quarta-feira, novembro 30, 2011

Tunísia fecha fronteira com Líbia para conter líbios exaltados e armados.

O governo da Tunísia decidiu fechar a fronteira com a Líbia depois de semanas convivendo com um grave problema: Rebeldes líbios ainda no ritmo da guerra contra Kaddafi, dirigindo carros equipados com metralhadoras anti-aéreas e pistolas cruzavam a fronteira para Tunísia e realizavam tiros para o alto, deixando a população local em desespero.

"Mideast Libya" Cortesia: BRQ Network
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 30 de Novembro de 2011 - 18h47min.

De acordo com o site "arabic.upi" as autoridades pediram ao governo interino líbio que ajude a resolver o problema. Segundo a fonte pelo menos 3 líbios cruzavam todos os limites com alto poder de fogo e intimidavam os soldados e funcionários da fronteira e andavam pelos bairros atirando para o alto o que o site descreveu como "atmosfera de tensão, pânico e caos".

A arruaça levou o governo líbio a tomar uma difícil e que poderá ser sangrenta decisão: Desarmar os rebeldes.  De acordo com a Aljazeera, o primeiro-ministro da Líbia Abdul Rahim do governo de transição planeja desarmar os rebeldes de Tripoli  e outras cidades. Segundo a fonte, a ação deverá ser simultânea e já de ante-mão enviou esta decisão para a secretaria-geral das Nações Unidas.

Segundo a Aljazeera, o Ministro acredita na "possibilidade de deterioração da situação de segurança a qualquer momento devido à proliferação de armas de todos os tipos."



Liga Árabe saúda o êxito das eleições marroquinas.

Considerada um sucesso para o caminho da democracia marroquina, as eleições parlamentares no país foram tranquilas e pacíficas. Este foi um dos pontos destacados pelo Dr. Nabil Al-Arabi, Secretário Geral da Liga Árabe.


Arab League Meeting Room - Cortesia: "Alyssa"
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 30 de Novembro de 2011 - 14h57min.

Em um comunicado de imprensa, o Dr Nabil comemorou, em nome da Liga Árabe, o sucesso das eleições legislativas no Marrocos, considerando este, como sendo "um passo importante na institucionalização do processo democrático e promover a boa governação no Reino". O Dr. Nabil também elogiou as alterações constitucionais realizadas por Sua Majestade o Rei Mohammed VI.

Elogiou também a participação popular e seu comparecimento às urnas como o meio de "se envolver de forma positiva na construção de seu estado."

Após elogiar o clima de tranquilidade que pairava no país, o Dr Nabil enviou uma mensagem
 "...expressando a esperança de que está sendo acelerado o processo de implementação das reformas iniciadas por Sua Majestade o Rei Mohammed VI e, como que corresponde às aspirações do povo marroquino."

Síria: Império Al-Assad está chegando ao fim - Resta poco para o anúncio oficial.

Ao assumir o poder o clã Al-Assad inspirava libertação e novidade de vida, mas em seus 40 anos no poder o que se viu foi insanidade e brutalidade. Esquizofrenia passada de pai para filho. Tragédia nacional repetida inúmeras vezes. O país sendo dizimado de massacre em massacre.

Bombardeio da mesquita em Bab al-Hams Aldreb.Mísseis iranianos do Exército
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 30 de Novembro de 2011 - 08h14min.
Atualização 06/12/2011 as 11:57min.

O Exército Livre Sírio tem atuado como um "grupo de resgate" da honra, cidadania e da liberdade do seu povo. Sua importância na reestruturação do país é indispensável, mas temos visto que há grupo islâmicos tentando convencer os militares a uma aliança com a Irmandade Muçulmana. Há um certo grau de assédio para que isto aconteça. Segundo informações precisas e indubitáveis, pressões estão sendo exercidas de modo a tentar incendiar a mente dos soldados livres a subirem até Damasco em colaboração com a Irmandade Muçulmana para tomar o poder e dividirem a liderança do país.

Seria uma trapaça. Um golpe contra o próprio povo sírio, que está derramando seu sangue para retirar a ditadura, a religião, o sectarismo e as armas do poder. Aliás, este tem sido o desejo de todo o povo árabe.

Video: A crise do gás de cozinha em Homs.



Damasco

O regime Al-Assad está quebrado literalmente. Mas mesmo assim continua contratando. Arregimentando soldados, o anúncio foi feito pela SANA.

Nota: Consulado da Síria no Brasil foi dito por uma fonte ligada ao MRE que fechado por ordem de Damasco. Brasil poderá liderar a comissão de inquérito dos Direitos Humanos contra Síria.

Video: Vazamento de um vídeo gravado dia 27/11/11 mostrando que os filhos de Bashar Al-Assad estão sob os cuidados de militares em um prédio do governo.


O Exército Livre tem percorrido o país para varrer as forças inimigas derradeiras, que executas as últimas ordens do regime, já que o partido Ba'ath que ainda está no comando do governo e das tropas. Milhares de soldados e oficiais, bem como oficiais superiores têm desertado, mais ainda há soldados iranianos e "hezbolarianos" e as forças de segurança atuando no país tentando impor castigo ao povo sírio pela derrubada do ditador Bashar Al-Assad.

Ontem a página de Facebook oficial de Maher Al Assad" disse:

 "Porque o presidente Bashar Al-Assad está tão sozinho e por isto estamos orgulhosos dele? Porque a cúpula não é grande para apenas..... um homem."

Em outras palavras, ele é assumidamente o cabeça de todos os acontecimentos no país. Responsável direto por todas as mortes de inocentes desde que assumiu o poder. O mandante direto de todas as ordens executadas por todas as forças e grupos como "Cbihh" e "Shabihha" dentre outros. Também deverá ser responsabilizado pelo estupro de 400 mulheres sírias no campo de refugiados em Hatay na Turquia, e a desapropriação das terras de centenas de famílias em Rastan, Homs, Latakya, Idleb e demais cidades fronteiriças, bem como a destruição de todo o patrimônio privado tanto em zonas urbanas como rurais. A destruição quase completa de muitas aldeias e vilas, hospitais, escolas e prédios governamentais.

Seguindo um link postado na página de Maher Assad, que fez referência a um poderoso arsenal de mísseis de longo alcance instalados no subsolo de uma região secreta da Síria. Além da matéria sobre a poderosa base secreta de mísseis, há os comentários que revelam que embora a matéria apresente algo grandiosamente perigoso os comentaristas comemoram que a parte revelada é uma ínfima realidade do que existe no local, que foi citado como tendo sido construído com a "cobertura do Hezbollah".

O texto revela a preocupação de que os mísseis sejam utilizados contra Israel e seu alto poder de destruição. O autor da postagem não faz nenhuma oposição ao texto.

Incursões noturnas do Exército Livre.

Citando "O Exército Livre Sírio" que disse durante a noite desta terça envolveu-se em "violentos confrontos entre os batalhões "Farouq" e "Khalid Bin Al Waleed" contra gangues estames da segurança e do exército de Assad pelos bairros, clã, e um mosteiro em Bablh".

A fonte disse ainda que o "Batalhão Khaled lançou um forte ataque contra os agentes de segurança e Cbihh no bairro dos armênios" fazendo uso de lança-granadas, granadas de mão e metralhadoras."

Vários confrontos aconteceram na ocasião nas Ruas Alexander e Wen, o que o dissidentes descreveram como uma "verdadeira guerra acontecendo no Alamadaba quente entre nossos heróis e as gangues

Muitos feridos e mortos relatados nas fileiras do exército regular e Cbihh. Também o relatório descrevia que o "fogo pesado haviam se expandido das ruas para os bosques" marcados com "sons de explosões de granadas de mão, morteiros e granadas propelidas por foguetes em todas as áreas mencionadas."
Bombardeio sírio à noite em Bahrat, ragião rural de Damasco.
O Exército Livre informou que na região rural de Bahrat e arredores no nordeste da cidade de Damasco houve um pesado bombardeio impetrado pelo regime sírio. Desde o início da revolução, Damasco era mantida isolada dos conflitos, para manter o "cartão postal" e a ilusão de um lugar pacífico. O regime se esforçava para sitiar a cidades rebeldes e interromper o acesso às estradas internacionais que levavam à capital, evitando que as embaixadas tivessem acesso aos confrontos com a população.

11:00 (GMT-3) O ativista Nana Sanja disse à pouco que agora há o combate em Damasco ganhou proporções maiores ainda, com helicópteros e bombardeios.

Video: A formação do Batalhão "Osama bin Zaid Ktibbh" na região sul da cidade de Idlib. Fiquei emocionado. Acabou Al-Assad.


Batalhão Farouq destruiu um  blindado BMP com todos os ocupantes dentro, não havendo sobreviventes, por volta das 3h00 da madrugada na cidade de Homs.

Novas deserções aconteceram pela manhã: Nova leva de dissidentes se uniu à Brigada  de Abu Fida.

terça-feira, novembro 29, 2011

Síria - Relatório dos avanços do Exército Livre - 29-11-11

O Exército Livre Sírio está renovado, com a deserção de um major-general do lado sírio e já está na Turquia, enquanto as tropas rebeldes têm progredido por toda a Síria expulsando e matando opressores das cidades, aldeias e vilas do país. A cidade do Anjo agora vivencia uma furiosa batalha entre os dois lados do exército com relatos de poderosas explosões.

Por Saulo Valley -Rio de Janeiro, 29 de Novembro de 2011 - 17h56min.

Com a deserção do Major-general, que o Exército Livre ainda não citou o nome, até porque a informação veio por mensagem de celular há 7 minutos, os rebeldes acreditam que virão muitos novos desertores após este líder que o admiravam ou estavam sob seu comendo. Há também aqueles que se sentirão inseguros e procurarão escapar do barco antes que afunde.

O Exército Livre disse há pouco que ontem houve um número de prisões de dissidentes e ativistas e hoje a situação se repetiu. Segundo a inteligência rebelde eles acabaram de saber que todos os telefones estão sendo hackeados e principalmente ligações feitas por meio da "Airlines Árabe Síria" estão grampeadas e são rastreadas ao ponto de em minutos já estão no local da recepção do sinal (Provavelmente com o auxílio do equipamento que a Russia disponibilizou por meio do navio que está perto da orla síria, ou o sistema de vigilância europeu já está em funcionamento).

Novas incursões

Relatório do Batalhão Umar ibn al-Khattab do Exército Livre em perseguição às gangues civis que ocupam veículos blindados e que são contratados pelo regime sírio, conhecidos como "Cbihh" foi relatado como um grande sucesso resultando na morte de 30 agentes de segurança e a deserção de 20 deles nesta terça, 29.

Sobre a confirmação da morte de Maher Al-Assad: Uma conversa entre soldados no front, um deles disse: "Ele está morto ou não, rapazes? Manda alguém verificar lá no hospital com algumas bombas e balas!"

Segundo uma fonte o corpo que supõem-se pertencer a Maher, está na geladeira. Informante do Exército Livre disse que "a sua mãe havia pedido para que não comentassem a sua morte até que fosse enterrado", mas está sendo difícil a confirmação no momento, mas a maioria dos dissidentes sírios comemoram.

19:00 - Citando o Batalhão Ala-mail que disse que em Hama: Uma explosão seguida de um incêndio em uma complexo hospitalar, não pode ser verificada no momento. Todos esperam que seja uma situação favorável para a população... Deus é grande.  


A Fuga das Famílias

O Exército Livre disse ontem que o ataque ao fornecimento de energia elétrica tem constituído um grande problema na Síria. Segundo informações de locais, as temperaturas tem chegado a zero grau à noite e sem óleo diesel e eletricidade a população está vivendo horrores, somado a tudo o que acontece durante o dia, casas invadidas, saqueadas e a mobília destruída, toque de recolher e mercados saqueados pelo exército.

Video: Inverno sírio gravado em 2010.

Maher Al-Assad é morto com 30 tiros por assessores.

Após muitos boatos, a Morte do Brigadeiro Maher Assad foi confirmada pelo Conselho Militar do Regime Sírio em uma entrevista por telefone para um canal de TV Árabe. A morte de Maher desestabiliza o clã Assad e desperta no regime a sede por vingança. A morte de Maher Assad aconteceu no dia 19, quando foi executado com pelo menos 30 tiros por seus próprios assessores. Confirmando, conforme divulgado pelo Sheik Abdul Rahman da Cidade de Damasco. Mas a confirmação pública só aconteceu no dia 21, quando foi anunciada oficialmente e publicada pelo "BlogHumans".





Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 29 de Novembro de 2011 08h01 GMT-3
Atualização: 27 de Maio de 2012 16h57 


Artigo abaixo foi publicado antes de 27 de Maio de 2012


O comando do Batalhão Ala-mail do Exército Sírio teve fortes razões para crer na morte de Maher Al-Assad, o mais sanguinário membro da família Assad, comandante da 4º Brigada de Operações Especiais com base nos montes de Latakya. Segundo a fonte o corpo que poderia ser o do Brigadeiro estava "apodrecendo" no hospital Shami em Damasco mas não havia meios de periciá-lo .


Nesta Sexta o nome de Maher voltou à circular por toda a internet com nova especulação sobre sua morte. De acordo diversas fontes de notícias a morte de Maher Assad havia sido "confirmada por mais de 500 pessoas." Mas fontes árabes de notícia informaram que o boato teria parti supostamente da conta de Twitter do Sheik Abdul Rahman, de Damasco. Mas ainda assim, há o risco de que seu profile tenha sido invadido por hackers pró-assad, com o objetivo de reduzir a credibilidade das notícias oriundas da revolução síria. A mensagem enviada pela autoridade religiosa divulgava um link para uma nota que informava que Maher Al-Assad havia sido assassinado por um de seus companheiros. Uma vez baleado, teria sido levado para uma UTI e não resistido aos ferimentos.

O "BlogHumans" apoiado por membros da equipe do "Grupo de Jornalismo Internacional na Revolução Árabe", investigou as informações em todas fontes orientais e ocidentais, sem ter encontrado qualquer informação substancial. Definitivamente afirmamos que a notícia divulgada nesta sexta 18 de Maio de 2012 não é verdadeira (até que se prove o contrário). A prova é que a maioria dos links visitados não continham qualquer informação à respeito, ou exibiam o aviso de que a matéria havia sido "deletada".

Homenagem ao líder ao Hezbollah na página oficial de Maher Assad.

Atualização: 18 de Maio de 2012 - Até o dia de hoje não se ouviu mais falar de Maher Al-Assad e também não há qualquer confirmação sobre sua morte, nem mesmo de sua existência.  Será esta uma estratégia do regime sírio? Mas os boatos da morte do Brigadeiro mais temido da Síria ainda percorrem a internet e os bastidores da revolução, mas pouco se acredita na veracidade desta informação.

Esta intrigante "especulação" deixa no ar uma pergunta: "Aonde foi parar Maher Al-Assad?"

Maher Al Assad tirando fotos dos corpos de vítimas do
massacre da prisão de Sednaya  que liderou em 2008.
Video: Maher Assad é o atirador de jaqueta de couro que dispara contra os manifestantes.


Maher Al-Assad era a autoridade que mantinha o povo sob pesada opressão armada.

Síria: Intensificada perseguição. 22 mortos em Damasco em 48h. Hama sitiada.

A Síria deu maior impulso depois que percebeu que suas lamúrias não convencem mais às autoridades internacionais. Se cansou de acusar a Liga Árabe, e voltou-se para seu ritual de rotina que é sitiar, perseguir e executar a população síria ao máximo que puder, antes que seja retirado do poder. Al-Assad jurou persistir no genocídio até a sua própria morte. Video: Homs: Exército sírio e os tiroteios aleatórios


Por Saulo Valley -Rio de Janeiro, 28 de Novembro de 2011 - 12h46min.
Atualizado em 16h00

Damasco está vivendo o momento mais violento desde que a revolução começou em Março. Com exército reduzido, as tropas estão sendo redirecionadas para exterminar a população de várias cidades, entre elas a região rural de Damasco, Tlklkh e Hama.

Síria como pivô em tentativa de semear conflito entre Israel e Líbano, Irã e Turquia.


Há indícios de tentativa síria de provocar conflito entre países vizinhos no Oriente Médio. O site "almoslim" é um dos que aponta uma número de mísseis libaneses atirados em direção a Israel, como tendo side denunciado por Israel, mas há informações de dentro da Síria que precisam ser verificadas, que disseram que as cápsulas foram "plantadas" para criar tensão entre os países.

"O exército libanês lançou um míssil  sem saber que lançou, disse o comunicado de Israel" - "almoslim"

Em seu discurso de defesa da Síria, o professor Walid apresentou 2 vídeos libaneses como sendo provas de ação de grupos terroristas em seu país, e acabou sendo desmascarado pelas agências de notícias e por manifestantes do Cairo, da Líbia e da Síria, que reconheceram as imagens.

Video: Manifestantes em Idlib enfrentam exército pronto para atirar.


Há ainda reclamações da parte da Turquia de que a Síria está criando um esquema com o Irã para gerar maior dificuldade na relação dos dois países no que diz respeito ao PKK. Além desta ameaça de desentendimento, há ainda a preocupação da Russia de enviar seus maiores porta-aviões para atracar na Síria até o fim deste ano. Que segundo fontes, a Rússia ameaça utilizar estes armamentos contra a Turquia para proteger o Irã, caso os Estados Unidos pressione Ahmadinejad por causa da bomba nuclear.

Por isto mesmo, quanto mais tempo a situação da Síria for controlada, quanto mais rápido Al-assad perder o poder de prejudicar relações e vidas, melhor para a tão almejada paz do Oriente Médio. Assista este vídeo, é muito importante.

Dissidentes preparam um ataque com carro bomba contra o prédio do comandos militar em Latakya. A primeira tentativa falha mas a segunda é bem sucedida. Ainda não há informação da quantidade de feridos e mortos.



segunda-feira, novembro 28, 2011

Síria: Conselho Nacional Sírio e Exército Livre juntos - BREAKING NEWS


 O Conselho Nacional Sírio se encontrou com o comando geral do Exército Livre para a formação de um Comité de Coordenação para desenvolver trabalhos em conjunto para a próxima fase da revolução síria. "Juntos criarão uma comissão mista de coordenação no campo da mobilidade e alívio, mídia e relações políticas" disse o SNC.


Uma delegação do SNC (Conselho Nacional da Sìria) liderada encabeçada pelo Sr. Burhan pipe
recebeu o comando do "exército da Síria livre" liderado pelo coronel Riyadh Al-Assad.
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 28 de Novembro de 2011 - 15h51min.
Atualização: 17h03min (GMT-3)


O objetivo do encontro de fortalecer os mecanismos de comunicação e coordenação entre o Conselho Nacional e o Exército Livre Sírio que segundo o SNC incluirá "suporte de força adicional à revolução na Síria."


O SNC disse que Dr. Burhan que é um dos oficiais do Conselho Nacional que este esforço visa "garantir a segurança do desempenho em campo e compatibilidade com o esforço político com base nos níveis regional e internacional."


O SNC citou coronel Riad Al-Assad com dizendo em que o esforço do Exército Livre é de "fornecer proteção para os sírios que estão demonstrando de forma pacífica, e se recusou a ser desenhada em qualquer conflito interno ou confronto armado como o planejado pelo sistema."


Ficou tratado que o trabalho em conjunto terá início imediato e que daqui para frente haverão reuniões periódicas para que as duas partes possam manter suas visões políticas alinhadas em um esforço comum.

 Enquanto isto as Nações Unidas que assumiram o comando das operações militares e assuntos de direitos humanos estão fazendo todas as investigações para a acusação formal do presidente Bashar Al-Assad e seu regime por crimes contra os Direitos Humanos e Crimes Contra a Humanidade, para posteriormente serem enviados ao Tribunal Penal Internacional.

A Liga Árabe ficou com a parte das relações diplomáticas bem como a coordenação da formação do novo governo pós queda de Al-Assad.

EXÉRCITO LIVRE NO FRONT

DOUBLE BREAKING NEWS - A inteligência do Exército Livre descobriu que o regime sírio ordenou que suas forças sitiem a cidade de Tlklkh e segundo o exército de rebeldes acredita, a invasão promete ser pior que a de Rastan, que resultou em um número arrasador de mortes de crianças, mulheres, idosos, expulsão de muitas famílias de suas casas, bombardeios anti-aéreos absurdamente violentos e intermitentes.


Neste momento o Exército Livre já está em confronto direto com o exército regular sírio, tentando impedir seu avanço pela cidade de Tlklkh. houve uma pequena pause depois de 1 hora sem intervalos de tiroteio pesado.


Mais uma operação de sucesso dos corajosos rebeldes do Batalhão Ala-mail do Exército Livre que emboscou um micro-ônibus com um número de agentes de segurança. O número de mortos ainda não foi revelado, mas o vídeo pôde ser gravado a uma distância segura:




Atualizando...

Professor mente: As "janelas" para a solução síria foram fechadas pela Liga.

De acordo com agências árabes que disseram que o Dr. Nabil Al-Arabi tentou convencer ao regime sírio a assinar o acordo para a implantação dos "Observadores" de acordo com o plano árabe para impedir uma intervenção internacional militar na Síria e cessar imediatamente o massacre de civis além de parar o derramamento de sangue por definitivo.

Rio Orontes, um símbolo da paz síria - Cortesia: "upyernoz"
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 28 de Novembro de 2011 - 12h07min.
Atualização: 29-11-11 07h22min.

Mas hoje mesmo o Ministro das Relações Exteriores disse em uma conferência de imprensa que a Liga Árabe "fechou as janelas" para as possibilidade de solução da crise síria.

De acordo com a estatal SANA o professor disse que "o exército sírio deu seus mártires para proteger os civis e responder aos terroristas", acusando que "alguns membros da Universidade estão empurrando" a Síria "para a internacionalização".

A SANA disse que o professou reclamou pelo fato de que a Liga Árabe não reconheceu a existência de "grupo terroristas armados que cometem homicídios e cometeram crimes" e em seu país.

Destacou também o fato da Síria estar ausente nas reuniões da Liga somo dizendo: "Eles não querem ouvir a  voz do outro", mas afirmou que o protocolo proposto pela Liga Árabe é "prejudicial à soberania" da Síria.

Após diversas reclamações e a tentativa de fazer a Liga Árabe se sentir culpada, ao final o professor declarou que (em outras palavras) se o Conselho de Ministros voltar atrás e cancelar as últimas decisões, inclusive as sanções financeiras, que "poderiam se abrir portas para cooperação com a Síria".

Este mesmo discurso ele foi televisionado e foram apresentados vídeos que comprovavam a existência de terroristas na sírios. Mas os manifestantes da praça do Cairo no Egito protestaram e olhem que flagrante:

00h00min Breaking News 


Para comprovar ações terroristas na Síria o professor apresentou uma sequência de vídeos falsos.
O primeiro vídeo mostra um grupo que entre Abril e Maio a Síria havia utilizado suas imagens em um vídeo dizendo que eles eram um grupo de terroristas da Irmandade Islâmica, na verdade o vídeo foi retirado do youtube de um treinamento de libaneses da Irmandade Islâmica que estava em Trípoli e quem autorizou a imagem foi um ministro libanês.


Vídeo do Professor Whalid em seu discurso antagônico e os vídeos de comparação com suas "provas de terrorismo."




A segunda prova falsa apresentava um vídeo de suposta vítima de terrorismo na Síria, mas o vídeo na verdade tem a data de 2010 e a vítima era egípcia que haviam sido morta no Líbano pelos libaneses por ele ter matado uma família inteira de egípcios, e quem descobriu a origem deste último vídeo foi a TV Aljazeera. Com isto seu acalorado discurso melo-dramático de acusação da Liga Árabe foi ao chão e a credibilidade e a legitimidade síria foi ao chão.




Fonte da imagem:
Em conjunto para apoiar
 e liberdade de intelectuais
 honrosos da Síria
Este foi o último discurso de despedida dramático, choroso, e malicioso como as "lágrimas de um crocodilo". (Até eu chorei)...de felicidade que a Síria está gastando suas últimas cartadas. Agora segue-se o juízo.


Informações sigilosas por fontes diplomáticas.


Forças militares internacionais estão cercando as fronteiras da Síria. pelo menos neste exato momento há mais cerca de 2000 soldados americanos espalhados no entorno da Síria. Uma fonte diplomática de completa confiança, disse que uma tropa americana entrou secretamente dentro de Damasco e está pronta para executar a ordem de cessar definitivamente o massacre. A fonte disse que as tropas entraram para impedir uma ação de genocídio denunciada pelo Exército Livre, e que ao chegar em Damasco descobriram que a Síria não o poder que aparentava ou que insinuava. A fonte descreveu a reação da força-tarefa como "decepção", ao descobrir que a Síria não tem mais do que encenação e blefes na manga de Al-Assad. Tantas pessoas mortas com medo só da propaganda.


Enquanto isto há porta-aviões russo com pequenos aviões na costa síria, mas não haverá tempo para reação. De acordo com minha fonte, os Estados Unidos e a Turquia entrarão, controlarão a situação e entregarão o país nas mãos da Liga Árabe, para que dê prosseguimento ao processo de formação do novo governo.

Síria: Assad longe da Mídia, enquanto exército recruta milhares.

Ontem o Exército Livre inicio uma campanha de resgate de presos. De acordo com a inteligência do exército rebelde, mais de 67 mil pessoas estão desaparecida por sequestro pelas forças de segurança ou presas em subterrâneos, escolas, fábricas de cimento, presídio, casas de detenções, estádios esportivos e outros lugares improvisados.


Represão ou castigo? Chegada de nova leva de tanques em Idlib - 27-11-11
Por Saulo Valley -Rio de Janeiro - 28 de Novembro de 2011 - 07h34min.
Atualização: 06 de Dezembro às 12h04min.

A inteligência do Exército Livre conseguiu descobrir neste Domingo que o regime sírio decidiu esvaziar as prisões no caso de aprovação da implantação de observadores no país por parte da Liga Árabe. De acordo com a fonte os presos que estavam sendo mantidos desde a revolução islâmica e presos políticos e de consciência deverão ser executados imediatamente. A inteligência informou que a ordem foi enviada para as prisões no "Ramo Palestina", "Sednaya" e "Adra" e pediu para que as Organizações de Direitos Humanos corram em socorros destas pessoas. Atualmente há cerca de 67 Mil pessoas desaparecidas entre sequestrados pelas forças de seguranças e presos. Entre os presos há crianças, mulheres, estudantes, políticos, adolescentes, idosos, ativistas, empresários e intelectuais.

Exército sírio em expansão

A média de mortes diária de soldados sírios e agentes de segurança e de inteligência é 20, sem contar com o elevado grau de deserções. Mesmo assim as tropas sírias têm se multiplicado.

Mesmo com o grande volume de rebeliões diárias, Al-Assad tem conseguido enviar milhares de soldados contra as cidades sírias sem reduzir, aliás, triplicando suas forças de ação contra as comunidades espalhadas em todo o país, independente se grandes centros urbanos, como aldeias e vilas.

O motivo é que Al-Assad, que havia declarado guerra ao povo sírio desde que sua rejeição foi confirmada, passou a contratar grande número de soldados iranianos e membros do Hezbollah, além de recrutas da própria Síria. Informantes do Exército Livre e ativistas da Síria disseram ontem à noite que agora há praticamente uma substituição do pessoal do exército sírio por mercenários estrangeiros.

Video: Recrutas do exército regular - Gravado em 08 de Maio de 2011

É claro que a Síria supostamente não deveria ter recursos para manter este nível de contratações mas ajuda internacional tem chegado secretamente tem demonstrado que sua intenção é mesmo não deixar nenhum sobrevivente ao atrito entre o povo e seu presidente.

Exército sírio faz Operações de Assalto ao comércio. Devem ser as tropas de Elite.


Há também inúmeros relatórios de ataques por emboscadas a comboios com mais de 10, 20, 30, 40 veículos, ônibus, blindados e caminhões que estão sendo destruídos, ao invés de serem reaproveitados, como no caso da Líbia. Uma fontes ligada à inteligência do exército livre revelou que comboios de carros de passeio estão entrando na Síria transportando grande número de militantes do Hezbollah à partir do Líbano.

Video: Reforço de 3 helicópteros sobrevoando a região de Dima na manhã desta segunda (28).


Exército Livre

Ontem uma muito bem sucedida ação do Exército Livre contra uma casa de detenção que matou os gardas e libertou um número de ativistas, deu sangue novo para novas buscas. Há informações de que há mais de 22.000 soldados desertores presos no complexo penitenciário em Palmyra.

08:37min - Marchando silenciosamente utilizando estratégias de guerrilha e muitas emboscadas o Exército Livre iniciou à pouco um progressão em direção à Escola Militar em Damasco após uma operação de sucesso coordenada pelo Batalhão "ala-mail" do Exército Livre a sub-unidades do exército regular que circundavam áreas residenciais na região de Dimas. Não há ainda informações sobre o número de seguranças mortos mas o Exército Livre informou que suas tropas saíram ilesas e cumpriram a missão com sucesso. O trajeto até o próximo alvo é cerca de 17 Km e a tropa partiu há cerca de 40 minutos.

Video: Confronto na madrugada entre os dois lados do exército sírio no bairro de Tlklkh.


Perdas entre os rebeldes

Mas nem tudo são flores. Neste domingo o Batalhão de "Khalid bin Waleed" confirmou a morte de um número de revolucionários na quinta-feira (24) numa operação do regime sírio para perseguir e matar soldados rebelados sírios. De acordo com departamento de informação do batalhão, o grupo de assalto liderado pelo tenente Mohammed Talas teve seu esconderijo descoberto pela inteligência síria, por volta das 06 da manhã.

Houve resistência por parte dos rebeldes e a luta durou cerca de 5 horas, com perdas em grande escala para os dois lados. Mesmo assim o exército sírio chegou em vantagem e por fim todos os rebeldes sob a liderança do tenente Mohammed Talas foram mortos, inclusive o próprio tenente.

Video do anúncio da deserção do tenente Mohammed Abdul Aziz Talas do exército sírio, e seu ingresso ao Exército Livre em 1º de Setembro deste ano. Bravo guerreiro.


domingo, novembro 27, 2011

SÍRIA ALERTA: Ajuda humanitária iraniana: Comida contaminada com Arsênio

Um dia de muitas comemorações para o povo sírio. À começar pela aprovação das sanções comerciais contra a cúpula do regime sírio, a suspensão das relações comerciais de diversos países árabes, numa repreensão jamais realizada no mundo árabe antes, e a evolução do exército livre, invadindo um centro de detenção, matando a todos os agentes de segurança e libertando os ativistas presos. A difícil situação humanitária na Síria e "ajuda" iraniana vem trazendo a morte.

Homenagem ao crescimento do Exército Livre em socorro do povo sírio.
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 27 de Novembro de 2011 - 19h49min.

O Exército Livre vem anunciar neste domingo para que a população síria não aceite qualquer ajuda humanitária enviada à partir do IRÃ. Segundo o Exército Livre em uma mensagem divulgada em uma de suas páginas no Facebook, a informação tem 100% de confirmação de que os alimentos enviados do Irã estão contaminados.

Segundo foi observado esta informação já circula entre ativistas e médicos desde Maio deste ano. A denúncia inicial havia sido feita pelo pessoal da saúde que ao verificar as causas de mortes infantis, perceberam que haviam sido envenenadas através do consumo de leite contaminado com Arsênio. Pouco tempo depois os hospitais começaram a ser atacados e não se falou mais no assunto.

As Nações Unidas têm sido pressionada para iniciar uma investigação das denúncias de tortura e assassinato de crianças na Síria. A Unicef está liderando as investigações. Segundo a própria ONU, a Organização de Direitos Humanos das Nações Unidas tem provas substanciais para processar o regime sírio.

Evolução do Exército Livre

Video: No lado de fora da casa de detenção, um cinegrafista amador. No lado de dentro o Exército Livre realizando um vitorioso assalto para libertar ativistas presos.


O Batalhão Faruqe do Exército Livre confirmou a morte do coronel Ibrahim Ali Jaafar da região do protoplasma. Segundo a fonte ele foi morto após a confirmação de seu total envolvimento na liderança de "Cbihh" (uma classe de seguranças) em campanhas de assassinatos de civis.

Outra operação bem sucedida aconteceu e Hama e foi notificada minutos atrás. A campanha de perseguição aos "Cbihh" que infernizaram a vida do povo de Hama, pelo Batalhão Saad Bin Maaz que percorreu a região matando 25 "Cbihh" ferindo dezenas deles e destruindo 2 blindados,  1 modelo BMB e o outro BTt.

Video: Exército Livre se preparando para uma missão em Deir Azour para combater as forças de opressão que agem na região contra a população.


Video: A BBC produziu uma sequência de reportagens em vídeo descrevendo o que realmente acontece na Síria, exatamente como temos mostrado aqui todos os dias:


A Liga Árabe aprovou um total de 13 sanções econômicas contra o regime sírio. O texto à seguir foi publicado pelo Exército Livre, citando a página "Todos nós somos filhos do mártir Hamza Ali al-Khatib". O texto original em árabe publicado pela Liga Árabe está em PDF. Se preferir acesse aqui ou acompanhe a seguir:

  1. - Proibição de viajar para altos funcionários e autoridades sírias para os países árabes, que o Conselho Universitário ao nível dos delegados identificou os nomes das pessoas e funcionários.
  2. - Cancelamento de vôos para a Síria das companhias aéreas estrangeiras.
  3. - Encerramento das atividades internacionais com o Banco Central da Síria
  4. - Cancelamento das relações de comércio exterior, o comércio do estado com o governo sírio com exceção de commodities estratégicas que afetam o povo sírio.
  5. -Congelamento dos ativos financeiros do governo sírio.
  6. - Suspensão de todas as transações financeiras com a República Árabe da Síria.
  7. - Suspensão de todas as operações com o Banco Comercial da Síria.
  8. - Suspensão do financiamento para qualquer negociação e trocas de bancos centrais árabes com o Banco Central da Síria.
  9. - Monitoração da demanda movimentação dos bancos árabes centrais, transferências bancárias e créditos comerciais; com exceção de transferência bancária enviada de trabalhadores sírios no exterior para suas famílias na Síria.
  10. - Congelamento do financiamento de qualquer projeto sobre o território sírio pelos países árabes.
  11. - Determinado o acompanhamento e implementação pelas autoridades árabes para a aviação civil e o Fundo Monetário Árabe, a formação de uma comissão de países árabes e centros internacionais da universidade e do seu pessoal no terreno, para a Síria. 
  12. - Incluir nas sanções as organizações árabes e internacionais e centros da universidade e do seu pessoal no terreno, na Síria.
  13. - Tendo em conta os interesses dos países árabes vizinhos, a aplicação dessas sanções.

Bahrein e Qatar pedem a seus cidadãos que evitem a Síria.

Na sequência das resoluções adotadas pelo Conselho de Ministros dos Estados Árabes em reunião da Liga Árabe, no Cairo neste sábado, alguns Estados árabes já se adiantaram, chamando de volta seu povo e pedindo que outros de seus cidadãos evitem viajar para a Síria. Primeiros sinais da confirmação da validação das sanções pela maioria dos Ministros neste Domingo.


Mapa dos Estados Membros da Liga Árabe - "wikipedia"
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 27 de Novembro de 2011 - 07h41min
Atualização: 08h15min

A informação da decisão do Qatar e do Bahrein foi citada pelo "nowlebanon" que por sua vez citou a AFP. A Síria persiste no caminho do massacre. Ontem 42 pessoas foram mortas no país, o que pouco importa para Al-Assad, mas para a Liga Árabe é o que mais importa. Com respostas evasivas a Síria tem buscando enrolar o "diálogo" e impedir que sanções e correções sejam lançadas contra o regime sangrento do regime autocrata de Al-Assad e Maher Assad.

Para piorar a situação, a Síria adquire cada vez mais apoio do grupo de assassinos e terroristas com sede no Líbano, o Hezbollar e mercenários da Guarda Republicana Iraniana, para executar o maior número de civis o quanto antes possível, enquanto o exército regular enfrenta rebelião desvairada.

Mesmo mantendo sua divisão com punho de ferro, Maher Al-Assad não consegue impedir o elevado grau de deserções, dissidentes estes que cruzam as fronteiras vizinhas e são recebidos pelos líderes das três bases do Exército Livre Sírio, formado por dissidentes que se esconderam nas matas da Turquia, da Palestina e do Líbano.

Até o fim do dia deverá haver o anúncio oficial das novas resoluções que serão impostas contra a síria, como proibição de viagens e compras no exterior, congelamento de bens e outros embargos a membros da cúpula do governo sírio.

Egito: Partidos islâmicos trocam voto por alimentos - Denuncia ativista.

A crise no Egito é inacreditável e profunda. A pobreza egípcia vivia sendo encoberta pela riqueza que a família Mubbarak ostentava. Agora país enfrenta sérias dificuldades para se erguer. À começar por partidos islâmicos com seus velhos hábitos, procuram comprar votos oferecendo gêneros alimentícios em troca.

Partido Alandalh - Distribuição de Açúcar e saquinhos de Chá para eleitores.
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 27 de Novembro de 2011 - 06h25min.

Ativistas egípcios tem lutado para que grupos islâmicos não assumam o controle do Egito. Segundo o desejo do povo de que o país tenha um regime democrático e que a religião seja uma opção para todo o cidadão livre. Ontem ativistas foram até os escritórios eleitorais dos partidos islâmicos. Apesar de que esta ser uma estatégia da maioria deles, o grupo foi até o escritório do Partido Alandalh e fotografaram a distribuição de quilos de "açúcar e saquinhos de chá.". Quem denuncia é um grupo de ativistas de direitos humanos que milita contra a implantação do regime sangrento da Irmandade Muçulmana no Egito (Não para a Irmandade Muçulmana no Egito).

O grupo é formado por mais de 66.000 pessoas que muçulmanas que não aprovam as lembranças de regimes catastróficos anteriormente governados pela Irmandade, que por todo o povo árabe, é ligeiramente ligada a genocídios, terrorismo e farto derramamento de sangue de pessoas comuns.

Deixando bem claro que não há uma campanha deste site, nem de seu autor contra o islamismo. Aqui nos dedicamos a expressar o que realmente ocorre no Oriente Médio e as novas aspirações do povo árabe, apesar de nem sempre serem as mesmas aspirações dos grupos políticos e grupos religiosos árabes.

Citando por exemplo que mais de 16.000 egípcios aderiram à página no Facebook intitulada: "Eu sou um muçulmano, mas Irmandade Muçulmana não me representa"

Cercados de vigilância, tanto os militares quanto a Irmandade Muçulmana deverá ficar fora da política egípcia, por vontade popular. Estas são as mesmas aspirações do povo sírio e marroquino.

sábado, novembro 26, 2011

Síria responde à Liga Árabe com críticas ao plano de "Observadores" - Atualizações

Negociações nos bastidores para a formalização de uma intervenção militar na Síria está mais que confirmada depois que a Liga Árabe pediu à França e a Grã-bretanha para assumirem a coordenação das novas ações lideradas pelo comunidade internacional, em especial as Nações Unidas.


"EXÉRCITO DO LIVRE SÍRIO
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 26 de Novembro de 2011 - 18h19min

As missões estão sendo distribuídas para cada país de acordo com sua especialidade e recursos. esta infra-estrutura é muito além do que a Russia, a China e o Iran possam confrontar juntos. Coordenações de diversos Serviços de inteligência trabalhando em conjunto para assegurar que países que vivem ameaçando sejam desarticulados ao tentarem interferir contra as ações da NATO, que com certeza está em preparação para iniciar  uma gigantesca operação mundial conjunta entre forças árabes e ocidentais que decidiram por unanimidade dar fim ao massacre de civis sírios e impedir que Al-Assad ponha em risco a credibilidade dos conselhos e tratados internacionais.

Vazamento publicado pela Al-Arabiya de que a Líbia apoiará a intervenção armada contra a Síria, enviando fuzileiros em ataques no solo, que apoiarão as ofensivas ao lado do Exército Livre sírio (o exército rebelado).
Hoje a Jordânia declarou que 100 recrutas do fugitivos do regime cruzaram a fronteira fazendo pedidos individuais de exílio.

Quem já começou a reclamar foi o Iraque, que de acordo com "AFP" "teme uma alternativa radical" contra a Síria, dizendo se contra uma sanção econômica muito pesada, enquanto que forças militares se preparam para invadir o país com força suficiente para prender, expulsar, matar, destruir as forças do Hezbollah, da Guarda Revolucionária Iraniana dentre outros suportes que apareçam.

Um contato meu da Líbia comemorou a sua participação nas fileiras que cruzarão a fronteira síria para resgatar o povo da Síria. Uma solução mais que em tempo. Não há como permitir que assassinos continuem desafiando o equilíbrio do mundo e ainda sair com imunidade diplomática para gastar os milhões desviados dos cofres públicos, deixando além de um país na miséria, incalculável número de mortos. A população árabe, dissidentes e ativistas do mundo inteiro tem cobrado das Nações Unidas maior responsabilidade e rapidez nas respostas que merecem respostas. Para isto há necessidade de desembaraçar as negociações travadas pela Rússia, China e Índia que só visam sobreviver às custas da venda indiscriminada de armas.

Para estes países, pouco importa se pessoas inocentes estão sendo executadas, desde que estejam, tendo o retorno financeiro esperado. Países estes que deveriam ser os primeiros a sofrer sanções e isolamentos.

Está na hora de mudar. O mercado financeiro mundial não pode continuar sendo impelido pelo fogo das armas.


Resposta síria - Amplie a imagem.
Resposta Síria

Intencionalmente tardio o regime sírio decidiu responder ao Conselho de Ministros, enquanto a lista de sanções econômicas e proibições já foi finalizada. A SANA, agência de notícias do regime sírio, disse neste Sábado que o Professor Walid Moallem, Ministro dos Negócios Estrangeiros do regime de Al-Assad enviou uma carta para o Conselho de Ministros neste dia respondendo sobre os pontos que haviam sido mantidos sem resposta há dias, embora a Liga Árabe procurasse por respostas mas o silêncio foi mantido até agora. O regime sírio decidiu ganhar mais tempo para mais algumas desastradas negociações para se manter no poder por força militar o por força do convencimento diplomático.

A SANA disse que a carta diz que "a Síria tem acompanhado com interesse todas as decisões emitidas pelo Conselho de Ministros Árabes desde que assinou o acordo com a Liga Árabe em 24/11."

Para acelerar as negociações, a SANA resolveu publicar as "correções da proposta" enviada pelo Conselho. Mas de cara já se percebe que a intenção é levantar discussões tardias para manter o diálogo aquecido enquanto lá fora o exército fuzila milhares de milhares de inocentes. Neste tempo Al-Assad está negociando com outros países em busca de apoio militar para reagir contra a intervenção internacional que com certeza é inevitável. Assad só busca retardar as decisões para silenciar o povo antes de que toda a comunidade internacional descubra que foi feita de idiota. Só neste sábado 38 pessoas morreram na Síria.

Marrocos: Apenas 5.8 de 13 Milhões de eleitores votaram e país tem 35 milhões de habitantes.

Eleições boicotadas deixaram prejuízo de 35% nos votos mas continuam valendo. Enquanto partidos e políticos comemoram, povo lamenta falta de transparência, honestidade e democracia. Verdadeiras eleições engessadas de eleitores amordaçados que só podem dizer "sim" ou "não".
Um site iraniano pergunta: "Será que as novas eleições marroquinas reduzirão os poderes do Rei?"
"Moroccan flags" Cortesia: "Pierre Metivier"
Por Saulo Valley -Rio de Janeiro, 26 de Novembro de 2011 - 12h50min.

De acordo com o protocolo, o plebiscito para votar a nova constituição foi uma confirmação de sua aprovação, mas a oposição não aceitou, porque disse que a nova constituição foi examinada por membros do governo atual para que garantissem seus status e cargos. Mas o povo teve pouco acesso ao seu conteúdo. Oposicionistas mais antenados com termos legislativos perceberam que muitas das modificações nas leis eram redundantes e tudo terminava praticamente como era antes.

Mas com a tamanha propaganda das agências de notícias e publicidade do governo, o povo saiu em peso à favor da "democracia", sem saber que votaram unanimemente para que tudo continue como estava antes.

Foi por esta razão que o segundo passo exigido pelo protocolo de implantação de uma novo governo, seria a conclamação do povo para as eleições parlamentares. Para evitar ser contrariado, o governo marroquino abafou a reclamação dos populares com massiva propaganda de mídia. Foi daí que a oposição decidiu pelo boicote às eleições parlamentares.

Então se a "nova constituição" teve 100% de aprovação, porque numa população de mais de 35 Milhões, apenas 5.8 milhões de pessoas votaram, sendo que mais de 13 milhões são eleitores?

Por causa da "credibilidade perdida". O povo acreditava que poderia ter um governo democrático de verdade. Tanto quanto acreditam os egípcios, os líbios e os sírios. Mas para isto, tem que haver vontade, muita vontade por parte da comunidade política do país. Na maioria dos países árabes, as comunidades islâmicas procuram manter o controle das leis e do comportamento das pessoas. Eles querem manter o povo atrelados ao cabresto da religião, mas na verdade o povo árabe não acredita mais que as leis islâmicas contribuam para o crescimento de um país como um todo, além da cúpula no poder.

É por isto que uma equipe de repórteres do "moroccoworldnews" foi até Casablanca conversar com as pessoas e 99,99% das pessoas pobres entrevistadas se mostraram desacreditadas que estas eleições mudariam de alguma forma suas vidas.

Ontem estive conversando na internet com um jovem marroquino que me perguntou:
"Ah você tem alguma notícia sobre a alguma incrívelmente famosa, grande, enorme, agradável, maravilhosa, exclusiva, fantástica eleições do regime marroquino?"
 É claro que dei boas gargalhadas, ao mesmo tempo puder ver o tamanho de suas frustrações com as chamadas para "democracia" pelo seu governo. Uma campanha similar à que Al-Assad planejava fazer até o início de 2012, mas foi frustrada pelos manifestantes que desabaram a denunciar todos os truques do regime de forma sucessiva, o que o irritou ainda mais.

O sucesso das eleições "populares" está confirmado aqui: Uma massiva manifestação para o boicote das eleições, enquanto que no vídeo posterior, as zonas eleitorais aparecem vazias.





Neste exato momento os votos estão sendo contados. O "Guardian" disse nesta manhã de sábado que o PJD (Partido da Justiça e Democracia) já comemora sua vitória absoluta logo no início da contagem, mas o resultado final sairá até o fim do dia.

Neste vídeo à seguir, um senhor é entrevistado. Ele é analfabeto, como uma grande porcentagem dos marroquinos, é muito pobre. Um pastor de ovelhas. Quando perguntado sobre sua opinião, ele respondeu que não importa qual seja o resultado:


"Em qualquer caso, os partidos políticos em Marrocos não têm credibilidade, deve ser simplesmente um governo do então "rei". 

Ele votou em branco.

Síria: A visão de jornalistas infiltrados não difere dos habitantes.

"Aquele que se isola busca seu próprio interesse." Palavras do sábio Salomão registradas na Bíblia Sagrada. A comunidade internacional tem insistido para que o regime sírio conceda permissão para que jornalistas internacionais possam confirmar a sua versão de que grupos terroristas estão matando civis cruelmente. Mas as portas continuam fechada desde Março deste ano.


Por Saulo Valley -Rio de Janeiro, 26 de Novembro de 2011 - 08h34min

Este isolamento de informação obrigou os sírios a se tornarem repórteres de suas próprias tragédias, para que de alguma forma pudessem convencer a opinião internacional de que estavam mesmo vivendo um grande massacre. Isto levou o youtube a se tornar a "TV do massacre". As câmeras e celulares se tornaram ferramentas de legistas internacionais que mostravam em detalhes os ferimentos nos corpos das vítimas, para que de longe, bem de fora das muralhas do bloqueio militar da Sìria, os crimes pudessem ser confirmados.

Snapshot de vídeo que mostra o calibre das balas
retiradas do corpo do manifestantes.

9 meses se passaram sem que nenhuma agência de notícias pudesse entrar legalmente na Síria, apesar de ter acordado com a Liga Árabe em 26 de Agosto deste ano. Os nomes das agências escolhidas chegaram a ser citadas como escolhidas por Al-Assad, que não cumpriu um termo sequer do acordo. Aliás, a Síria vem descumprindo acordos com as Nações Unidas, Liga Árabe, Conselho do Golfo e União Européia, menos com o Irã, Hezbollah, China e Rússia.

Agências clandestinas

Por razões lógicas, algumas agências de notícias decidiram se arriscar a enviar jornalistas clandestinamente para a Síria, para confirmar as denúncias feitas pelos celulares dos manifestantes. Já citamos aqui o jornalista Paul Wood da "BBC", Jonathan Rugman para o "Channel 4", agora Mani, o repórter fotográfico da agência ucraniana "Guardian" e a jornalista libanesa Sofia Amara da agência italiana "RSI LA1" que na minha opinião reuniu as provas mais concretas do que realmente acontece na Síria, até agora.

À medida que as agências vão adentrando no "submundo" da revolução síria descobre que por imposição do regime de Al-Assad o país tem vivido num verdadeiro submundo, enquanto que apenas o presidente e seus apoiadores estão vivendo num mundo confortável, farto e seguro.

As agências também são capazes de ver que o que cada celular e câmera registraram das mãos de manifestantes voluntários é a pura verdade, mas não tem sido valorizadas o suficiente para que as autoridades internacionais se mobilizem para dar fim ao plano sírio de exterminar 100% da população oposta a Al-Assad, o que representa pelo menos 80% do pais".


Assim que a revolução começou, comecei a conversar com os manifestantes, e entre seus vídeos e fotos de baixíssimas qualidades, ao mesmo tempo de altíssimas fidelidade, encontrei seres extremamente humanos, sensíveis, honestos e sinceros. Pessoas dispostas a morrer para garantir uma manifestação pacífica e um novo "governo democrático e moderno". O motivo, é que eles não querem se comprometer com nenhum grupo em particular para que mais tarde não venham a exigir lugar no poder.

Já em Abril/2011 se podia ver que um mar de sangue
de civis seria derramado por Al-Assad. 
 Com forte pressentimento, ao ponto de derramar lágrimas profundas por vários dias, comecei a descrever o que estava vendo no meu contato direto com os sírios, que em sua maioria estão conversando comigo até hoje, mas há muitos casos de mortes de seus familiares ou a perda de todos os seus pertences, ou mesmo o abandono de suas casas para irem para lugares incertos, improvisados, desconfortáveis e temporários.

 Antes de iniciar o mergulho profundo na crise síria, me certifiquei se não estava apoiando grupos terroristas, disfarçados em manifestantes. Investiguei detalhadamente cada pessoa que me relacionei e principalmente o lado oposto. Mergulhei nos diálogos do regime e acompanhei suas operações militares, bem como seus próprios registros e observações sobre os mesmos eventos registrados pelos manifestantes em oposição ao regime. O que resultou na certeza de que Al-Assad estava se preparando para aniquilar 100% da oposição síria à qualquer preço, mas o Exército Livre foi um fenômeno que lhe surpreendeu e tem atrasado seu plano original, que mesmo assim ainda é mantido e seguido, mesmo com alguns improvisos para a sua manutenção e preservação.



 A tentativa de intervenção por parte da Liga Árabe já era esperada, bem como o Conselho do Golfo e as Nações Unidas. Al Assad havia planejado como perpetuar esta conversa diplomática e ir retardando até que conseguisse executar a todos os líderes das comunidades rebeladas.

 No mês de Maio, os manifestantes sírios se mostraram completamente surpresos com o grau de violência que Al-Assad havia imposto para garantir sua posição no poder. Estarrecidos com o grau das torturas e execuções, precisaram se "adaptar" para subir a um patamar mais alto e suportar a repressão em seu nível máximo!  Al-Assad não achava que a população síria suportaria a pressão e arregalou os olhos literalmente quando viu uma gigantesca multidão marchando na direção dos tiros das forças de segurança.


Para impedir que continuassem progredindo na direção dos tiros, passou a implantar o toque de recolher com duração de 21 horas por dia, nas cidades ocupadas. Este era tempo que o exército sírio gasta bombardeando as casas. 


Omissão das autoridades?

O que aborrece de verdade é que desde maio as Nações Unidas não reconhecem as novas mortes, tendo congelado o total de 3600 mortos há meses, ao passo que diariamente são enterradas entre 10 e 20 pessoas. Há dias com quase 50 mortes.


Mulher síria morta dentro de casa pelas forças de segurança.
Depois do massacre de Hama as autoridades pararam de publicar o número oficial de mortos, o que ajudaria a pressionar Al-Assad. Outra coisa é o fato destas mortes serem por execução, tortura e muitas mutilações. Pelo menos 250 crianças morreram de Março até a data de ontem. Só agora, 9 meses depois, a UNICEF tem exigido das autoridades maior cobrança da Síria pelos crimes contra os direitos humanos, apesar de milhares de presos estrem sendo torturados e mutilados até a morte em subterrâneos no país.

Para quem não sabe, é da cultura do país que todas as construções tenham abrigos subterrâneos. Todas as casas, sem excessão possuem porões. Isto também acontece em Israel. Talvez seja por isto que o exército bombardeie tantos as partes altas das casas.

A verdade é que à título de emergência, a Síria não precisa esperar os  500 observadores, nem a imprensa, para que tenha direito à justiça. Com base nas provas e documentos apresentados, já poderia ter acelerado a criminalização do atual regime sírio e a acusação formal de Al-Assad como principal mandante de todos os crimes cometidos no país, bem como seu partido Ba'ath e seus líderes. Porque todo este material gravado pela população síria não pode ser reconhecido como prova? Porque precisam esperar mais 3 meses para as agências ou os observadores  conseguirem entrar no pais para atestar o que todo mundo já tem certeza?

sexta-feira, novembro 25, 2011

Exército Livre captura 11 xiitas do Hezbollah em ambulância equipada com armas.

O dia foi muito quente. A temperatura das armas de fogo na mão do exército regular da síria não abaixou nem um minuto. Armas de todos os calibres cuspindo balas em todas as direções. Enquanto isto a Liga Árabe discute agir mesmo com a omissão da Síria.

Sexta - "O Exército Livre me Protege" 25-11-11
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 25 de Novembro de 2011 - 19h45min.

Ontem foi liberado pelo Exército Livre um vídeo de uma importante captura e apreensão que aconteceu no dia 13/11. Uma operação muito bem orquestrada pelo Exército Livre resultou na captura de 11 guerreiros xiitas do Hezbollah que ocupavam uma ambulância abastecida de armas na cidade de Homs, utilizadas em campanhas para deter as manifestações populares na Síria.




O Exército Livre explicou que esta bem sucedida operação mostra que a linha de pensamento do regime sírio está atrelada ao pensamento do "Hama", cuja regra (para quem está no poder) é "nunca deixar o poder, custe o que custar", e que "Não há regras para permanecer no poder", disse um membro do grupo. Ele destacou que as "regras do Hama" foram responsáveis pelo assassinato de 38.000 cidadãos sírios em toda a Homs, para impedir que Hafez Assad (pai de Al-Assad) fosse retirado do poder em 1982.

Todos os tipos de assassinatos, prisões, torturas, mutilações desde recém-nascidos a idosos, passando por deficientes e em fim, qualquer esforço para se manter no poder. Ele destaca ainda que o fato de usarem ambulâncias é uma forma do regime aterrorizar as pessoas. Assim todos ficam sabendo que as ambulâncias transportam milícias. Com isto elas ficam receosas de entrar numa ambulância para receber socorros médicos e serem sequestradas ou executadas em seus interiores.

Ele disse que a presença do Hesbollah na Síria é uma importante estrutura para Al-Assad que está vendo seu exército se desmontar. Como é do conhecimento de todos, além do Hesbollah (que parte do Líbano), a  Síria ainda conta com especialistas da Guarda Revolucionária Iraniana, e depende cada vez mais exclusivamente de seu irmão Maher Assad que lidera a 4ª Brigada (Operações Especiais), mas alguns dos batalhões da brigada têm enfrentado rachas sistematicamente em Latakya, Deraa e Idleb.

As incursões das forças de segurança da Síria estão em um nível que jamais haviam chegado. Elas ganharam tal poder após a Liga Árabe entrar iniciar o "diálogo" com o regime e dias depois se tornou um estressante "monólogo".

Há 4 destinos para soldados desertores:
  1. São executados no momento que desobedecem ordens
  2. Foge do país
  3. São escondidos por seus familiares
  4. Unem-se ao Exército Livre para proteger suas famílias.
Mas para o povo sírio suas exigências não ficam sem respostas. Elas crescem à medida de suas demandas em volume, grau de impacto, terror e mortes.

Nesta Sexta-feira dedicada ao Exército Livre pelos manifestantes que gritam seu nome nas ruas (sexta: O Exército Livre me Protege) a BBC foi mais uma agência de Notícias que revelou partes de uma gravação clandestina produzida por dois funcionários seus que acompanharam secretamente o trabalho do Exército Livre no lado palestino da fronteira por uma semana. 

No dia 16 passado foi a vez do "Channel4" a enviar repórteres para o fronte ao lado do Exército Livre em uma operação de ataque a uma base militar do regime sírio. É importante que as agências de notícias saibam que Al-Assad não terá receio em executar repórteres, se perceber que entrar no país clandestinamente se tornou uma "febre".

Video: Manifestação de mulheres estudantes fogem do fogo aleatório do exército Sírio.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: