sexta-feira, dezembro 30, 2011

Síria: Sexta começa com 4 mortos em Homs durante tentativa de salvamento.

A sexta-feira é sempre o dia da semana que apresenta relatórios de maior número de mortes, devido ao fato de que após as orações, os fiéis saem das mesquitas em grande número, pedindo o fim do regime. A presença dos Observadores enviados pela Liga Árabe, pouco influencia nos acontecimentos. 4 mortos no bairro de Tlklkh em Homs.


Observador acena bandeira branca para escapar com vida do atirador do regime
Snapshot - 28-12-2011
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 30 de Setembro de 2011 - 07h56min.

Mas a presença do exército sírio influencia no tamanho do derramamento de sangue de civis, no número de mortes, no número de feridos e de construções destruídas. Relatório da CCLS desta sexta-feira revelou as primeiras mortes o dia a morte de Alaa Bilal no subúrbio de Damasco, no Bairro de Moadamia.

Video: Populares se queixam dos Observadores em Baba Amr.


Enquanto os Observadores chegam aos bairros de Harasta (Damasco) e Al-Hasan (Subúrbio), forças do exército chegam em grande número e já iniciaram repressão nas seguintes  regiões:

Abu Kamal (Deir Azour) - "Fogo pesado contra manifestantes na saída da Mesquita de Hahman."
Hasaka - "Cerco policial sem precedentes, para impedir manifestações com uso de tanques."
Moadamia - (Subúrbio de Damasco)  As forças de segurança dispersaram os enlutados em um funeral.


Sahwa (Daraa ) Forças militares do regime invadiram a cidade nesta manhã.
Deir Ezzor: "Implantação de segurança pesada em Al Rawda praça e mercado de Al Jbaileh".
Kobany: Ein AlArab (Aleppo) "Uma demonstração começou e tentar chegar até a Praça da Liberdade gritando por liberdade e exigindo a derrubada do regime."

Video: Observador conta o que testemunhou na entrada "Porta dos Animais Silvestres" em Homs (em Árabe):


Lattakia: "Propagação do forte esquema de segurança em torno do estaleiro, o xeque Dahir."
Tlklkh: (Homs) A morte do jovem Khalid Morgan além de Hammadi Munther, Awad Fawzi e Awad Zahir por força de uma emboscada das forças de segurança, quando este tentava ajudar os feridos, transportando-os para além da fronteira libanesa.

Há boatos de que o regime sírio teria acusado a Irmandade Muçulmana pelo atentado contra o prédio do governo (realizado pelas forças de segurança) na semana passada.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: