas mortas como se não fossem ninguém ou nada.

Desertores executados em Idlib
22/12/2011 http://twitpic.com/7wn5ju
A bola de "Neve"

O exército sírio recebeu ordens para matar os manifestantes e oposicionistas ao regime, bem como simpatizantes dos dissidentes. Sem conseguir suportar a pressão, muitos soldados acabam desistindo de obedecer o comando de sacrificar a população síria. Mas a inteligência tem ordens para executar a qualquer militar rebelado, antes que tenha tempo de fugir ou de se unir ao Exército Livre. Enquanto isto o Exército Livre procura castigar com a morte a todos os militares e agentes de segurança que atacam ao povo sírio.

Nesta quarta-feira (21) um relatório da Revolução Síria disse que as aldeias colonizadas pelo exército regular, tem sido esvaziada de habitantes. O relatório afirma que muitos ativistas fugiram para os pomares em busca de abrigo da violência massiva que percorre o país como o anjo da morte. O relatório divulgado pelo ativista "Moataz Abu Ezz" diz que só ontem mais de 100 civis e ativistas morreram nas mãos dos soldados e forças de segurança, quando tentavam fugir para os pomares em Idlib, no Canto da Montanha.

O relatório afirma que por mais de 5 horas as forças de repressão perseguiram e bombardearam os fugitivos "com chuvas de balas e bombas e tanques". Um número de jovens foram presos em Kvrauad, de dentro de suas casas e foram executados juntamente com os ativistas de diversas aldeias. 11 corpos foram encontrados na mesquita do Norte de Kvrauad elevando o número de mortos a 110 civis, apenas nestas operações em Canto do Monte, Monte Hhacbo e nas matas e planícies perto da montanha.

O relatório à seguir não foi editado, apenas traduzido pelo Google, fornecido pelo ativista da Revolução Síria: "Moataz Abu Ezz":

"foram contabilizados mais de 110 corpos em uma mesquita do Norte Kvrauad e 11 corpos em uma mesquita em Almuserh."

Foi identificado na 51 nomes entre Kvrauad e Kinsafrah, sem falar no gigantesco número de feridos.

O bombardeio continua até agora em Kvrauad e Alaftyra e Qoagafin e Kinsafrah

"Lista dos Mártires Kvrauad hoje 2011/12/20: que se verificou

Nomes disponíveis das vítimas do massacre de Kvrauad até agora:

• Mártir Mahmoud Abdul-Rahman Al / Idlib - Coelho

• Shahid Ahmed e Walid denominador / Idlib - SERGA
• Shahid Alaa Driei / Idlib - SERGA
• Mohamed Al-Hassan Fayad / Idlib - SERGA
• o mártir Sheikh Suleiman Jaafar / Idlib - SERGA
• Mustafa Ismail Shahid Cilawi / Idlib - SERGA
• Shahid Amin Yousef Cilawi / Idlib - SERGA

• Khaled Hussein Rajab (Sarhan), um soldado renegado / Idlib - Alhbit citado em Kafr Owaid.

• Mohamed Al-Hussein / Idlib - Kinsafrah
• Shahid Ahmed Haj Ali Ismail / Idlib - Kinsafrah
• Hajj Ali Shaheed Muhammad / Idlib - Kinsafrah
• Jamal Ali Ag / Idlib - Kinsafrah
• Tarek Khalil mártir / Idlib - Kinsafrah
• Mártir Basil Khalil / Idlib - Kinsafrah
• Mohamed Al-Haj Yassin atributo / Idlib - Kinsafrah
• Shahid Ali Saleh carpinteiro / Idlib - Kinsafrah
• Secretário Adnan Shahid / Idlib - Kinsafrah

• Fadi Adnan Mahmood / Idlib - Kvrauad
• Yasser Ibrahim Al-Ibrahim / Idlib - Kvrauad
• Mustafa Mohammed Radwan (dote) / Idlib - Kvrauad
• Yasser Da'duc / Idlib - Kvrauad
• Adnan Alasmaeil (Ibn Abu afluente) / Idlib - Kvrauad
• Ibn Jassim gerbils / Idlib - Kvrauad
• Shaher Radwan Norte / Idlib - Kvrauad
• Samer Ali Mohammed Alkhnos / Idlib - Kvrauad
• Adel Mohammed Alkhnos / Idlib - Kvrauad
• Abdul Karim Ahmed Alkhnos / Idlib - Kvrauad
• Ahmed Al Absi Alkhnos / Idlib - Kvrauad
• Hassan Mahmoud Alnoshi / Idlib - Kvrauad
• Ahmed Zuhair Alnoshi (DSM) / Idlib - Kvrauad
• Ahmed Abdel-Moneim Abdel Hadi Diddu / Idlib - Kvrauad
• Adnan Abdul-Karim Amen Diddu / Idlib - Kvrauad
• Mohamed Al Sayyar dodo / Idlib - Kvrauad
• Alaa Mahmoud Daher Idi / Idlib - Kvrauad
• Fawaz Ahmed Daher / Idlib - Kvrauad
• Ahmed Abdu Daher (Imam da mesquita do Norte) / Idlib - Kvrauad
• Mohammed Abdu Daher (irmão do Imam da mesquita) / Idlib - Kvrauad
• Imad Ahmad Abdullah Al-Dahir / Idlib - Kvrauad
• Zuhair Al-Abdullah Ahmed Dahir (irmão) / Idlib - Kvrauad
• Khaled Abdel Salam Mglaj / Idlib - Kvrauad
• Izz al-Din Khalid Mglaj / Idlib - Kvrauad
• Khaled Marei Mglaj / Idlib - Kvrauad
• Khaled Hussein Mglaj / Idlib - Kvrauad
• Fadi Adnan Abdul Rahim Mglaj / Idlib - Kvrauad
• As'ad Abdul Rahim Mglaj / Idlib - Kvrauad
• Youssef Abdul-Rahim Mglaj / Idlib - Kvrauad
• Ahmed Abdul Karim Gharibi / Idlib - Kvrauad
• Musab Abdel Fattah-Gharibi / Idlib - Kvrauad
• Khalid Ahmed Gharibi (Ganaudi) / Idlib - Kvrauad
• Assistente dissidente mártir Radwan Ganaudi / Idlib - Kvrauad
• Fouad Ganaudi / Idlib - Kvrauad
• I Fouad Gharibi (Ganaudi) 1 / Idlib - Kvrauad
• I Fouad Gharibi (Ganaudi) 2 / Idlib - Kvrauad
• Salvador Ganaudi / Idlib - Kvrauad

- Além de o mártir Abdel-Aziz Abdel-dominante de Abu Aboud Makki, imam de uma mesquita protetores Krnaz Breve

- Kvrauad: cenas do massacre foram sobre a decapitação do Sheikh Ahmed Al-Fateh, em Kafr Owaid imã da mesquita norte e colocar na porta da mesquita

- Kinsafrah: foram entregues sete corpos do massacre de ontem e há mais de 25 corpos no interior do hospital de Kinsafrah e cerca de 11 corpos no Hospital Nacional e a prisão de todos os presentes os feridos lá, e filtrá-los diretamente e há um cordão de segurança muito grave em hospitais e fechar todas as entradas e saídas, portanto, não conheço um massacre que lá ocorrem

Um bilhão: um grande número de ônibus de segurança invadiram a vila de Monte bilhões no canto na noite passada e da campanha de detenções e destruindo e saqueando casas de ativistas,

- Manhã Urgente _ Monte Angle: 200 corpos encontrados no vale entre as aldeias de Kinsafrah nomeado LaRose e uma chamada nos alto-falantes chamando-o de faltar para ir para identificar os corpos - com Rebel Mohammed.

Fim do Relatório fornecido por "Moataz Abu Ezz"

                                        --------------XXXXXXXXXXXX----------------

Lá fora, um mundo caindo aos pedaços. Cada país tem suas próprias greves, manifestações e revoltas contra corrupção ou má gestão. Dias difíceis em que a proliferação de armas de guerra (não importa o tamanho nem o alcance) não consegue ser reduzida, ao contrário tornou-se  uma grande corrida, principalmente com a entrada da China e da Índia no disputado mercado.

Na política os dias são de "relax". Ninguém quer mais saber de conflitos, mortes e guerras, e as férias da Liga Árabe levarão o mundo a testemunhar um dos maiores massacres da história ao vivo e à cores em alta definição, podendo haver imagens combinadas com a tecnologia 3D.

Antes as pessoas apareciam mortas com um tiro na face, nestas duas últimas semanas as pessoas estão sendo mortas carbonizadas em grande quantidade, sem falar nas que são explodidas por foguetes de mão, granadas e bombas caseiras de pregos e parafusos, porcas e arruelas.

Apoio da China

Vivendo em completa crise interna, a China mal consegue se manter funcionando, mas defende que a Síria deve mesmo resolver suas questões ao estilo bang-bang, apesar de não estra sendo a sua estratégia para com seus próprios assuntos..

De acordo com o site "voanews", a crise chinesa está fazendo o país transbordar. Com a falta de controle da corrupção interna, o país está perdendo o próprio governo, enquanto a péssima distribuição de renda tem levado centenas de milhares ao opróbrio e à revolta. Por não conseguir ajuda do governo, milhares de chineses estão preferindo deixar o país, levando todas as suas economias que antes estavam depositadas em contas bancárias, e segundo a fonte estão construindo suas fortunas no exterior e voltando para sua terra natal portando grande soma de dólares americanos.

Por esta razão, ao menor sinal de conflito armado no país, a crise financeira que vem crescendo desde 1978, terá encontrado seu ápice. O "voanews" disse que 70% do dinheiro "quente" é levado para fora da China e em 2 meses consecutivos (Outubro e Novembro) "que as reservas de divisas só diminuem".

Mesmo assim, a China demonstrou apoio à proposta de resolução Russa apresentada às Nações Unidas neste mês. a Liga Árabe visita a Síria para saber o grau de interesse e esforço da Síria para a chegada dos primeiros Observadores na próxima Terça-feira 27, mas do subúrbios de Damasco até a fronteira com a Turquia, um maremoto de sangue humano permanece em erupção. A pergunta que não quer calar:

Qual a garantia de que os Observadores não serão atingidos com tamanha violência?

Para tentar se defender, a Síria alegou para as Nações Unidas que 2000 soldados e forças de seguranças morreram desde o início das manifestações em 15 de Março de 2011.

CHINA: Dias de apreensão. O medo impera em Wukan.



Wukan é uma aldeia formada basicamente por pescadores e agricultores. Famílias com tradições fortes. Depois de 20 anos sofrendo cruel abuso de autoridade, tendo suas terras tomadas sem o menor aviso, acabaram explodindo em forma de protestos, mas o silêncio das autoridades assusta.

Por Saulo Valley - 22 de Dezembro de 2011 - 08h23min.
Atualização 10h27min.

Após a reunião com as autoridades em Wukan, a delegacia local ficou fechada e os portões foram "lacrados" simbolicamente com fotos de Xue Jimbo, o líder ativista morto na mesma delegacia. Após o anúncio das autoridades provincianas de Guangdong de que o pedido da comunidade seria atendido e que 404 hectares de terra seriam devolvidos etc etc etc... nada mais aconteceu. Aos poucos a aldeia foi ficando deserta e os jornalistas se despedindo. Tudo porque em virtude da promessa de cumprimento das exigências de Wukan, as manifestações estariam suspensas. E todos ficaram simplesmente aguardando, o que não pareceu funcionar. O blogueiro e analista político e econômico que na web usa o apelido de "Mr. Lau" descreveu a situação de Wukan de modo bem apropriado. Ele disse que com medo da revolta popular, os funcionários públicos e policiais fugiram da aldeia. Delegacia e uma sub-prefeitura completamente desertas:
Foto enviada por moradores
ao jornalista Malcom More

"A polícia tem medo da explosão de movimento de massas,  fugiram deixando documentos e outros itens e nem tiveram tempo para arrumar as malas. Os edifícios de escritórios do governo da vila, agora estão vazios, selados pelos moradores.
Mr Lau lembrou que as pessoas do vilarejo se organizaram ao ponto de ocupar o "vácuo de poder", com a fuga das autoridades governamentais constituídas. Isto foi feito por meio de eleições populares resultando na formação do Conselho provisório de Wukan.

Quem disse que a pequena aldeia de arrozais conseguiu dormir nestes dois dias passados? O ativista "BleuTea" escreveu em seu twitter que "Wukan está embaixo da mesa" e que não acredita no compromisso do governo para as negociações com a aldeia e que vá manter o acordo firmado.



O Jornalista Liu Shui observa que o acordo foi verbal e que não há nada escrito, gravado ou testemunhado.

De acordo com a ativista localizada em Pequim Rachel Beitarie, disse que moradores informaram, por telefone que até agora os corpos dos 2 ativistas mortos não foram devolvidos e dos 3 manifestantes presos, um deles Zhang Jianchen foi libertado na manhã de hoje (22/12).

Ansiosa e desconfiada a população de Wukan aguarda o cumprimento do acordo verbal por parte das autoridades.

A maioria da população de Wukan tem pouco o praticamente nenhum estudo. Mesmo assim, a maioria dos sábios e especialistas em política, direitos humanos e economia chineses, considera que este povo teve uma reação sem precedentes na história do país.

De acordo com o site "mcclatchydc", o secretário Partido Comunista (o único partido no poder) teria reclamado da dificuldade de dialogar com a população de Wukan. A população reclama que os roubos de terras vem acontecendo nos últimos 20 anos.

O que se fala por toda a aldeia é que há a forte sensação de que as coisas voltarão ao estágio inicial, e tudo será mantido como antes. Este medo é generalizado.

Em entrevista ao NTD Television, um morador disse que espera que as autoridades compram o acordo, caso não cumpram, voltarão a protestar. A fonte disse que as manifestações estão suspensas até novas surgirem diretrizes. A população removeu os obstáculos das estradas de acesso e a fonte afirmou ainda que as forças policiais recuaram. confira no vídeo a seguir:



Correção: A marcha que levou a população de Wukan a Lufeng aconteceu em 21/11/2011, e não na data de ontem (21/12/2011). Pedimos desculpas pelo ruído na informação. referência: "voanews"

quarta-feira, dezembro 21, 2011

Angola: Direitos Humanos alerta para o desvio de 30 Bi dos cofres públicos.

A organização dos Direitos Humanos (HRW) informou que Washington tem cobrado uma investigação para identificar o paradeiro de pelo menos 30 Bilhões de dólares em fundos que deveriam estar na conta dos lucros com a área petrolífera.

Nos últimos meses, o governo de Angola tem exonerado uma grande
quantidade de políticos por acusações de corrupção. Mas não há
sinais de combate da corrupção no país. Cortesia "Jornal Do Povo Angolano"
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 21 de Dezembro de 2011 - 17h47min.

De acordo com o HRW, investigações do FMI (Fundo Monetário Internacional) revelaram que o dinheiro começou a ser "gastou ou desviado" desde 2007 até 2010, sem o menor esclarecimento. Os 32 bilhões representam 1/4 do PIB do país e o HRW alerta que o desaparecimento destes recursos "levanta sérias questões sobre os seus esforços e ressalta a necessidade de responsabilidade pública."

Uma outra investigação do Observatório dos Direitos Humanos havia confirmado o desparecimento de pelo menos 4 Bi dos cofres públicos entre 1997 e 2002, que a HRW apontou que as razões poderiam estar entre a má administração ou a corrupção.

Nas duas oportunidades o governo angolano prometeu investir mais em organização e na administração destes recursos, mas nada aconteceu. O Observatório dos Direitos Humanos tem pressionado o governo angolano em virtude da má distribuição de renda no país e da falta de esforço de reparar a profunda carência social que tem esmagado a camada pobre enquanto os poucos ricos ficam mais milionários.

A HRW pôs à disposição o relatório sobre os desvios de Angola.

Wukan: Autópsia comprova morte por tortura do Ativista Xue Jimbo.

"Chinese-Demand"
As atualizações sobre as crises na província chinesa de Guangdong. Os últimos vídeos e as mais recentes histórias.

Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 21 de Dezembro de 2011 - 15h47min.
Atualizações: 17h32min.

Em Haimen as pessoas estão iradas. Elas estão decididas a continuar os protestos contra a construção da usina de Haimen. Nesta quinta-feira uma grande multidão esteve no local para demonstrar oposição ao projeto que agride todo ecossistema da região. pelo menos 30.000 populares.

Video: Haimen quer o cancelamento da contrução da Usina Elétrica, e até ontem (20) a notícia era que todos os projetos haviam sido arquivados. Mas hoje já se pode ver que não passava de blefe. As tropas não foram retiradas e agora querem a desocupação da área da futura usina:


Haimen fica localizada a 75 milhas de Wukan. e juntas formam as atuais cidades gêmeas capitais das revoluções e dos protestos em nome das demandas populares pelos direitos humanos e preservação do meio-ambiente.


Wukangong

Em Wukan, o clima é de suspense. A formação de novo conselho está sendo preparada por meio de eleições populares. Há vários indicados mas ainda não houve a votação.


O líder ativista Xue Jimbo, foi morto na cadeia, quando estava sob custódia das autoridades policiais, acusado de incitar a multidão contra o governo e atrair a mídia mundial para a região. Há 2 dias, pela primeira vez, a autópsia por meio das fotos do corpo do ativista, comprovou que Xue Jimbo havia sido vítima de pesada tortura na delegacia local, o que provocou a revolta de toda a população, dada a sua popularidade.

Solidariedade

O site "voanews" disse que no dia 18 deste mês, pelo menos 20 jovens foram às ruas de GuangZhou prestar solidariedade para a Aldeia de Wukan, quando depararam com forças policiais que os detiveram. De acordo com o site, pelo menos 11 deles haviam sido presos e até as 21:00 ainda havia jovens detidos.
Este assunto foi comentado pelo canal sino-americano NTDTV:


China: Wukan e "O abraço da Serpente".

O governo chinês tornou publico seu profundo interesse em resolver a crise na aldeia de Wukan, devolver as terras roubadas dos agricultores por funcionários e esquemas fraudulentos com um discurso empolgante. Na prática, um gigantesco esquema está em andamento para que com um só golpe, toda a rebelião popular pacífica seja silenciada de modo também pacífico ou não.

Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 21 de Dezembro de 2011 - 14h55min.

Até ontem o governo chinês decidiu ouvir as reclamações da comunidade e investigar a corrupção generalizada do governo local. As pessoas do mundo inteiro disseram: "O povo venceu!"...

É bem verdade que os sinais dos tempos ainda estão visíveis, pois tudo o que o regime traiçoeiro está fazendo é dar corda, ceder, para as pessoas relaxarem e caírem voluntariamente nas armadilhas que estão sendo preparadas. Neste meio-tempo o controle tem se tornado cada vez mais intenso e o regime esta utilizando os acontecimentos em Wukan para estudar seus próprios pontos fracos, para então fechar o cerco.

Hoje a situação já dá sinais de tempos antigos voltando a se repetir. Inicialmente o governo chinês havia concordado com a população de Wukan em atender as seguintes demandas
  1. A liberação do corpo do manifestante Xue Jimbo, morto na delegacia local e a soltura dos ativistas Zhuanglie Hong, Hong Rui Chao, Zhang City.
  2. A liberação das terras e o fim do isolamento da Aldeia.
  3. O reconhecimento do Conselho popular provisório e a retirada de todas as acusações.


De acordo com Chai ziwen, editor do jornal local "Sinais dos Tempos", estava marcada uma reunião com as autoridades juntamente com este novo conselho (que foi formado por causa da decisão de dissolução de todo o governo local), nomeado pela opinião popular como seu representante legal. Mas de surpresa, o político Tsu Luang acabou indo sozinho, sem acompanhamento da população e demais membros do "conselho provisório". Os jornalistas e a mídia foram impedidos de cobrir o encontro, Outras fontes afirmaram que não há o menor registro do encontro, que aconteceu à portas fechadas. Nem mesmo resgistro escrito. Nada. No fim da reunião, Tsu Luang sozinho deu uma entrevista coletiva à imprensa.

Regimes tradicionais asiáticos e árabes nunca alimentaram tolerância para com rebeldes e motins. A primeira reação destas ditaduras é sempre executar o líder, ou a organização. Em seguida cortam os recursos até que os populares morram de fome em locais isolados, como masmorras, e bloqueios militares à cidades, vilas e aldeias. Após o castigos coletivo cumprido, espalha-se o medo e o terror pelo restante do país, para servir de exemplo.

Chai ziwen também citando o jornal chinês "Ming Pao Daily News": que disse que o Sr Wong Lufeng, do Gabinete de Informação da Cidade teria negado categoricamente que a cidade estava com os acessos bloqueados, alegando que o fato de militares estarem no local não significa que haja impedimento do direito de "ir e vir" dos moradores. Mas como foi publicado por "Saulo Valley", os postos de conferência foram instalados nos acessos da vila e moradores comprovaram a olho nu, a implantação de mais de 20 veículos blindados, além das tropas.

O "Ming Pao Daily" por sua vez disse que na noite de ontem (20/12) as forças policiais foram retiradas da aldeia, bem como as barricadas militares removidas e os bloqueios. Citou também uma lista de 22 funcionários do governo que estão sob suposta investigação de corrupção financeira. O Jornal disse que quase todos os moradores e jornalistas de Wukan receberam uma mensagem em SMS contendo um resumo do discurso de Zhu Mingguo Lufeng, representante do Comitê Principal que teria garantido que as tropas serão retiradas e devolvido o direito de movimento dos aldeões e disse também que "os agressores e bandalheiros não serão penalizados".

Enquanto a população se preparava para as manifestações populares desta quinta, inclusive com funerais simbólicos, o Jornal Ming Pao disse que as pessoas não estão seguras, pois estão percebendo a chegada de agentes à paisana para se infiltrar no meio da população e há relatos de tentativa de suborno de populares.

terça-feira, dezembro 20, 2011

China: Depois de Wukan, protestos tomam conta de Guangzhou - 2 mortes - 20-12-2011

Sorry, re-uploading temple in #wukan photo. Many went to burn... on Twitpic
Nesta terça muitas pessoas foram ao
templo de Wukan acender incensos.
Cortesia: "7vr0d7"
A tranquila Aldeia de Wukan vive dias agitados. Um pesado bloqueio militar está se formando. Mesmo assim, as pessoas precisam falar e elas precisam ser ouvidas. Protestos na subprefeitura leva grande número de habitantes para pedir o cancelamento da instalação da segunda carvoaria em Wukan.

Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 20 de Dezembro de 2011 - 12h28min. (GMT-3)

A população de Wukan ocupou a sub-prefeitura e os estudantes boicotaram as aulas para mais um dia de protestos. Moradores dizem que há suspeitas de fraude na investigação sobre os funcionários que teriam agido ilegalmente na venda de terras, e estariam sendo denunciados pelas população de Wukan. Segundo o boato que corre na aldeia, pessoas que viram os papéis que listam funcionários acusados, não são oficiais e não tem o tradicional selo vermelho do governo.

As terras

Citando o site chinês "news.oeeee" que citou o secretário do partido no governo local, Zheng Yanxiong que teria dito que o Município vai devolver 404 hectares de terra, em resposta à demanda da população de Wukan. Segundo a fonte, o anúncio foi feito com base no congelamento dos contratos de parceria e terras da Toyota Pecuária Co. O secretário garantiu que as terras serão devolvidas para os que tiveram suas suas propriedades ilegalmente vendidas.

A "Oeee News" disse ainda que no dia 18 último (Domingo) houve um encontro entre as autoridades governamentais e líderes do movimento popular de Wukan. A reunião foi aberta e havia mais de 500 pessoas no local, entre elas moradores e representantes de comunidades vizinhas aos arrozais de Wukan.
A fonte citou o Secretário como dizendo que o partido está interessado em "proteger os direitos e interesses legítimos" da comunidade.

Boas notícias (boas demais para um regime comunista tradicional), há informações bastante contraditórias publicadas por outras fonte. De acordo com o "rfa.org" as famílias dos manifestantes estariam sendo ameaçadas pelo regime "se a agitação continuar".

Nesta segunda, a coordenação do Movimento popular de Wukan disse que nesta semanas novos protestos estarão sendo realizados para exigir a investigação dos funcionários envolvidos na corrupção e a devolução do corpo do manifestante morto Xue Jimbo, que estava sob custódia da polícia local por 3 dias. Mas a fonte afirma que as autoridades locais teriam chamado a família Xue Jimbo para ameaçá-los caso estejam determinados a apresentar queixa. A ameaça teria sido presenciada por uma morador conhecido por Zhang Wukan no dia de ontem (19).

Segundo o site, as autoridades policiais teriam alegado que a morte de Xue Jimbo teria sido causada por uma "parada cardíaca" mas os familiares ao reconhecer o corpo comprovaram marcas e lesões "da cabeça aos pés", disseram.

Novas manifestações

Preparing paper-flower mourning pins for rally tomorrow outsi... on Twitpic
Confecção de flores de papel
para o Rally deste dia 20/12/2011
Cortesia: "7vr0d7"
As manifestações não param. A organização do "Movimento 19 de Novembro" está confeccionando flores de papel, no estilo "origami" para o Rally que acontecerá nesta Terça. Também na Quarta-feira, uma grande mobilização acontecerá e a organização conta ainda com a adesão de pelo menos 6 a 7 Mil populares, disse o "Rfa. Org".

Estado de sítio em andamento
  1. Isolamento militar - A fonte disse ainda que "vários milhares" de policiais estão cercando toda a cidade, e que agora adotaram a estratégia (síria) de instalar postos de conferências de identidade (o primeiro passo para o bloqueio militar de uma cidade é permitir a saída dos não-moradores e permitir só a entrada dos moradores locais. Em seguida, segue-se o isolamento). A fonte citou um ativista conhecido como "Yu" que teria ido para Wukan com outros 10 companheiros para prestar solidariedade à comunidade, que teria sido parado num dos postos de verificação e escoltado de volta para casa. Segundo "Yu" ao "Rfa. Org", os internautas estão sendo mantidos em uma espécie de prisão domiciliar, tendo sido proibidos de sair de suas casas.
  2. Intimidação e terror psicológico - O "Rfa. Org" citou a testemunha ocular "Zhang Wukan", como dizendo por telefone para a redação da agência que as forças policiais estão se preparando para um ataque repressivo armado contra a comunidade rebelde. De acordo com a testemunha, as pessoas estão começando a ficar assustadas. "Zhang" disse ao "Rfa. Org" que há um elevado grau de tensão por causa das advertências das autoridades que estão ameaçando a população que se caso não desistam de suas demandas, as forças policiais estarão prontas para entrar na vila. Esta pressão psicológica acontece várias vezes ao dia, disse Zhang.
  3. Bloqueio de mídia e comunicação - Já no dia de ontem foi constatada a dificuldade de se realizar chamadas telefônicas para alguns lugares, bem como o aceso à internet. Os próprios moradores disseram ao "Rfa. Org" que não estão encontrando a notícias da Vila de Wukan nas buscas de internet.
Estado de Revoltas - Guangzhou

A virose da revolução de Wukan parece estar tomando conta do distrito de Guangzhou. O ativista "Bleutea" contou que na cidade de Haimen as pessoas ocuparam o prédio da prefeitura, bloqueraram estradas e alunos não foram estudar. Parece que a demanda de Guangzhou é a independência. O ativista "Bleu Tea" disse que o protesto na cidade de Haimen é armado e que há 2 manifestantes mortos e há policiais feridos. As vias estão bloqueadas. Ele enviou o link da foto de um policial ferido nesta terça: "t.cn/SV1L8t" e de uma ativista ambiental morto: "1do99hc020tj"

O ativista "Aizhao" disse hoje que há uma série de levantes acontecendo agora em diversas regiões, como em Shanwei. Ele disse que está havendo "um levante rural após o outro"!  Citando o distrito de Chaoyang, na cidade de Haimen, cerca de 30.000 pessoas saíram para protestar contra a "construção de uma usina de energia na região". BleuTea descobriu que:
 "A empresa Huaneng Power International Inc. é que está  investindo na construção da Usina Huaneng e que o presidente anterior da empresa é o atual vice-governador de Shanxi Li Xiaopeng, e que a atual presidente é sua irmã Li Xiaolin, seu pai é o ex-primeiro-ministro Li Peng.goo.gl/tM0dw"
12h28min - "wenyunchao" em seu twitter disse que a população de Haimen teve sucesso com o anúncio do "arquivamento" do projeto de construção da Usina, apesar das mortes...

Voltando ao "Aizhao" que disse ainda que no Distrito de Hou, na Aldeia de Shantou, pelo menos 500 populares foram às ruas protestar contra a desapropriação ilegal de terras, a exemplo das aldeias de Wukan em Gangzhou e Dai Mei no distrito de Chengai. Todos reclamando de esquemas corruptos de venda de propriedade alheia. 

Aizhao disse nesta segunda que "moradores tomaram as ruas das aldeias; Lufeng Dong Dai Village, Vila Long Komura em protestos contra corrupção de venda de terras e assim por diante."

Atualizando...

segunda-feira, dezembro 19, 2011

China: Atualizações de Wukan - 19 de Dezembro de 2011

Nos últimos dias as informações estão reduzindo, graças ao esforço do governo chinês para impedir que o mundo tenha conhecimento do que possa estar acontecendo em seu território. Um vídeo postado no youtube revela a violência dos protestos, que levaram trabalhadores ilegais a invadir o batalhão de polícia e quebrar viaturas.

Por Saulo Valley -Rio de Janeiro,  19 de Dezembro de 2011 - 09h30min.

Os acontecimentos na Aldeia de Wukan apresentaram modificações no terreno. Os moradores abriram 3 acessos à cidade que haviam bloqueado para impedir a chegada da polícia e para impedir furtos na cidade por moradores de fora da vila. Mas , como era de se esperar, a comunidade não poderia suportar por muito tempo, então 3 bloqueios foram desfeitos e em dois acessos da aldeia estão em meia-pista.

Video: protesto em Wukan pelos manifestantes mortos.


Em virtude da repercussão mundial das notícias de Wukan, um jornalista/ativista chinês chamado C. Custer, disse que tem informação de que o governo chinês abriu inquérito para investigar os funcionários envolvidos no caso das vendas e cessões de terras na região e as empresas que estão se beneficiando com o esquema. De acordo com o "news.sina" além das investigações da Comissão de Inspeção Disciplinar, o governo congelou os acordos comerciais e parcerias com as empresas, a Lufeng Pecuária Co. e a Country Garden Toyota.

De acordo ainda com a fonte, todos os suspeitos são membros do partido comunista.
Há denúncias de que o acesso à internet foi bloqueado na região. por isto as poucas informações que se têm estão datadas desde o início, dia 08 até o dia 16. As mais recentes informações estão num "curta-metragem" de uma coleção de imagens gravadas por cinegrafistas amadores e o próprio C. Custer, que foi postado no dia 15 no youtube.


Via Twitter

O jornalista Malcom Moore retwitow um post de um jovem ativista chinês "@WLYeung" que disse que as ativistas estão sob vigilância do governo, que tem procurado oprimir a qualquer pessoa ou grupo que expresse apoio aos moradores de Wukan.

O blogueiro @idzhangjian publicou pelo twittpic uma foto de uma cartaz espalhado por toda a vila de Wukan. Um impresso com a seguinte mensagem que é a cara do governo:

Nota para os amigos da mídia:  A vila de Wukan está muito feliz de receber muitos membros da mídia, para apoiar nossa vila e nossos eventos. Por favor faça relatórios positivos. Por favor evitem usar "Uprising" e outras palavras que lembram "revolta". Nós não estamos revoltados, nós apoiamos o Partido Comunista. Nós amamos nosso país. Obrigado por sua atenção. Wukan.
A ativista chinesa Rachel Beitarie disse que o governo chinês está publicando relatórios segundo sua própria versão, distorcendo os fatos e acusando a população de diversos crimes. Em resposta a população tem produzido suas próprias mídias. Wukan está distribuindo CDs com gravações até dos policiais espancando moradores, disse ela.

Por twitter, ela disse que o abastecimento de arroz para a a aldeia de Wukan havia sido bloqueado pela polícia, mas que há um pequeno carregamento sendo transportado por moto que foi entregue neste Domingo, 18.

Apesar da grande explosão da revolta de Wukan pouco se sabe que dentro da China acontecem grandes protestos. Nos últimos 4 meses, as revoltas tem alcançado proporções nacionais. Cada cidade ou comunidade, usa um tema local como alavanca para as ocupações e demonstrações pacíficas, que são sempre reprimidas com grande força policial e bloqueio de mídia.

Assista este video gravado em Agosto deste ano, quando a população protestava contra o despejo em Dalian:

domingo, dezembro 18, 2011

Syria Revolution: 21 dissidentes serão executados nesta segunda 19-12-2011

A Revolução Síria em sua página oficial na rede social Facebook, pediu há 2 horas que as autoridades de direitos humanos sejam alertadas sobre a possibilidade da execução de 21 dissidentes prisioneiros, disse a Revolução.
Prision Cell - Cortesia: "Seth Schoen"
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 18 de Dezembro de 2011 - 21h50min (GMT-3)

Uma lista contendo 18 nomes dos militares condenados à execução nesta segunda foram descobertos pela inteligência do Exército Livre Sírio e serão listados em árabe porque há nome que não podem ser traduzidos. Apenas 3 militares não puderam ser identificados ainda. A lista é formada por 1 coronéis, 3 majores, 6 capitães e 6 tenentes entre outros postos.

١- المقدم محمد طومان"٢-المقدم طلال محمد ٣-الرائد أنس سلوم ٤- الرائد علي لطّوف ٥- الرائد بسام الحفيان ٦-الرائد طه عوض ٧-النقيب فراس عدوان٨-النقيب عبد الله طقطق٩-النقيب علي أيوب ١٠-النقيب لؤي قميو ١١ - النقيب أيهم عبد الحميد ١٢-النقيب خضر الديري ١٣- الملازم اول علي قاسم ١٤ الملازم اول ثامر برّو ١٥- الملازم اول حافظ حمدان ١٦- الملازم اول عوّاد دعيّه١٧- الملازم اول زكريا مرعي ١٨ الملازم اول احمد اسماعيل ١٩-٢٠-٢١ ثلاثة ضباط برتبة ملازم مجند لم نحصل على أسمائهم ."

CHINA: WUCAN: REVOLTA E OCUPAÇÃO: É A "TUNÍSIA" PARA O POVO CHINÊS.

 12/18/2011 03:41:00 AM  BLOG HUMANS  NO COMMENTS

Mapa de Wu Kan - Googlemaps
Revolta popular na China. Uma aldeia ocupa as ruas e bloqueia o acesso das forças policiais. 100% da população sai para protestar contra corrupção política local. Este evento inédito já se tornou uma referência em movimentos populares no país. Leia a HISTÓRIA COMPLETA.
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 18 de Dezembro de 2011 - 09h07min
China: Wucan: Revolta e ocupação: é a "Tunísia" para o povo chinês. ~ BlogHumans.org.

sábado, dezembro 17, 2011

Egito: Video: A violência policial contra o povo em 6 tempos

Os egípcios querem democracia e estão tentando empurrar a democratura (uma ditadura com aparência de democracia), um golpe que a oposição popular atenta, não quer permitir e pretende resistir até o limite da vida:

Por Saulo Valley e a Revolução Egípcia - 17-12-2011 - 19h11min.

Tempo 1 - Oficiais militares no telhado do edifício do parlamento claramente atirando pedras em manifestantes em Kasr Al-Ainy rua, manhã de 16 de Dezembro.


Tempo 2 - Uma pedra atirada do alto tem quase o mesmo poder de danos que um tiro. Um saco de água atirada contra a cabeça de um transeunte do quarto andar, seria suficiente para ocasionar a morte de uma pessoa idosa.


Tempo 3 - Visão de que está na rua, embaixo do edifício-sede da Liga Árabe. Há testemunhos de pedras, paus e cacos de vidro sendo atirados.



Tempo 4 - Os ataques do exército e manifestantes bate em Kasr pela manhã , na rua alainy de 16 de dezembro - Oficiais vídeo mostrando exército arrastando cidadão no chão após bater nele.


Tempo 5 - A ótica de quem está tentando se proteger da repressão proporcionada pelo exército, e ao mesmo tempo demonstrar reprovação ao esquema de aparente "golpe de estado" egípcio.


Tempo 6 - Momento de perseguição e ataque do exército contra manifestantes no palácio.


Tempo extra: ATENÇÃO: Não há garantias de que estes manifestantes são civis. Podem ser e podem ser militares à paisana, como aconteceu nas embaixadas estrangeiras na Síria muitas vezes este ano. 



A prova é que no video seguinte, gravado pela Aljazeera, mostra confronto entre dois grupos civis e a polícia não está por perto.


Síria:"Sexta - A Liga Árabe Está Nos Matando!" - 15-12-2011 - Atualizações

Dividida e insegura, a Liga Árabe mostrou que precisa evoluir mais na busca de sua verdadeira identidade. Sua  fama de omissa e confusa já a precedia, mas ninguém tinha certeza. Agora a Liga Árabe está deixando rastros claros de que está incapacitada de cumprir a proposta a que veio: "Defender os interesses e a vida da sociedade civil árabe".

"A Liga Árabe Esta Nos Matando"
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 17 de Dezembro de 2011 - 08h25min.
Atualização: 17/12/2011 - 06h59min.
A Liga Árabe entrou na crise síria no exato momento em que as Nações Unidas estavam prontas para um embargo aéreo. O projeto de resolução europeu estava em estudo e um pacote similar ao pacote da Líbia estava sendo preparado, bem ao estilo "texano": Derrubar a porta entrar atirando e prender os caras maus."

Video: Uma passeata inusitada: Dissidentes marcham pela queda do regime em Deir Azour:


Video: Uma passeata inusitada 2: Dissidentes fazem a segurança dos manifestantes em Idlib na "Sexta - A Liga Árabe Está nos Matando!"


Na iminência de uma intervenção militar, a Liga Árabe chegou com uma proposta pacífica. Esta proposta, que na verdade era  mesmo uma proposta "passiva", fez as Nações Unidas recuarem, já que a iniciativa árabe era mais apropriada que uma iniciativa ocidental, até porque abrandaria os ânimos dos países árabes que apoiavam Al-Assad e faziam restrições à França, Grã-Bretanha, Itália e América do Norte.

As Nações Unidas recuaram e ficaram de platéia assistindo as negociações, eu então pergunto:
  1. Como esperar que um líder islâmico condene mortes num país árabe?
  2. Como esperar que ele entenda os Jihads como "crimes contra a humanidade", se sua religião lhe diz que os mártires terão lugar especial no paraíso e reencarnarão ainda mais aperfeiçoados e mais santos??
  3. Como esperar que um Rei, Príncipe, um Sheik, ou Sultão vá se sacrificar para proteger uma revolução contra seu próprio regime e sistema de governo?
Na verdade eles não são culpados por não serem capazes de assimilar estas novas informações do mundo globalizado. A verdade é que enquanto os governos árabes tradicionais lutam para resistir ao tempo, a população destes países vive, em muitas cidades, aldeias e vilas, em condições sub-humanas comparadas  apenas com a era medieval.

Video: Living in Hula Medieval Life.




Primavera Árabe

A estratégia mais utilizada pelos regimes "derrubados" pela primavera árabe, tem sido deixar uma infra-estrutura do velho governo, para reconstruir o novo governo sobre os alicerces da velha forma árabe de governar.

Isto está acontecendo no Egito agora: 17-12-2011


Algum sinal de Democracia? Na verdade, qualquer país que quiser ter democracia hoje em dia, deverá conquistar por seus próprios meios.


Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: